×
Agente Administrativo Fiscal de Tributos Técnico em Informática Assistente Social Contador Pedagogo Técnico Ambiental Técnico de Enfermagem Agente de Controle Interno
×

Pref. Imigrantes/ES 2016

Enfermeiro

Questão 1

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
Um levantamento do Ministério Público de São Paulo traz um dado revelador: dois terços dos jovens infratores da
 
capital paulista fazem parte de famílias que não têm um pai dentro de casa. Além de não viverem com o pai, 42% não
 
têm contato algum com ele e 37% têm parentes com antecedentes criminais.
 
Ajudam a engrossar essas estatísticas os garotos Waldik Gabriel, de 11 anos, morto em Cidade Tiradentes, Zona
5
Leste de São Paulo, depois de fugir da Guarda Civil Metropolitana, e Ítalo, de 10 anos, envolvido em três ocorrências de
 
roubo só em 2016, morto pela Polícia Militar no início de junho, depois de furtar um carro na Zona Sul da cidade. O pai
 
de Waldik é caminhoneiro e não vivia com a mãe. O de Ítalo está preso por tráfico. A mãe já cumpriu pena por furto e
 
roubo.
 
É certo que um pai presente e próximo ao filho faz diferença. Mas, mais que a figura masculina propriamente dita,
10
faz falta uma família estruturada, independentemente da configuração, que dê atenção, carinho, apoio, noções de
 
continência e limite, elementos que protegem os jovens em fase de desenvolvimento.
 
A mãe e a avó, nessa família brasileira que cresce cada vez mais matriarcal, desdobram-se para tentar cumprir
 
esses requisitos e preencher as lacunas, mas são “atropeladas” pela rotina dura. Muitas vezes, não têm tempo, energia,
 
dinheiro e voz para lidar com esses garotos e garotas que crescem na rua, longe da escola, em bairros sem
15
equipamentos de esporte e cultura, próximos de amigos e parentes que podem estar envolvidos com o crime.
 
A criança precisa ter muita autoestima e persistência para buscar nesse horizonte nebuloso um projeto de vida.
 
Sem apoio emocional, sem uma escola que estimule seu potencial, sem ter o que fazer com seu tempo livre, sem
 
enxergar uma luz no fim do túnel, ela fica muito mais perto da droga, do tráfico, do delito, da violência e da gestação na
 
adolescência. É nessa mesma família, sem pai à vista, de baixa renda, longe da sala de aula, nas periferias, que pipocam
20
os quase 15% das jovens que são mães na adolescência, taxa alarmante que resiste a baixar nas regiões mais carentes.
 
E o que acontece com essa menina que engravida porque enxerga na maternidade um papel social, uma forma de
 
justificar sua existência no mundo? Iludidas com a perspectiva de estabilizar um relacionamento (a família estruturada
 
que não têm?), elas ficam, usualmente, sozinhas, ainda mais distantes da escola e de seu projeto de vida. O pai da
 
criança some no mundo, e são elas que arcam com o ônus do filho, sobrecarregando um lar que já vivia no limite.
25
Segue-se um ciclo que parece não ter fim.
 
Sem políticas públicas que foquem nessa família mais vulnerável, no apoio emocional e social para esses jovens, em
 
uma escola mais atraente, em projetos de vida, em alternativas de lazer, a realidade diária na vida desses jovens
 
continuará a ser a gravidez na adolescência, a violência e a criminalidade.
(Jairo Bouer, 11/07/2016. Disponível em: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/jairo-bouer/noticia/2016/07/importancia-da-familia- estruturada.html.)


Entre as relevantes justificativas que podem ser apresentadas para a caracterização da instituição “família” indicada no título, destaca-se, no texto,

Questão 2

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O maior país da América Latina, com a maior população católica
 
do mundo, não nasceu de forma tranquila. Neste livro, com o
 
realismo dos documentos originais, vemos claramente a
 
brutalidade do extermínio dos índios na costa brasileira, berço de
5
sangue cujo marco determinante é a fundação da cidade do Rio
 
de Janeiro.
 
O Brasil real começou a ser construído por homens como o
 
degredado João Ramalho, que raspava os pelos do corpo para se
 
mesclar aos índios e construiu um exército de mestiços caçadores
10
de escravos mais poderoso que o da própria Coroa; personagens
 
improváveis como o jesuíta Manoel da Nóbrega, padre gago
 
incumbido de catequizar um povo de língua indecifrável, esteio
 
da erradicação dos “hereges” antropófagos; líderes implacáveis
 
como Aimberê, ex-escravo que tomou a frente da resistência e
15
Cunhambebe, cacique “imortal”, que dizia poder devorar carne
 
humana porque era “um jaguar”.
 
