×
Técnico Administrativo Técnico - Motorista Analista de Redes e Comunicação de Dados Técnico em Informática Analista em Economia Técnico - Oficial de Diligência Analista em Administração Técnico em Contabilidade Analista Jurídico Analista Programador
×

DPE/RO 2015

Analista Contábil

Questão 1

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
Muita gente já não acredita que existam pássaros, a não
 
ser em gravuras ou empalhados nos museus − o que é per-
 
feitamente natural, dado o novo aspecto da terra, que, em lugar
 
de árvores, produz com mais abundância blocos de cimento ar-
5
mado. Mas ainda há pássaros, sim. Existem tantos, ao redor da
 
minha casa, que até agora não tive (nem creio que venha a ter)
 
tempo de saber seus nomes, conhecer suas cores, entender sua
 
linguagem. Porque evidentemente os pássaros falam. Há muitos,
 
muitos anos, no meu primeiro livro de inglês, se lia: “Dizem que o
10
sultão Mamude entendia a linguagem dos pássaros ...”
 
Quando ouço um gorjeio nestas mangueiras e cipres-
 
tes, logo penso no sultão e nessa linguagem que ele entendia.
 
Fico atenta, mas não consigo traduzir nada. No entanto, bem
 
sei que os pássaros estão conversando.
15
O papagaio e a arara, esses aprendem o que lhes en-
 
sinam, e falam como doutores. E há o bem-te-vi, que fala portu-
 
guês de nascença, mas infelizmente só diz o próprio nome, de-
 
certo sem saber que assim se chama. [...]
 
Os pais e professores desses passarinhos devem ensi-
20
nar-lhes muitas coisas: a discernir um homem de uma sombra,
 
as sementes e frutas, os pássaros amigos e inimigos, os ga-
 
tos − ah! principalmente os gatos ... Mas essa instrução parece
 
que é toda prática e silenciosa, quase sigilosa: uma espécie de
 
iniciação. Quanto a ensino oral, parece que é mesmo só:
25
“Bem-te-vi! Bem-te-vi!”, que uns dizem com voz rouca, outros
 
com voz suave, e os garotinhos ainda meio hesitantes, sem
 
fôlego para as três sílabas.
(MEIRELES, Cecília. O que se diz e o que se entende. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980, p. 95-96)
De acordo com o texto, a afirmativa correta é:

Questão 2

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
“Quando falo sobre redução da maioridade penal,
 
costumo dizer que a sociedade precisa decidir em que banco
 
quer ver a juventude. Se no banco da escola ou no banco dos
 
réus. Anteontem, o Congresso Nacional sinalizou que prefere a
5
segunda opção. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara
 
dos Deputados aprovou a constitucionalidade da PEC que reduz a
 
maioridade penal de 18 para 16 anos”.
Marcelo Freixo, O Globo, 02/04/2015
O autor do texto 1 apela para algumas estratégias argumentativas; a estratégia identificada de forma correta e adequada ao texto é:

Questão 3

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
“Quando falo sobre redução da maioridade penal,
 
costumo dizer que a sociedade precisa decidir em que banco
 
quer ver a juventude. Se no banco da escola ou no banco dos
 
réus. Anteontem, o Congresso Nacional sinalizou que prefere a
5
segunda opção. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara
 
dos Deputados aprovou a constitucionalidade da PEC que reduz a
 
maioridade penal de 18 para 16 anos”.
Marcelo Freixo, O Globo, 02/04/2015
“Se no banco da escola ou no banco dos réus. Anteontem, o Congresso Nacional sinalizou que prefere a segunda opção”.
A forma correta dos demonstrativos na substituição do termo sublinhado é:

Questão 4

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 5

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A maioria dos eleitores do país rejeitou a redução da maioridade penal no país de 18 para 16 anos para criminosos que cometem delitos graves. Segundo a Corte Eleitoral, 53% dos eleitores foram contra a mudança. A consulta ocorreu no domingo junto com a escolha do sucessor do presidente José Mujica e dos membros do Congresso.
(http://goo.gI/6RNKHV, 27.10.2014)

