×
×
TRT 6ª 2012 TRT 6ª 2015 TRT 6ª 2018

TRT 6ª 2006

Analista Judiciário - Área Judiciária

Questão 1

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Depreende-se do texto que a posição do autor, diante dos esforços extremos a que se entregam os atletas de competição, é a de quem:

Questão 2

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
A expressão o esforço pelo esforço permite uma analogia com outras expressões, como o prazer pelo prazer ou dinheiro pelo dinheiro. O elemento comum está no fato de que essas expressões referem-se a situações que:

Questão 3

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Atente para as seguintes afirmações:

I. As ponderações do amigo do autor, reproduzidas logo no início, são relativizadas ou mesmo contestadas pela argumentação desenvolvida em todo o texto.

II. Conclui-se da leitura do terceiro parágrafo que uma nadadora olímpica só encontra real prazer em seu treinamento quando vislumbra a possibilidade de bater um recorde.

III. A alegria natural, demonstrada pelas crianças, quando brincam na água, é lembrada como um contraponto à obsessão pelo desempenho nas competições.

Em relação ao texto, está correto APENAS o que se afirma em:

Questão 4

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam. Aqueles ombros enormes.

As três frases acima estão rearticuladas de forma correta e coerente no seguinte período:

Questão 5

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Tocada a borda da piscina, para onde olham as nadadoras?

Os elementos sublinhados acima podem ser substituídos, respectivamente, sem prejuízo para a correção e para o sentido da frase, por:

Questão 6

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
A frase que NÃO admite transposição para a voz passiva é:

Questão 7

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do plural para preencher de modo correto a lacuna da frase:

Questão 8

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
As crianças amam a água, têm a água como amiga, aproveitam a água como um presente dos céus, extraem da água todos os prazeres que ela oferece.

Evitam-se as repetições viciosas da palavra água da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados, respectivamente, por:

Questão 9

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Está correto o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase:

Questão 10

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
Revelou-me um amigo que era contra o atletismo. Ele
 
perguntava: “Você conhece algum atleta longevo?” E concluía:
 
“Quem vive muito são essas velhinhas que se encontram ao fim
 
da tarde para tomar chá com bolo...” Já viu cavalo treinando os
5
1500 metros? Só quando dominados por homens.
 
As Olimpíadas não são uma manifestação de saúde.
 
São uma exaltação do desejo de ser o maior. Prova disso são
 
os dopings. Os atletas sabem que a coisa faz mal à saúde.
 
Pode matar. Mas uma morte prematura bem vale um lugar no
10
pódio! Aquela máquina de correr, uma atleta negra norte-
 
americana cujo nome esqueci, só músculos, morreu subitamen-
 
te de um ataque cardíaco. Assim, não pensem que os atletas
 
têm boa saúde, que praticam hábitos saudáveis de vida.
 
Lembram-se daquela corredora suíça, ao final da maratona?
15
Era a imagem de um corpo torturado pela dor.
 
Penso também nas nadadoras. Elas me assustam.
 
Aqueles ombros enormes! Acho que meus braços não conse-
 
guiriam abraçar uma delas. E abraço é perda de tempo: é
 
preciso aproveitar o tempo lutando contra a água. São inimigas
20
da água. Isso mesmo. Porque uma pessoa que passa dez anos
 
de sua vida treinando seis horas por dia, não por prazer, mas
 
para sair da piscina um centésimo de segundo à frente da
 
marca olímpica, só pode ter ódio da água. A água é o inimigo a
 
ser vencido. Compare com as crianças. Elas amam a água,
25
nunca querem sair da água, a água é sua companheira de
 
brincadeiras. As nadadoras, ao contrário, não brincam com a
 
água, lutam contra ela. Tocada a borda da piscina, para onde
 
olham as nadadoras? Elas olham para o placar onde aparece o
 
tempo. É isso: é o tempo que elas amam. Quanto mais de-
30
pressa, melhor! Batido um recorde, é só ir atrás de outro.
(Adaptado de texto extraído do site de Rubem Alves − Quarto de badulaques)
Está clara, coerente e correta a redação do seguinte comentário sobre o texto:

Questão 11

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
A penosa batalha a que se refere o autor, e que é por ele caracterizada no desenvolvimento do texto, é aquela em que se confrontam os processos:

Questão 12

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Depreende-se da perspectiva assumida pelo autor que a individuação:

Questão 13

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Considerando-se o contexto, traduz-se corretamente o sentido de uma expressão do texto em:

Questão 14

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
As normas de concordância estão plenamente respeitadas na frase:

Questão 15

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
São os subterfúgios ilusórios que nos levam a admirar a imagem nossa construída pelos outros.