Incluindo protestantes franceses, que se aliaram aos índios para
 
escapar dos portugueses e da Inquisição, além de mamelucos, os
 
primeiros brasileiros verdadeiramente ligados à terra, que
20
falavam tupi tanto quanto o português e partiram do planalto de
 
Piratininga para caçar índios e estenderam a colônia sertão
 
adentro, surge um povo que desde a origem nada tem da
 
autoimagem do “brasileiro cordial”.
(Texto da orelha do livro A conquista do Brasil, de Thales Guaracy, Planeta, Rio de Janeiro, 2015)
O texto 1, retirado da orelha do livro indicado, tem como finalidade destacar qualidades da obra a que alude; NÃO é uma dessas qualidades o seguinte tópico:

Questão 3

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
Um levantamento do Ministério Público de São Paulo traz um dado revelador: dois terços dos jovens infratores da
 
capital paulista fazem parte de famílias que não têm um pai dentro de casa. Além de não viverem com o pai, 42% não
 
têm contato algum com ele e 37% têm parentes com antecedentes criminais.
 
Ajudam a engrossar essas estatísticas os garotos Waldik Gabriel, de 11 anos, morto em Cidade Tiradentes, Zona
5
Leste de São Paulo, depois de fugir da Guarda Civil Metropolitana, e Ítalo, de 10 anos, envolvido em três ocorrências de
 
roubo só em 2016, morto pela Polícia Militar no início de junho, depois de furtar um carro na Zona Sul da cidade. O pai
 
de Waldik é caminhoneiro e não vivia com a mãe. O de Ítalo está preso por tráfico. A mãe já cumpriu pena por furto e
 
roubo.
 
É certo que um pai presente e próximo ao filho faz diferença. Mas, mais que a figura masculina propriamente dita,
10
faz falta uma família estruturada, independentemente da configuração, que dê atenção, carinho, apoio, noções de
 
continência e limite, elementos que protegem os jovens em fase de desenvolvimento.
 
A mãe e a avó, nessa família brasileira que cresce cada vez mais matriarcal, desdobram-se para tentar cumprir
 
esses requisitos e preencher as lacunas, mas são “atropeladas” pela rotina dura. Muitas vezes, não têm tempo, energia,
 
dinheiro e voz para lidar com esses garotos e garotas que crescem na rua, longe da escola, em bairros sem
15
equipamentos de esporte e cultura, próximos de amigos e parentes que podem estar envolvidos com o crime.
 
A criança precisa ter muita autoestima e persistência para buscar nesse horizonte nebuloso um projeto de vida.
 
Sem apoio emocional, sem uma escola que estimule seu potencial, sem ter o que fazer com seu tempo livre, sem
 
enxergar uma luz no fim do túnel, ela fica muito mais perto da droga, do tráfico, do delito, da violência e da gestação na
 
adolescência. É nessa mesma família, sem pai à vista, de baixa renda, longe da sala de aula, nas periferias, que pipocam
20
os quase 15% das jovens que são mães na adolescência, taxa alarmante que resiste a baixar nas regiões mais carentes.
 
E o que acontece com essa menina que engravida porque enxerga na maternidade um papel social, uma forma de
 
justificar sua existência no mundo? Iludidas com a perspectiva de estabilizar um relacionamento (a família estruturada
 
que não têm?), elas ficam, usualmente, sozinhas, ainda mais distantes da escola e de seu projeto de vida. O pai da
 
criança some no mundo, e são elas que arcam com o ônus do filho, sobrecarregando um lar que já vivia no limite.
25
Segue-se um ciclo que parece não ter fim.
 
Sem políticas públicas que foquem nessa família mais vulnerável, no apoio emocional e social para esses jovens, em
 
uma escola mais atraente, em projetos de vida, em alternativas de lazer, a realidade diária na vida desses jovens
 
continuará a ser a gravidez na adolescência, a violência e a criminalidade.
(Jairo Bouer, 11/07/2016. Disponível em: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/jairo-bouer/noticia/2016/07/importancia-da-familia- estruturada.html.)