A notícia trata

Questão 6

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
“Quando falo sobre redução da maioridade penal,
 
costumo dizer que a sociedade precisa decidir em que banco
 
quer ver a juventude. Se no banco da escola ou no banco dos
 
réus. Anteontem, o Congresso Nacional sinalizou que prefere a
5
segunda opção. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara
 
dos Deputados aprovou a constitucionalidade da PEC que reduz a
 
maioridade penal de 18 para 16 anos”.
Marcelo Freixo, O Globo, 02/04/2015
Abaixo foram transcritos trechos de cartas de leitores de um jornal sobre a maioridade penal; a opção cujo posicionamento contraria especificamente uma afirmação do texto 1 é:

Questão 7

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
“Quando falo sobre redução da maioridade penal,
 
costumo dizer que a sociedade precisa decidir em que banco
 
quer ver a juventude. Se no banco da escola ou no banco dos
 
réus. Anteontem, o Congresso Nacional sinalizou que prefere a
5
segunda opção. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara
 
dos Deputados aprovou a constitucionalidade da PEC que reduz a
 
maioridade penal de 18 para 16 anos”.
Marcelo Freixo, O Globo, 02/04/2015
Ao intitular o texto 1 como “O mito da maioridade penal” o autor do texto:

Questão 8

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A UOL Cotidiano lista uma série de razões contra e a favor da redução da maioridade penal; a razão abaixo que NÃO está adequadamente expressa contra a redução é:

Questão 9

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“O Brasil precisa alinhar a sua legislação à de países desenvolvidos como os Estados Unidos, onde, na maioria dos Estados, adolescentes acima de 12 anos de idade podem ser submetidos a processos judiciais da mesma forma que adultos”.
Sobre esse argumento, a afirmação correta é:

Questão 10

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em documento que circula pela Internet estão apontadas 18 razões para que não haja redução da maioridade penal; entre elas, a razão que se apoia em fator sem referência a valor ou desvalor intrínseco da redução é:

Questão 11

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
Argumentativamente falando, as palavras do enunciador do texto 2:

Questão 12

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
“O Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, é uma lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas medidas de proteção e promoção”.
A inclusão de uma vírgula entre os dois segmentos (texto 2) faz supor a implícita existência de um conector entre eles; tal conector deveria representar:

Questão 13

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
Quem frequenta páginas da internet, sobretudo nas re-
 
des sociais, volta e meia se depara com textos atribuídos a
 
grandes escritores. Qualquer leitor dos mestres da literatura
 
logo perceberá a fraude: a citação está longe de honrar a ale-
5
gada autoria. Drummond, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e
 
Fernando Pessoa, por exemplo, jamais escreveriam banalida-
 
des recheadas de lugares comuns, em linguagem capenga e
 
estilo indefinido. Mas fica a pergunta: o que motiva essas falsifi-
 
cações grosseiras de artistas da palavra e da imaginação?
10
São muitas as justificativas prováveis. Atrás de todas
 
está a vaidade simplória de quem gostaria de ser tomado por
 
um grande escritor e usa o nome deste para promover um texto
 
tolo, ingênuo, piegas, carregado de chavões. Os leitores incau-
 
tos mordem a isca e parabenizam o fraudulento, expandindo a
15
falsificação e o mau gosto. Mas há também o ressentimento
 
malicioso de quem conhece seus bem estreitos limites literários
 
e, não se conformando com eles, dispõe-se a iludir o público
 
com a assinatura falsa, esperando ser confundido com o gran-
 
de escritor. Como há de fato quem confunda a gritante aberra-
20
ção com a alta criação, o falsário dá-se por recompensado en-
 
quanto recebe os parabéns de quem o “curtiu”.
 
Tais casos são lamentáveis por todas as razões, e cons-
 
tituem transgressões éticas, morais, estéticas e legais. Mas fi-
 
quemos apenas com a grave questão da identidade própria que
25
foi rejeitada em nome de outra, inteiramente postiça. Enganar-
 
se a si mesmo, quando não se trata de uma psicopatia grave, é
 
uma forma dolorosa de trair a consciência de si. Os grandes
 
atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio, enobrecem
 
esse desejo tão humano de desdobramento da personalidade e
30
o legitimam artisticamente no palco ou nas telas; os escritores
 
criam personagens com luz própria, que se tornam por vezes
 
mais famosos que seus criadores (caso de Cervantes e seu
 
Dom Quixote, por exemplo); mas os falsários da internet, ao
 
não assinarem seu texto medíocre, querem que o tomemos
35
como um grande momento de Shakespeare. Provavelmente ja-
 
mais leram Shakespeare ou qualquer outro gênio citado: co-
 
nhecem apenas a fama do nome, e a usam como moeda cor-
 
rente no mercado virtual da fama.
 