Uma outra forma clara e correta de se redigir o que expressa a frase acima é:

Questão 16

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
É preciso corrigir a flexão de uma forma verbal em:

Questão 17

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Está inteiramente correta a pontuação do seguinte período:

Questão 18

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Nas antigas aristocracias, o que se ...... da imagem pública de um indivíduo ...... que ela ...... aos parâmetros de honra e decoro que ...... a vida da corte.

Haverá correta articulação entre os tempos verbais caso se preencham as lacunas da frase acima, na ordem dada, com as seguintes formas verbais:

Questão 19

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Quanto à observância do sinal de crase, a frase inteiramente correta é:

Questão 20

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
1
O processo de se tornar de fato um indivíduo é muito
 
custoso, tão custoso que preferimos investir todos os recursos
 
disponíveis em evitar enfrentar essa batalha penosa, que é de
 
todos nós.
5
Salvo engano, é por essa razão que gastamos tanto
 
tempo investindo num egocentrismo que é, paradoxalmente,
 
autodestrutivo. Quando nos fixamos apenas na satisfação dos
 
nossos desejos, na glorificação da nossa imagem pessoal ou no
 
atendimento de todos os apetites, acabamos sendo privados do
10
prazer maior, que é descobrir quem de fato somos.
 
A farsa mais poderosa do egocentrismo está em que ele
 
acena com a ilusão de que estamos pensando em nós mesmos
 
e encontrando uma satisfação inteiramente legítima e pessoal,
 
quando na verdade estamos nos tornando prisioneiros dos
15
outros, dos valores que os outros nos impõem como
 
verdadeiros.
 
O grave equívoco está, pois, em que atendamos aos
 
instintos que brotam das regiões mais sombrias do nosso ser
 
sem nos darmos conta de que isso pode nos afastar de um
20
conhecimento mais profundo de nós mesmos. O que a
 
individuação requer é que deixemos de lado o conforto fácil e os
 
subterfúgios ilusórios para encararmos de modo corajoso as
 
nossas fraquezas, o nosso vazio. Qualquer coisa que se
 
interponha nesse processo de auto-análise faz-nos desviar
25
nossos olhos de nós mesmos, levando-nos a admirar a imagem
 
que gostamos de construir no espelho artificial do egocentrismo.
(Adaptado de texto extraído do site A bacia das almas)
Está correto o emprego do elemento sublinhado em:

Questão 21

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Considere que a tábua abaixo define uma operação ∆, sobre o conjunto E = {1, 2, 3, 4, 5}.


Assim, por exemplo, 5 ∆ (4 ∆ 3) = 5 ∆ 5 = 2.

Nessas condições, se x é um elemento de E, tal que [(4 ∆ 3) ∆ (2 ∆ 5)] ∆ x = 1, então o valor de x é:

Questão 22

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Se na numeração das páginas de um livro foram usados 405 algarismos, quantas páginas tem esse livro?

Questão 23

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
A figura abaixo mostra um triângulo composto por letras do alfabeto e por alguns espaços vazios, nos quais algumas letras deixaram de ser colocadas.


Considerando que a ordem alfabética é a oficial e exclui as letras K, W e Y, então, se as letras foram dispostas obedecendo a determinado critério, a letra que deveria ocupar o lugar do ponto de interrogação é:

Questão 24

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Dois carros encontravam-se estacionados em pontos opostos de uma pista retilínea e, num mesmo instante, um partiu em direção ao outro. Sabe-se que:
− 16 minutos e meio após a partida, ambos se cruzaram na metade da pista;
− os dois carros não perderam tempo ao fazer o retorno a cada chegada ao final da pista;
− as velocidades médias dos dois carros foram mantidas ao longo de todo o percurso.

Se, nessas condições, os carros percorreram tal pista por um período de 2 horas, quantas vezes eles se cruzaram durante o trajeto?