Quanto à pontuação, a reescrita do trecho “A mãe e a avó, nessa família brasileira que cresce cada vez mais matriarcal, desdobram-se para tentar cumprir esses requisitos e preencher as lacunas, mas são ‘atropeladas’ pela rotina dura.” (4º§) manteria a correção gramatical de acordo com:

Questão 4

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
Um levantamento do Ministério Público de São Paulo traz um dado revelador: dois terços dos jovens infratores da
 
capital paulista fazem parte de famílias que não têm um pai dentro de casa. Além de não viverem com o pai, 42% não
 
têm contato algum com ele e 37% têm parentes com antecedentes criminais.
 
Ajudam a engrossar essas estatísticas os garotos Waldik Gabriel, de 11 anos, morto em Cidade Tiradentes, Zona
5
Leste de São Paulo, depois de fugir da Guarda Civil Metropolitana, e Ítalo, de 10 anos, envolvido em três ocorrências de
 
roubo só em 2016, morto pela Polícia Militar no início de junho, depois de furtar um carro na Zona Sul da cidade. O pai
 
de Waldik é caminhoneiro e não vivia com a mãe. O de Ítalo está preso por tráfico. A mãe já cumpriu pena por furto e
 
roubo.
 
É certo que um pai presente e próximo ao filho faz diferença. Mas, mais que a figura masculina propriamente dita,
10
faz falta uma família estruturada, independentemente da configuração, que dê atenção, carinho, apoio, noções de
 
continência e limite, elementos que protegem os jovens em fase de desenvolvimento.
 
A mãe e a avó, nessa família brasileira que cresce cada vez mais matriarcal, desdobram-se para tentar cumprir
 
esses requisitos e preencher as lacunas, mas são “atropeladas” pela rotina dura. Muitas vezes, não têm tempo, energia,
 
dinheiro e voz para lidar com esses garotos e garotas que crescem na rua, longe da escola, em bairros sem
15
equipamentos de esporte e cultura, próximos de amigos e parentes que podem estar envolvidos com o crime.
 
A criança precisa ter muita autoestima e persistência para buscar nesse horizonte nebuloso um projeto de vida.
 
Sem apoio emocional, sem uma escola que estimule seu potencial, sem ter o que fazer com seu tempo livre, sem
 
enxergar uma luz no fim do túnel, ela fica muito mais perto da droga, do tráfico, do delito, da violência e da gestação na
 
adolescência. É nessa mesma família, sem pai à vista, de baixa renda, longe da sala de aula, nas periferias, que pipocam
20
os quase 15% das jovens que são mães na adolescência, taxa alarmante que resiste a baixar nas regiões mais carentes.
 
E o que acontece com essa menina que engravida porque enxerga na maternidade um papel social, uma forma de
 
justificar sua existência no mundo? Iludidas com a perspectiva de estabilizar um relacionamento (a família estruturada
 
que não têm?), elas ficam, usualmente, sozinhas, ainda mais distantes da escola e de seu projeto de vida. O pai da
 
criança some no mundo, e são elas que arcam com o ônus do filho, sobrecarregando um lar que já vivia no limite.
25
Segue-se um ciclo que parece não ter fim.
 
Sem políticas públicas que foquem nessa família mais vulnerável, no apoio emocional e social para esses jovens, em
 
uma escola mais atraente, em projetos de vida, em alternativas de lazer, a realidade diária na vida desses jovens
 
continuará a ser a gravidez na adolescência, a violência e a criminalidade.
(Jairo Bouer, 11/07/2016. Disponível em: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/jairo-bouer/noticia/2016/07/importancia-da-familia- estruturada.html.)


Através de uma enumeração, no quarto parágrafo, são citados itens que – na sua falta – operam dificuldades enfrentadas pela família brasileira, especificamente na figura da mãe e avó, cujo sentido de “Muitas vezes, não têm tempo, energia, dinheiro e voz para lidar com esses garotos e garotas que crescem na rua, longe da escola, em bairros sem equipamentos de esporte e cultura, próximos de amigos e parentes que podem estar envolvidos com o crime.” (4º§)

Questão 5

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
Um levantamento do Ministério Público de São Paulo traz um dado revelador: dois terços dos jovens infratores da
 
capital paulista fazem parte de famílias que não têm um pai dentro de casa. Além de não viverem com o pai, 42% não
 
têm contato algum com ele e 37% têm parentes com antecedentes criminais.
 