Tais fraudes devem deixar um gosto amargo em quem
40
as pratica, sobretudo quando ganham o ingênuo acolhimento
 
de quem, enganado, as aplaude. É próprio dos vícios misturar
 
prazer e corrosão em quem os sustenta. Disfarçar a mediocri-
 
dade pessoal envergando a máscara de um autêntico criador
 
só pode aprofundar a rejeição da identidade própria. É um
45
passo certo para alargar os ressentimentos e a infelicidade de
 
quem não se aceita e não se estima.
(Terêncio Cristobal, inédito)
Considere as seguintes afirmações sobre aspectos da construção do texto:

I. Na frase É próprio dos vícios misturar prazer e corrosão em quem os sustenta, o pronome os referese aos nomes prazer e corrosão.

II. Atentando para a regência verbal, o segmento Os grandes atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio permanecerá correto caso se substitua apoiando-se no por valendo-se do ou contando com o.

III. Ao observar que ninguém deve enganar-se a si mesmo, o autor poderia ter optado pela forma do imperativo e nos lançar a seguinte frase, de modo correto e solene: “Não deveis enganar-se a vós mesmos”.

Está correto o que se afirma em

Questão 14

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
Quem frequenta páginas da internet, sobretudo nas re-
 
des sociais, volta e meia se depara com textos atribuídos a
 
grandes escritores. Qualquer leitor dos mestres da literatura
 
logo perceberá a fraude: a citação está longe de honrar a ale-
5
gada autoria. Drummond, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e
 
Fernando Pessoa, por exemplo, jamais escreveriam banalida-
 
des recheadas de lugares comuns, em linguagem capenga e
 
estilo indefinido. Mas fica a pergunta: o que motiva essas falsifi-
 
cações grosseiras de artistas da palavra e da imaginação?
10
São muitas as justificativas prováveis. Atrás de todas
 
está a vaidade simplória de quem gostaria de ser tomado por
 
um grande escritor e usa o nome deste para promover um texto
 
tolo, ingênuo, piegas, carregado de chavões. Os leitores incau-
 
tos mordem a isca e parabenizam o fraudulento, expandindo a
15
falsificação e o mau gosto. Mas há também o ressentimento
 
malicioso de quem conhece seus bem estreitos limites literários
 
e, não se conformando com eles, dispõe-se a iludir o público
 
com a assinatura falsa, esperando ser confundido com o gran-
 
de escritor. Como há de fato quem confunda a gritante aberra-
20
ção com a alta criação, o falsário dá-se por recompensado en-
 
quanto recebe os parabéns de quem o “curtiu”.
 
Tais casos são lamentáveis por todas as razões, e cons-
 
tituem transgressões éticas, morais, estéticas e legais. Mas fi-
 
quemos apenas com a grave questão da identidade própria que
25
foi rejeitada em nome de outra, inteiramente postiça. Enganar-
 
se a si mesmo, quando não se trata de uma psicopatia grave, é
 
uma forma dolorosa de trair a consciência de si. Os grandes
 
atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio, enobrecem
 
esse desejo tão humano de desdobramento da personalidade e
30
o legitimam artisticamente no palco ou nas telas; os escritores
 
criam personagens com luz própria, que se tornam por vezes
 
mais famosos que seus criadores (caso de Cervantes e seu
 
Dom Quixote, por exemplo); mas os falsários da internet, ao
 
não assinarem seu texto medíocre, querem que o tomemos
35
como um grande momento de Shakespeare. Provavelmente ja-
 
mais leram Shakespeare ou qualquer outro gênio citado: co-
 
nhecem apenas a fama do nome, e a usam como moeda cor-
 
rente no mercado virtual da fama.
 
Tais fraudes devem deixar um gosto amargo em quem
40
as pratica, sobretudo quando ganham o ingênuo acolhimento
 
de quem, enganado, as aplaude. É próprio dos vícios misturar
 
prazer e corrosão em quem os sustenta. Disfarçar a mediocri-
 
dade pessoal envergando a máscara de um autêntico criador
 
só pode aprofundar a rejeição da identidade própria. É um
45
passo certo para alargar os ressentimentos e a infelicidade de
 
quem não se aceita e não se estima.
(Terêncio Cristobal, inédito)
Considere as seguintes afirmações sobre aspectos da construção do texto:

I. Na frase É próprio dos vícios misturar prazer e corrosão em quem os sustenta, o pronome os referese aos nomes prazer e corrosão.

