×
Agente Judiciário - Analista de Sistemas Desenvolvimento
×

TJ/RO 2008

Agente Judiciário - Administrador

Questão 1

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Bolsa-Floresta, título do texto, é o nome dado a um[a]

Questão 2

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
A expressão em destaque no trecho “Quando os dados do desmatamento de maio saíram esta semana da gaveta ...” (L.1-2) pode ser adequadamente substituída, sem alteração do sentido, por

Questão 3

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
No 2º parágrafo, o mérito da Zona Franca na preservação florestal do estado do Amazonas deve-se ao fato de ter

Questão 4

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
“No Amazonas, visitei uma das iniciativas para tentar deter a destruição.” (L. 7-8). Tal iniciativa é a(o)

Questão 5

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Com a leitura do parágrafo que contém a oração “porque criou alternativa de emprego e renda para a população do estado.” (L. 13-14) pode-se inferir que, no texto, a outra alternativa seria

Questão 6

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Em “...é preciso trabalhar duro na prevenção do desmatamento.” (L. 19-20), a expressão destacada, em relação com o princípio da oração, indica

Questão 7

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
“— A destruição ocorre porque existem incentivos econômicos; precisamos criar os incentivos de proteção.” (L. 31-32).

Avalie se as afirmativas apresentadas a seguir são verdadeiras (V) ou falsas (F), em relação ao trecho acima.

( ) Tanto a destruição da floresta quanto a sua proteção dependem de medidas econômicas.
( ) O conceito da palavra “incentivos” é igual nas expressões “incentivos econômicos” (L. 31-32) e “incentivos de proteção” (L. 32).
( ) Se houver incentivo de proteção, a destruição cessará.

A seqüência correta é:

Questão 8

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
No texto, “ativo” (L. 41) significa

Questão 9

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Indique a opção em que o sinal indicativo de crase está corretamente usado.

Questão 10

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Indique a opção em que a expressão em destaque pode ser substituída por “lhe”, assim como em “...uma parte do mérito lhe cabe,” (L. 13)

Questão 11

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
As formas verbais estão corretamente conjugadas em

Questão 12

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Indique a opção em que a reescritura apresentada NÃO mantém o mesmo sentido do trecho original.

Questão 13

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Indique a opção na qual a concordância nominal está adequada.

Questão 14

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
“Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,” (L. 43-44)

O sinal de dois pontos da sentença acima só pode ser substituído por:

Questão 15

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Quando os dados do desmatamento de maio saíram
 
esta semana da gaveta da Casa Civil, onde ficaram
 
trancados por vários dias, ficou-se sabendo que maio foi
 
igual ao abril que passou: perdemos de floresta mais uma
5
área equivalente à cidade do Rio de Janeiro. Ao ritmo
 
de um Rio por mês, o Brasil vai pondo abaixo a maior
 
floresta tropical. No Amazonas, visitei uma das iniciati-
 
vas para tentar deter a destruição.
 
O Estado do Amazonas é o que tem a floresta mais
10
preservada. O número repetido por todos é que lá 98%
 
da floresta estão preservados, 157 milhões de hectares,
 
1/3 da Amazônia brasileira. A Zona Franca garante que
 
uma parte do mérito lhe cabe, porque criou alternativa
 
de emprego e renda para a população do estado.
15
Há quem acredite que a pressão acabará chegando ao
 
Amazonas depois de desmatados os estados mais
 
acessíveis.
 
João Batista Tezza, diretor técnico-científico da
 
Fundação Amazonas Sustentável, acha que é preciso
20
trabalhar duro na prevenção do desmatamento. Esse é o
 
projeto da Fundação que foi criada pelo governo, mas
 
não é governamental, e que tem a função de implementar
 
o Bolsa-Floresta, uma transferência de renda para
 
pessoas que vivem perto das áreas de preservação
25
estadual. A idéia é que elas sejam envolvidas no projeto
 
de preservação e que recebam R$ 50 por mês, por
 
família, como uma forma de compensação pelos
 
serviços que prestam. [...]
 
Tezza é economista e acha que a economia é que
30
trará a solução:
 
— A destruição ocorre porque existem incentivos
 
econômicos; precisamos criar os incentivos da proteção.
 