Ajudam a engrossar essas estatísticas os garotos Waldik Gabriel, de 11 anos, morto em Cidade Tiradentes, Zona
5
Leste de São Paulo, depois de fugir da Guarda Civil Metropolitana, e Ítalo, de 10 anos, envolvido em três ocorrências de
 
roubo só em 2016, morto pela Polícia Militar no início de junho, depois de furtar um carro na Zona Sul da cidade. O pai
 
de Waldik é caminhoneiro e não vivia com a mãe. O de Ítalo está preso por tráfico. A mãe já cumpriu pena por furto e
 
roubo.
 
É certo que um pai presente e próximo ao filho faz diferença. Mas, mais que a figura masculina propriamente dita,
10
faz falta uma família estruturada, independentemente da configuração, que dê atenção, carinho, apoio, noções de
 
continência e limite, elementos que protegem os jovens em fase de desenvolvimento.
 
A mãe e a avó, nessa família brasileira que cresce cada vez mais matriarcal, desdobram-se para tentar cumprir
 
esses requisitos e preencher as lacunas, mas são “atropeladas” pela rotina dura. Muitas vezes, não têm tempo, energia,
 
dinheiro e voz para lidar com esses garotos e garotas que crescem na rua, longe da escola, em bairros sem
15
equipamentos de esporte e cultura, próximos de amigos e parentes que podem estar envolvidos com o crime.
 
A criança precisa ter muita autoestima e persistência para buscar nesse horizonte nebuloso um projeto de vida.
 
Sem apoio emocional, sem uma escola que estimule seu potencial, sem ter o que fazer com seu tempo livre, sem
 
enxergar uma luz no fim do túnel, ela fica muito mais perto da droga, do tráfico, do delito, da violência e da gestação na
 
adolescência. É nessa mesma família, sem pai à vista, de baixa renda, longe da sala de aula, nas periferias, que pipocam
20
os quase 15% das jovens que são mães na adolescência, taxa alarmante que resiste a baixar nas regiões mais carentes.
 
E o que acontece com essa menina que engravida porque enxerga na maternidade um papel social, uma forma de
 
justificar sua existência no mundo? Iludidas com a perspectiva de estabilizar um relacionamento (a família estruturada
 
que não têm?), elas ficam, usualmente, sozinhas, ainda mais distantes da escola e de seu projeto de vida. O pai da
 
criança some no mundo, e são elas que arcam com o ônus do filho, sobrecarregando um lar que já vivia no limite.
25
Segue-se um ciclo que parece não ter fim.
 
Sem políticas públicas que foquem nessa família mais vulnerável, no apoio emocional e social para esses jovens, em
 
uma escola mais atraente, em projetos de vida, em alternativas de lazer, a realidade diária na vida desses jovens
 
continuará a ser a gravidez na adolescência, a violência e a criminalidade.
(Jairo Bouer, 11/07/2016. Disponível em: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/jairo-bouer/noticia/2016/07/importancia-da-familia- estruturada.html.)


Considerando as estruturas linguísticas apresentadas nos trechos a seguir selecionados, assinale o comentário referente em que há correção.

Questão 6

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O maior país da América Latina, com a maior população católica
 
do mundo, não nasceu de forma tranquila. Neste livro, com o
 
realismo dos documentos originais, vemos claramente a
 
brutalidade do extermínio dos índios na costa brasileira, berço de
5
sangue cujo marco determinante é a fundação da cidade do Rio
 
de Janeiro.
 
O Brasil real começou a ser construído por homens como o
 
degredado João Ramalho, que raspava os pelos do corpo para se
 
mesclar aos índios e construiu um exército de mestiços caçadores
10
de escravos mais poderoso que o da própria Coroa; personagens
 
improváveis como o jesuíta Manoel da Nóbrega, padre gago
 
incumbido de catequizar um povo de língua indecifrável, esteio
 
da erradicação dos “hereges” antropófagos; líderes implacáveis
 
como Aimberê, ex-escravo que tomou a frente da resistência e
15
Cunhambebe, cacique “imortal”, que dizia poder devorar carne
 
humana porque era “um jaguar”.
 
Incluindo protestantes franceses, que se aliaram aos índios para
 
escapar dos portugueses e da Inquisição, além de mamelucos, os
 
primeiros brasileiros verdadeiramente ligados à terra, que
20
falavam tupi tanto quanto o português e partiram do planalto de
 
Piratininga para caçar índios e estenderam a colônia sertão
 
adentro, surge um povo que desde a origem nada tem da
 
autoimagem do “brasileiro cordial”.
(Texto da orelha do livro A conquista do Brasil, de Thales Guaracy, Planeta, Rio de Janeiro, 2015)
O texto 1, retirado da orelha do livro indicado, tem como finalidade destacar qualidades da obra a que alude; NÃO é uma dessas qualidades o seguinte tópico:

Questão 7

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O maior país da América Latina, com a maior população católica
 
do mundo, não nasceu de forma tranquila. Neste livro, com o
 
realismo dos documentos originais, vemos claramente a
 
brutalidade do extermínio dos índios na costa brasileira, berço de
5
sangue cujo marco determinante é a fundação da cidade do Rio
 
de Janeiro.
 