Questão 25

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Observe que no esquema seguinte a disposição das figuras segue um determinado padrão.


De acordo com tal padrão, a figura que completa a série é:

Questão 26

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Uma turma de alunos de um curso de Direito reuniu-se em um restaurante para um jantar de confraternização e coube a Francisco receber de cada um a quantia a ser paga pela participação. Desconfiado que Augusto, Berenice e Carlota não tinham pago as suas respectivas partes, Francisco conversou com os três e obteve os seguintes depoimentos:

Augusto: “Não é verdade que Berenice pagou ou Carlota não pagou.”

Berenice: “Se Carlota pagou, então Augusto também pagou.”

Carlota: “Eu paguei, mas sei que pelo menos um dos dois outros não pagou.”

Considerando que os três falaram a verdade, é correto afirmar que:

Questão 27

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Note que o mesmo padrão foi usado na disposição das pedras de dominó na primeira e na segunda linha do esquema abaixo.


Se a terceira linha deve seguir o mesmo padrão das anteriores, a pedra que tem os pontos de interrogação é:

Questão 28

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Observe a sucessão de igualdades seguintes:

A soma dos cubos dos 20 primeiros números inteiros positivos é um número N tal que:

Questão 29

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Soldando as extremidades de 12 tubos de ferro, cada qual com 2 m de comprimento, um escultor montou uma estrutura com a forma de um cubo. Se fosse possível caminhar pelas arestas desse cubo, qual seria a maior distância que se poderia percorrer partindo-se de um vértice e, sem passar por um mesmo vértice duas vezes ou pela mesma aresta duas vezes, retornar ao ponto de partida?

Questão 30

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
O Mini Sudoko é um interessante jogo de raciocínio lógico.

Ele consiste de 36 quadrados de uma grade 6 X 6, subdividida em seis grades menores de 3 X 2. O objetivo do jogo é preencher os espaços em branco com os números de 1 a 6, de modo que os números colocados não sejam repetidos nas linhas e nem nas colunas da grade maior, e nem nas grades menores, como mostra o exemplo abaixo.


Observe que no esquema do jogo seguinte duas das casas em branco foram sombreadas. Você deve preencher o esquema de acordo com as regras do jogo, para descobrir quais números deverão ser colocados corretamente nessas duas casas.


Assim, a soma dos números que deverão ocupar as casas sombreadas é igual a:

Questão 31

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Os prazos conferidos pela CLT ao Executante de Mandados para realização dos atos decorrentes da execução e para realização da avaliação, são, respectivamente, de:

Questão 32

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Na direção do processo, os Juízes e os Tribunais do Trabalho:

Questão 33

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Terão preferência as reclamações trabalhistas:

Questão 34

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
É competente para conhecer e julgar reclamação trabalhista ajuizada por empregado, que tem domicílio em Caruaru e foi contratado em Recife, tendo prestado serviços em Cabo de Santo Agostinho para instituição bancária, cuja matriz está situada em São Paulo, a Vara do Trabalho de:

Questão 35

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Ao contestar uma reclamação trabalhista em que o reclamante postula verbas rescisórias decorrentes da despedida injusta, a empresa alegou justa causa para a rescisão do contrato de trabalho. Nesse caso, o ônus da prova incumbe:

Questão 36

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Detém a competência para a execução de título executivo extrajudicial:

Questão 37

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Recebido o mandado de citação, o executado tem o prazo de:

Questão 38

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Os bens penhorados serão vendidos em leilão:

Questão 39

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Contra Acórdão proferido em Agravo de Petição por uma das Turmas do Tribunal, com ofensa direta e literal de norma da Constituição Federal, o recurso cabível é o:

Questão 40

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
De acordo com o parágrafo primeiro do artigo 893 da CLT, "os incidentes do processo serão resolvidos pelo próprio Juízo ou Tribunal, admitindo-se a apreciação do merecimento das decisões interlocutórias somente em recursos da decisão definitiva". Este dispositivo consagra o princípio:

Questão 41

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Considere:

I. Morte ou perda da capacidade processual de qualquer das partes.

II. Morte do procurador de uma das partes.

III. Ausência dos pressupostos de constituição e desenvolvimento válido e regular do processo.

IV. Acolhimento de alegação de litispendência.

V. Acolhimento de argüição de decadência ou de prescrição.

Incluem-se dentre as causas de extinção do processo sem resolução de mérito as indicadas APENAS em:

Questão 42

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Paulo e Pedro são réus num processo ordinário. Paulo foi citado por Oficial de Justiça no dia 2 de maio de 2006; o mandado de citação foi juntado aos autos no dia 8 de maio de 2006. Pedro foi citado por precatória no dia 10 de maio de 2006; o mandado de citação foi juntado aos autos da carta precatória no dia 15 de maio de 2006; a precatória devidamente cumprida foi devolvida e juntada aos autos principais no dia 18 de maio de 2006. O prazo para resposta de Paulo começa a correr da data:

Questão 43

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
A respeito da audiência e em conformidade com a lei processual civil, é correto afirmar que:

Questão 44

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Em matéria recursal, o prazo para interpor e para responder é de dez dias:

Questão 45

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
A impenhorabilidade do bem de família é oponível em processo de execução:

Questão 46

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
De acordo com o Código Civil Brasileiro e com relação à Sociedade em Conta de Participação, é correto afirmar:

Questão 47

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
No que se refere à responsabilidade civil, em matéria de Direito Civil, aquele que ressarcir o dano causado por outrem pode reaver o que houver pago daquele por quem pagou, salvo se o causador do dano for seu:

Questão 48

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
De acordo com o Código Civil, a respeito da transmissão das obrigações, considere:

I. Ocorrendo várias cessões do mesmo crédito, prevalece a que se completar com a tradição do título do crédito cedido.

II. Independentemente do conhecimento da cessão pelo devedor, pode o cessionário exercer os atos conservatórios do direito cedido.

III. Na cessão por título oneroso, o cedente, ainda que não se responsabilize, fica responsável ao cessionário pela existência do crédito ao tempo em que lhe cedeu.

IV. Salvo disposição em contrário, a cessão de um crédito não abrangerá todos os seus acessórios por não haver interdependência entre eles. É correto o que consta APENAS em:

Questão 49

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Sendo o trabalho noturno mais penoso ao trabalhador, merece proteção especial consistente em:

Questão 50

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
O empregado contratado sob a modalidade do regime de tempo parcial, que trabalha 18 (dezoito) horas por semana, tem direito a férias de:

Questão 51

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
O contrato de trabalho por prazo determinado:

Questão 52

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
É permitido ao empregador efetuar descontos nos salários dos empregados, desde que tais descontos decorram de:

Questão 53

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Em caso de nascimento de filho, o empregado terá direito a licença-paternidade de:

Questão 54

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Decorridos 10 (dez) dias da apresentação de demanda à Comissão de Conciliação Prévia sem que tenha sido realizada sessão de tentativa de conciliação:

Questão 55

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Com relação às espécies de atos administrativos, são considerados atos administrativos enunciativos a:

Questão 56

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Considere as assertivas a respeito da discricionariedade e vinculação dos atos administrativos:

I. O ato administrativo de exoneração ex officio de funcionário nomeado para cargo de provimento em comissão possui motivo discricionário.

II. Não é possível o controle judicial dos atos administrativos discricionários, uma vez que nesses atos a administração goza de ampla liberdade administrativa.

III. Quando legalmente a ciência de determinado ato ao interessado puder ser dada por meio de publicação ou notificação direta, existirá discricionariedade quanto à forma do ato. É correto o que consta APENAS em:

Questão 57

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Com relação às entidades da administração pública indireta é correto afirmar:

Questão 58

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Em tema de Direitos Sociais, considere:

I. Nas empresas com mais de cem empregados é assegurada a eleição de dois representantes destes com finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empregadores.

II. É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação.

III. É livre a associação profissional ou sindical, sendo permitida a criação de mais de uma organização, em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, não podendo ser superior à área de um Município.

IV. O aposentado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais.

V. São assegurados aos trabalhadores domésticos, além de outros, piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho e remuneração do trabalho noturno superior ao diurno. É correto o que consta APENAS em

Questão 59

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Quanto às emendas constitucionais, é correto afirmar:

Questão 60

TRT 6ª 2006 - FCC - Analista Judiciário - Área Judiciária
Quanto à Justiça do Trabalho, é INCORRETO afirmar que:



Provas de Concursos » Fcc 2006