[...]
 
Nas áreas próximas às reservas estaduais, estão
35
instaladas 4.000 famílias e, além de ganharem o Bolsa-
 
Floresta, vão receber recursos para a organização da
 
comunidade.
 
— Trabalhamos com o conceito dos serviços
 
ambientais prestados pela própria floresta em pé e as
40
emissões evitadas pela proteção contra o
 
desmatamento. Isso é um ativo negociado no mercado
 
voluntário de redução das emissões — diz Tezza.
 
Atualmente a equipe da Fundação está dedicada a
 
um trabalho exaustivo: ir a cada uma das comunidades,
45
viajando dias e dias pelos rios, para cadastrar todas
 
as famílias. A Fundação trabalha mirando dois mapas.
 
Um mostra o desmatamento atual, que é pequeno.
 
Outro projeta o que acontecerá em 2050 se nada for feito.
 
Mesmo no Amazonas, onde a floresta é mais preserva-
50
da, os riscos são visíveis. Viajei por uma rodovia estadual
 
que liga Manaus a Novo Airão. À beira da estrada, vi
 
áreas recentemente desmatadas, onde a fumaça ainda
 
sai de troncos queimados. [...]
LEITÃO, Miriam. In: Jornal O Globo. 19 jul. 2008. (adaptado)
Assinale a afirmativa em que a palavra “onde” está usada corretamente.

Questão 16

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
O Real Forte Príncipe da Beira foi inaugurado em 20 de agosto de 1783 e constitui hoje o mais antigo monumento histórico de Rondônia. A construção do Forte obedeceu aos seguintes objetivos da Coroa Portuguesa:

I - defender as fronteiras portuguesas dos confrontos contra os espanhóis;
II - pacificar os movimentos nativistas e emancipacionistas que ocorriam na Amazônia;
III - intensificar a atividade comercial ao longo dos rios Guaporé, Mamoré e Madeira;
IV - fixar como territórios portugueses as terras ao longo do rio Amazonas.

Estão corretas as afirmativas

Questão 17

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A história da ocupação luso-brasileira na Amazônia e, em especial, no Estado de Rondônia remonta ao começo do século XVIII, a partir da descoberta de grandes jazidas de ouro. Essas descobertas

Questão 18

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A abertura do eixo viário BR-364 trouxe para Rondônia um aumento em seu crescimento populacional, colocando um fim ao isolamento rodoviário do Estado em relação às demais regiões do país. Entretanto, a partir de 1980,

Questão 19

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
As tentativas de construção da Estrada de Ferro Madeira- Mamoré foram muitas durante o século XIX, porém somente com a assinatura do Tratado de Petrópolis, em 1903, a obra foi finalmente incrementada. Em 1912, concluía-se a ferrovia cuja saga da construção havia se iniciado em 1872. Sobre a saga da construção, assinale a afirmativa correta.

Questão 20

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
As discussões em torno das obras da hidrelétrica de Santo Antônio - a primeira do complexo hidroviário e hidrelétrico no Rio Madeira, em Rondônia, permitem refletir sobre a necessidade de crescimento econômico e os danos que isso pode provocar ao meio ambiente. Sobre estes fatos, é correto afirmar que

Questão 21

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Considere as seguintes características:

I - desenvolvimento industrial;
II - aceleração da mudança;
III - estabilidade.

Aquela(s) que representa(m) a Era Industrial Neoclássica da Administração é(são) SOMENTE a

Questão 22

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Sabendo-se que esta estrutura é funcional, é correto afirmar que

Questão 23

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
1
Ainda com relação à estrutura organizacional, no que tange à função administrativa de direção, a comunicação empresarial, para ser bem sucedida, deverá obedecer, primordialmente, à(s)

Questão 24

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A acirrada concorrência requer das organizações a máxima eficiência operacional e a otimização de resultados, o que pode trazer vantagens para a administração, como o lucro, desde que haja planejamento de longo prazo. Sob esta ótica, uma empresa deve efetivar, no longo prazo, estratégias e metas desenvolvidas em seus planos estratégicos. A visão de futuro dessa empresa define o planejamento