O Brasil real começou a ser construído por homens como o
 
degredado João Ramalho, que raspava os pelos do corpo para se
 
mesclar aos índios e construiu um exército de mestiços caçadores
10
de escravos mais poderoso que o da própria Coroa; personagens
 
improváveis como o jesuíta Manoel da Nóbrega, padre gago
 
incumbido de catequizar um povo de língua indecifrável, esteio
 
da erradicação dos “hereges” antropófagos; líderes implacáveis
 
como Aimberê, ex-escravo que tomou a frente da resistência e
15
Cunhambebe, cacique “imortal”, que dizia poder devorar carne
 
humana porque era “um jaguar”.
 
Incluindo protestantes franceses, que se aliaram aos índios para
 
escapar dos portugueses e da Inquisição, além de mamelucos, os
 
primeiros brasileiros verdadeiramente ligados à terra, que
20
falavam tupi tanto quanto o português e partiram do planalto de
 
Piratininga para caçar índios e estenderam a colônia sertão
 
adentro, surge um povo que desde a origem nada tem da
 
autoimagem do “brasileiro cordial”.
(Texto da orelha do livro A conquista do Brasil, de Thales Guaracy, Planeta, Rio de Janeiro, 2015)
O texto 1, retirado da orelha do livro indicado, tem como finalidade destacar qualidades da obra a que alude; NÃO é uma dessas qualidades o seguinte tópico:

Questão 8

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O maior país da América Latina, com a maior população católica
 
do mundo, não nasceu de forma tranquila. Neste livro, com o
 
realismo dos documentos originais, vemos claramente a
 
brutalidade do extermínio dos índios na costa brasileira, berço de
5
sangue cujo marco determinante é a fundação da cidade do Rio
 
de Janeiro.
 
O Brasil real começou a ser construído por homens como o
 
degredado João Ramalho, que raspava os pelos do corpo para se
 
mesclar aos índios e construiu um exército de mestiços caçadores
10
de escravos mais poderoso que o da própria Coroa; personagens
 
improváveis como o jesuíta Manoel da Nóbrega, padre gago
 
incumbido de catequizar um povo de língua indecifrável, esteio
 
da erradicação dos “hereges” antropófagos; líderes implacáveis
 
como Aimberê, ex-escravo que tomou a frente da resistência e
15
Cunhambebe, cacique “imortal”, que dizia poder devorar carne
 
humana porque era “um jaguar”.
 
Incluindo protestantes franceses, que se aliaram aos índios para
 
escapar dos portugueses e da Inquisição, além de mamelucos, os
 
primeiros brasileiros verdadeiramente ligados à terra, que
20
falavam tupi tanto quanto o português e partiram do planalto de
 
Piratininga para caçar índios e estenderam a colônia sertão
 
adentro, surge um povo que desde a origem nada tem da
 
autoimagem do “brasileiro cordial”.
(Texto da orelha do livro A conquista do Brasil, de Thales Guaracy, Planeta, Rio de Janeiro, 2015)
O texto 1, retirado da orelha do livro indicado, tem como finalidade destacar qualidades da obra a que alude; NÃO é uma dessas qualidades o seguinte tópico:

Questão 9

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O maior país da América Latina, com a maior população católica
 
do mundo, não nasceu de forma tranquila. Neste livro, com o
 
realismo dos documentos originais, vemos claramente a
 
brutalidade do extermínio dos índios na costa brasileira, berço de
5
sangue cujo marco determinante é a fundação da cidade do Rio
 
de Janeiro.
 
O Brasil real começou a ser construído por homens como o
 
degredado João Ramalho, que raspava os pelos do corpo para se
 
mesclar aos índios e construiu um exército de mestiços caçadores
10
de escravos mais poderoso que o da própria Coroa; personagens
 
improváveis como o jesuíta Manoel da Nóbrega, padre gago
 
incumbido de catequizar um povo de língua indecifrável, esteio
 
da erradicação dos “hereges” antropófagos; líderes implacáveis
 
como Aimberê, ex-escravo que tomou a frente da resistência e
15
Cunhambebe, cacique “imortal”, que dizia poder devorar carne
 
humana porque era “um jaguar”.
 
Incluindo protestantes franceses, que se aliaram aos índios para
 
escapar dos portugueses e da Inquisição, além de mamelucos, os
 
primeiros brasileiros verdadeiramente ligados à terra, que
20
falavam tupi tanto quanto o português e partiram do planalto de
 
Piratininga para caçar índios e estenderam a colônia sertão
 
adentro, surge um povo que desde a origem nada tem da
 
autoimagem do “brasileiro cordial”.
(Texto da orelha do livro A conquista do Brasil, de Thales Guaracy, Planeta, Rio de Janeiro, 2015)
O texto 1, retirado da orelha do livro indicado, tem como finalidade destacar qualidades da obra a que alude; NÃO é uma dessas qualidades o seguinte tópico:

Questão 10

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
1
O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, suspendeu a decisão da 2ª Vara Criminal de
 
Duque de Caxias, Rio de Janeiro, que havia bloqueado o serviço do WhatsApp em todo o país nesta terça-feira (19),
 
determinando o restabelecimento imediato do funcionamento do aplicativo.
 
O ministro argumenta que o bloqueio “não se mostra razoável” e gera “insegurança jurídica” a seus usuários. “A
5
suspensão do serviço do aplicativo WhatsApp (...) parece-me violar o preceito fundamental da liberdade de expressão
 
aqui indicado, bem como a legislação de regência sobre o tema. Ademais, a extensão do bloqueio a todo o território
 
nacional afigura-se, quando menos, medida desproporcional ao motivo que lhe deu causa”, escreveu o presidente da
 
Corte.
 
Lewandowski não analisa o mérito do processo, em que a juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza determinou
10
que o Facebook, dono do aplicativo, revele o conteúdo de mensagens para uma investigação policial. Para o ministro, o
 
tema constitui “matéria de alta complexidade técnica, a ser resolvida no julgamento do mérito da própria ação”.
(Bruno Boghossian. 19/07/2016. Disponível em: http://epoca.globo.com/vida/experiencias-digitais/noticia/2016/07/lewandowski-cita-direito- liberdade-de-expressao-ao-suspender-bloqueio-do-whatsapp.html.)


Em “[...] medida desproporcional ao motivo que lhe deu causa [...]” (2º§) o termo destacado é utilizado de forma anafórica, estabelecendo retomada que tem como referente:

Questão 11

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Em qualquer processo de comunicação, quatro elementos básicos podem ser identificados, ou seja, a fonte da informação; a informação propriamente dita; o veículo pelo qual a informação é transmitida; e, o receptor da informação. Baseado nesses quatro elementos pode-se concluir que seis elementos são a base da comunicação de dados em um sistema computacional, que são: transmissor; codificador; meio; receptor; decodificador; e, mensagem.

Existem diferentes aplicações em comunicação de dados; uma dessas requer, em cada estação remota, um terminal inteligente e, nessa estação, durante um determinado período são executadas operações off-line. Assinale a alternativa que apresenta corretamente essa aplicação.

Questão 12

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Um sistema de banco de dados é uma coleção de dados que estão inter-relacionados e também de um conjunto de programas que tem como função a permissão aos usuários para acessar e modificar tais dados. Um dos modelos de dados, o relacional, tem como base uma coleção de tabelas. Acerca do modelo relacional, é correto afirmar que “______________ de uma relação refere-se ao seu projeto lógico; e, ______________ da relação refere-se ao seu conteúdo em um ponto no tempo”. Assinale a alternativa que complementa correta e sequencialmente a afirmativa anterior.

Questão 13

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Um sistema operacional, no geral, tem como funções: o gerenciamento de processos, o gerenciamento de memória, o sistema de arquivos e a entrada e saída de dados. Independente do sistema operacional utilizado, essas funções são executadas. Os sistemas operacionais podem ser classificados em relação ao seu projeto, ou seja, a arquitetura quanto ao gerenciamento de processos e ao número de usuários que podem utilizar o sistema simultaneamente.

Sobre a classificação dos sistemas operacionais, assinale A (Arquitetura) e P (Processos) nos sistemas apresentados a seguir.

( ) Sistema em camadas.

( ) Monitor de máquinas virtuais.

( ) Multiprogramação.

( ) Micronúcleo.

( ) Multitarefa.