Questão 25

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
O Regimento Interno do TJ/RO, em sua seção I, artigos 86 e 89, discorre sobre indicação, promoção e nomeação de futuros desembargadores, a saber:

Art. 86. Ressalvado o critério de nomeação previsto no art. 94 da Constituição da República, a investidura no cargo de desembargador será feita por promoção, segundo os critérios alternados de antigüidade e merecimento.
Art. 89. Tratando-se de promoção por merecimento, o Corregedor-Geral da Justiça, antes de iniciada a votação, fará uma exposição detalhada sobre a vida funcional de cada juiz promovível, com base no prontuário respectivo, nos registros do Conselho da Magistratura e da Corregedoria-Geral da Justiça, inclusive Divisão de Estatística.
Disponível em: http://www.tj.ro.gov.br/institu/RegimentoInterno.doc

Os itens grifados representam a forma organizacional conhecida como avaliação de desempenho funcional, cuja essência é

Questão 26

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
O recrutamento interno se traduz pelo preenchimento dos cargos vagos por funcionários selecionados e posteriormente promovidos pela organização, tendo as seguintes características: Das características abaixo:

I - redução do custo de contratação, pela minimização de processos;
II - minimização do hiato funcional, dada a otimização operacional;
III - ampliação das unidades de controle, em virtude da qualificação funcional.

Representa(m) vantagem(ns) do processo de recrutamento interno SOMENTE a(s) característica(s)

Questão 27

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Remuneração é o processo que envolve todas as formas de pagamento e recompensas aos funcionários decorrentes do seu emprego, sendo as recompensas os valores efetivamente pagos (CHIAVENATO, 2004). A esse respeito, considere as seguintes variáveis:

I - férias, gorjetas e comissões;
II - gratificações, 13º salário e adicionais;
III - férias, prêmios e decorrências dos benefícios.

As variáveis que representam recompensas financeiras indiretas estão corretas SOMENTE em

Questão 28

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
É inegável a importância da área de Gestão de Pessoas, sendo ela contingencial, situacional e dependente das culturas, negócios, amplitude, tecnologia, processos e outras variáveis (CHIAVENATO, 2004), permitindo, portanto, em relação à administração de recursos humanos:

I - ajudar a organização a alcançar seus objetivos e realizar sua missão;
II - proporcionar competitividade à organização;
III - proporcionar à organização pessoas bem treinadas e motivadas;
IV - aumentar a satisfação das pessoas no trabalho.

São contribuições da administração de recursos humanos para a eficácia organizacional:

Questão 29

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Em seu sítio eletrônico http://www.tj.ro.gov.br, o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia disponibiliza a consulta ao campo “Instituição”, onde podem ser obtidas informações sobre comarcas, estrutura organizacional, organograma e histórico, dentre outras possibilidades de pesquisa. A complexidade do TJ/RO traduz o conceito de administração que compreende

Questão 30

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Das características que Antônio, funcionário de carreira do TJ, apresenta em seu trabalho, a que NÃO representa o conceito de eficiência é

Questão 31

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Para melhor compreensão das peculiaridades do Poder Judiciário Rondoniense, é imprescindível que se faça um breve histórico do Estado (...). O Território do Guaporé teve seu nome alterado para Território Federal de Rondônia através da Lei nº 2.731, de 17 de fevereiro de 1956. O nome Rondônia vem da indicação de Roquete Pinto, (...) sugeriu que se denominasse Terras de Rondônia em homenagem a Cândido Mariano da Silva Rondon. Enquanto território, o Poder Judiciário funcionava de forma adequada à realidade. Com a criação do Estado, fez-se necessária, também, a criação do Poder Judiciário Estadual. Em 22-12-81, através da Lei complementar Federal nº 041/81, foi criado o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.
Disponível em: http://www.tj.ro.gov.br/admweb/faces/jsp/exibePagina.jsp

O TJ, por sua natureza organizacional, reflete a definição do processo de efetividade administrativa que compreende:

Questão 32

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Uma das abordagens administrativas mais impactantes é o compromisso com a qualidade que, por definição, é a capacidade de atender, durante muito tempo, às expectativas do cliente (CHIAVENATO, 2004). O moderno conceito de qualidade em serviços ou em produtos corresponde à busca

Questão 33

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Na administração de recursos materiais e patrimoniais, quando se trata de materiais que possuam normas técnicas ou quando há condições de fornecer todos os dados conhecidos de um material, é utilizado o tipo de padronização de especificação por

Questão 34

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Numa organização, quando da avaliação de fornecedores de materiais e serviços, os fornecedores devem ser constante e sistematicamente avaliados quanto ao desempenho de seus fornecimentos. Dentre os critérios que devem ser levados em consideração na avaliação, estão:

Questão 35

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
As empresas geralmente mantêm um grande número de itens em estoque, que necessitam de um controle efetivo a um custo o menor possível. Para este tipo de controle ser exercido com eficiência e eficácia, é utilizado o critério denominado

Questão 36

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Do ponto de vista da logística, as operações de distribuição física abrangem um ciclo de atividades para expedição de pedidos que incluem, não necessariamente nesta ordem,

Questão 37

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Um investidor que aplicou um capital durante 25 meses, à taxa de juros simples de 2,0% ao mês, resgatou, no final da operação, R$ 25.000,00 de juros. Qual o valor, em reais, aplicado por esse investidor?

Questão 38

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Um capital de R$ 25.000,00, aplicado por 6 meses, obtém um montante de R$ 28.992,33. A taxa mensal de juros compostos, aplicada neste caso, foi

Questão 39

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Uma empresa obtém do Banco um crédito de R$ 23.335,00, correspondente a uma duplicata descontada, pelo prazo de 28 dias, a uma taxa de juros simples de 2,48% ao mês. O valor, em reais, da duplicata levada ao Banco pela empresa foi

Questão 40

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Uma empresa está analisando a possibilidade de realizar um determinado investimento no montante de R$ 1.200.000,00. Os benefícios de caixa, em reais, trazidos por este investimento são:

1º ano: 250.000,00;
2º ano: 500.000,00;
3º ano: 650.000,00;
4º ano: 300.000,00.

Sabendo-se que a expectativa da empresa é de um retorno mínimo de 15% ao ano, e que a Taxa Interna de Retorno é de 14,78% ao ano, o Valor Presente Líquido (VPL) desse investimento, em reais, será

Questão 41

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Entre as diversas receitas públicas abaixo, identifique a que se caracteriza como receita de capital.

Questão 42

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Os estágios da despesa pública são:

Questão 43

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Em relação ao mecanismo de débito e crédito, tem-se que

Questão 44

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A Empresa Delfos Ltda. prestou serviços de consultoria sobre Informática à Empresa Grécia Ltda., em 15 de março de 2008. Ao final do mês, emitiu uma fatura de R$ 850,00 referente a esses serviços prestados, com prazo de recebimento para 10 de abril de 2008. Qual o lançamento, sem data e histórico, para registrar essa operação na Empresa Delfos, em reais, em 31 de março de 2008?

Questão 45

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
São entidades da Administração Pública Indireta:

Questão 46

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
São elementos do ato administrativo:

Questão 47

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
Quanto aos princípios da administração pública, analise as assertivas abaixo.

I - Viola o princípio da segurança jurídica a aplicação retroativa de nova interpretação jurídica conferida pela Administração Pública a um mesmo dispositivo legal.
II - Com base no princípio da supremacia do interesse público sobre o privado, é lícito ao Estado desapropriar qualquer bem particular, mesmo sem que haja prévia indenização.
III - O princípio da razoável duração do processo, inserido na Constituição da República pela Emenda nº 45/04 (Reforma do Judiciário), não se aplica aos processos administrativos. É(São) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s)

Questão 48

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
São modalidades de licitação:

Questão 49

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A respeito do controle da Administração Pública, é correto afirmar que

Questão 50

TJ/RO 2008 - CESGRANRIO - Agente Judiciário - Administrador
A Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei nº 101, de 04 de maio de 2000) estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, com aplicação



Provas de Concursos » Cesgranrio 2008