A sequência está correta em

Questão 14

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


O processador, também conhecido como CPU (Central Processing Unit – Unidade Central de Processamento) é o coração do computador, e o responsável por executar todas as instruções dentro dele, que só entende a linguagem binária, ou seja, tudo o que é digitado nele é convertido para a linguagem binária, 0 e 1. A CPU tem dois componentes fundamentais, que são a base de toda execução de instruções e operações executadas no computador. Assinale-os.

Questão 15

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


O MS-DOS (Microsoft Disk Operation System – Sistema Operacional de Disco) foi um dos primeiros sistemas operacionais da Microsoft. Não tem Interface Gráfica, mas muitos de seus comandos ainda são utilizados até hoje pelo Prompt de Comandos dos sistemas Windows. A Interface Gráfica facilita o trabalho em um computador pelas facilidades e agilidades que proporciona. Com o uso da Interface Gráfica, para saber o conteúdo de uma pasta (diretório), basta fazer uso do mouse ou de uma sequência de teclas, e se consegue ver o conteúdo da pasta. Com o MS-DOS, para saber o conteúdo de uma pasta é necessária a utilização do comando DIR, que mostra todos os arquivos e pastas de um diretório e busca arquivos em um drive especificado. Sua sintaxe é: dir [drive:\][caminho\] arquivo(s) [opções] (Os colchetes são apenas ilustrativos). Assinale a alternativa que apresenta o comando completo para mostrar apenas as informações básicas de uma pasta.

Questão 16

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
“É um serviço vinculado ao Sistema Único de Saúde (SUS), constituído por serviços ambulatoriais de alta complexidade e elevado custo.” Trata-se do serviço de atenção

Questão 17

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A redistribuição das responsabilidades quanto as ações e serviços de saúde entre os vários níveis de governo é um princípio de organização do SUS denominado:

Questão 18

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A participação popular junto ao SUS deve se dar via Conselhos de Saúde com representação partidária de:

I. Usuários do SUS.

II. Profissionais de saúde que atuam no SUS.

III. Representantes governamentais.

Estão corretas as alternativas

Questão 19

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
“Conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva.” A descrição anterior se refere a:

Questão 20

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


O elevado poder de transmissão de uma doença, através de vetores ou outras fontes de infecção, colocando sob risco a saúde coletiva é um critério importante para sua notificação e é definido como:

Questão 21

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
É um tipo de dinâmica de disseminação de doença, a qual atinge uma pequena área geográfica delimitada ou população institucionalizada (creches, escolas etc). Essa dinâmica é caracterizada como

Questão 22

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
É uma doença endêmica em algumas áreas do Brasil cujo controle se dá com vigilância em animais reservatórios (como os cães) e controle do vetor, popularmente conhecido como mosquito palha. Essas são consideradas medidas de controle da:

Questão 23

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
“Sabe-se que em uma determinada área houve um problema de drenagem urbana e, consequentemente, uma grande inundação, que resultou em 50 casos de leptospirose e 5 pessoas foram a óbito por essa doença.” A partir desses dados, é correto afirmar que:

Questão 24

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A Lei nº 8080 de 1990 aborda os objetivos e as atribuições do Sistema Único de Saúde (SUS), que compreendem:

I. A identificação e a divulgação dos fatores condicionantes e determinantes da saúde.

II. A assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde.

III. A formulação de política de saúde.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s)

Questão 25

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
“A fim de efetuar um levantamento sobre mortalidade geral no município é necessário calcular alguns indicadores.”

Para a montagem dos coeficientes de mortalidade geral e de causas específicas, o número de óbitos é dividido por:

Questão 26

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro
“Em quatro anos de funcionamento, o acordo entre o Ministério da Saúde e a Associação das Indústrias da Alimentação (Abia) possibilitou a retirada de 14.893 toneladas de sódio dos produtos alimentícios. A redução equivale a 3.723 caminhões de 10 toneladas carregados de sal. O total preencheria mais de 52 km de uma estrada com todos os caminhões alinhados. A meta é que, até 2020, as indústrias do setor promovam a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro.”
(Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/noticias.php?conteudo=_&cod=2213.)

De acordo com o trecho anterior, o brasileiro ainda apresenta uma percepção pequena sobre o consumo de sal em excesso. Sabendo que o consumo de sódio de todas as fontes alimentares deve ser limitado de maneira a contribuir no controle da pressão arterial e reduzir o risco de doenças coronarianas e acidente vascular encefálico e, que, em 1 g de sal contém 400 mg de sódio, a recomendação máxima de ingestão diária de sal para alcançar uma alimentação saudável e promover a saúde, de acordo com as diretrizes brasileiras, é de

Questão 27

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Diante do diagnóstico de sobrepeso e obesidade durante a gestação, o enfermeiro deve fornecer orientação nutricional com o objetivo de promover hábitos alimentares saudáveis e ganho de peso adequado para esse período.

Sabendo que para o segundo e o terceiro trimestres de gestação o ganho de peso deve ser estimado por semana, a recomendação do Ministério da Saúde do ganho de peso semanal médio para gestantes com sobrepeso deve ser de até:

Questão 28

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


O estado nutricional da gestante deve ser determinado por meio da classificação do IMC por semana gestacional.

Para calcular a semana gestacional sabendo da data da última menstruação (DUM), em mulheres com ciclos menstruais regulares sem uso de métodos anticoncepcionais hormonais, é correto afirmar que a conduta para o cálculo com calendário é de:

Questão 29

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Em 2011 o Ministério da Saúde lançou o plano integrado de ações estratégicas de eliminação da hanseníase, filariose, esquistossomose e oncocercose como problema de saúde pública, tracoma como causa de cegueira e controle das geohelmintíases. O governo do Brasil assumiu, então, o compromisso público de eliminar esses agravos ou reduzir drasticamente a carga dessas doenças. A Organização Mundial da Saúde (OMS) propõe a eliminação do tracoma como causa de cegueira até o ano de 2020. O tracoma é uma ceratoconjuntivite, que evolui cronicamente levando à diminuição progressiva da visão até à cegueira se não tratada. O seu agente etiológico é a bactéria:

Questão 30

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A trombose venosa profunda é uma doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias do sistema profundo, sendo as dos membros inferiores as mais comumente acometidas. A complicação potencial fatal desta doença é:

Questão 31

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Considerando a legislação em enfermagem, sobre a participação do profissional de enfermagem em procedimentos cirúrgicos atuando na função de auxiliar de cirurgia, é correto afirmar que:

Questão 32

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


As infrações éticas e disciplinares ao exercício profissional da enfermagem são caracterizadas em leves, graves ou gravíssimas de acordo com a natureza do ato e a circunstância de cada caso. Conforme o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem, são consideradas infrações leves aquelas que:

Questão 33

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A Atenção Básica tem um papel essencial na identificação dos fatores de risco e no reconhecimento da asma no estágio inicial, para um melhor resultado terapêutico e prognósticos dos casos. São fatores de risco para o desenvolvimento da asma nas crianças de dois a cinco anos de idade com sibilância frequente, EXCETO:

Questão 34

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


O hidrocoloide é uma cobertura utilizada na prevenção e no tratamento de feridas abertas não infectadas, sendo INCORRETO afirmar que:

Questão 35

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A pré-eclâmpsia em gestantes previamente normotensas é caracterizada pelo aparecimento de hipertensão arterial e proteinúria. Diante do exposto, assinale a alternativa correta.

Questão 36

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, causada pelo Mycobacterium leprae, bacilo que tem alta infectividade e baixa patogenicidade. O tratamento recomendado é a poliquimioterapia baseado no número de lesões cutâneas, e o infectado recebe a classificação operacional em paucibacilar ou multibacilar quando apresenta, respectivamente:

Questão 37

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Durante o exame físico do paciente psiquiátrico, a avaliação da consciência refere-se à condição do indivíduo de perceber e estar ciente de si mesmo e do ambiente. Uma das alterações que pode ser observada é a obnubilação da consciência ou turvação que se caracteriza por:

Questão 38

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


A esquizofrenia é uma doença mental crônica com etiologia multifatorial com sintomas psicóticos. A prevalência deste transtorno mantém-se constante na população em geral com taxa de prevalência de 1%; se divide em alguns tipos. O tipo paranoide corresponde a, aproximadamente, 80% dos quadros de esquizofrenia e se caracteriza por

Questão 39

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


As vacinas podem ser classificadas em vivas e não vivas conforme sua composição. As vacinas não vivas conferem imunidade do tipo:

Questão 40

Pref. Imigrantes/ES 2016 - CONSULPLAN - Enfermeiro


Sobre as câmaras refrigeradas, equipamentos recomendados para o armazenamento/condicionamento dos imunobiológicos, é INCORRETO afirmar que:



Provas de Concursos » Consulplan 2016