II. Atentando para a regência verbal, o segmento Os grandes atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio permanecerá correto caso se substitua apoiando-se no por valendo-se do ou contando com o.

III. Ao observar que ninguém deve enganar-se a si mesmo, o autor poderia ter optado pela forma do imperativo e nos lançar a seguinte frase, de modo correto e solene: “Não deveis enganar-se a vós mesmos”.

Está correto o que se afirma em

Questão 15

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
“O Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, é uma lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma série de outras menos severas, como a advertência, a prestação de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica”.

O adjetivo que, por sua tipologia, mostra um tipo diferente dos demais é:

Questão 16

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
A frase abaixo em que está ausente qualquer processo de intensificação de adjetivos é:

Questão 17

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
Observe o gráfico a seguir e destaque a afirmação que se coaduna com os dados apresentados.

Questão 18

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
lei bem justa e generosa, ainda largamente ignorada em suas
 
medidas de proteção e promoção. Mesmo quanto às sanções
 
previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma
 
série de outras menos severas, como a advertência, a prestação
5
de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
 
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação
 
de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica. Os
 
poderes públicos, inclusive o Judiciário, estão em dívida com a
 
sociedade por conta da inobservância do estatuto em sua
10
integralidade.
 
Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência
 
cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais,
 
educação, prevenção, assistência social são medidas que, se
 
aplicadas no universo da população jovem, terão o condão,
15
efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados
 
casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas
 
preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
(Aloysio Nunes Ferreira, Época).
No texto 2 aparece o seguinte segmento: “Mesmo quanto às sanções previstas no estatuto, antes de se chegar à internação, há uma série de outras menos severas, como a advertência, a prestação de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação de liberdade, mesmo em casos em que isso não se justifica”.

Sobre as sanções previstas, a afirmação correta é:

Questão 19

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais, educação, prevenção, assistência social são medidas que, se aplicadas no universo da população jovem, terão o condão, efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente”.

Os termos que, se trocados de posição, acarretam modificação de sentido, são:

Questão 20

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Entre as palavras abaixo, aquela que mostra uma formação distinta das demais é:

Questão 21

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“Reconheço que a punição não é o único remédio para a violência cometida pelos jovens. Evidentemente, políticas sociais, educação, prevenção, assistência social são medidas que, se aplicadas no universo da população jovem, terão o condão, efetivamente, de reduzir a violência. Mas, em determinados casos, é preciso uma punição mais eficaz do que aquelas preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente”.

Os termos que, se trocados de posição, acarretam modificação de sentido, são:

Questão 22

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A conta de “Ajuste Acumulado de Conversão” não consta na/no:

Questão 23

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em 01/01/x1, a empresa de navegação Senrota conquistou o direito de concessão para explorar economicamente o transporte de balsa do rio Tuiuiu, em consonância com seu objetivo social. O contrato previa também a prestação de serviços de transporte de balsa para os rios Obaba e Sotutu, todos no estado do Alagados.

O contrato de concessão irá vigorar por 10 anos, renováveis por igual período, caso a Senrota atenda todos os requisitos do contrato, entre eles, disponibilizar nove balsas distribuídas pelos três rios (vide tabela abaixo).

Os investimentos necessários para prestar o serviço e atender o contrato são os seguintes:

Considerando essas informações, a Senrota deve reconhecer uma perda de valor recuperável de ativos no valor de:

Questão 24

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Pelas práticas contábeis aplicadas no Brasil, uma debênture com juros anuais de 10%, e conversível em ações da data de seu vencimento por sua emitente, deve ser classificada como:

Questão 25

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A empresa de softwares Marcosoft S.A. adquiriu, pelo valor de $ 7.600.000,00, todos os sistemas desenvolvidos por sua concorrente Sopa Ltda. O valor justo dos sistemas é de $ 6.100.000,00. Nas demonstrações financeiras da Sopa era possível identificar que o custo para desenvolver os sistemas correspondia ao valor líquido de $ 3.000.000,00.

Considerando as informações acima, a Marcosoft deve classificar essa aquisição da seguinte forma:

Questão 26

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Nas demonstrações financeiras do ano de X1, a companhia de automóveis japonesa Cainaxon apresentou o maior prejuízo de sua história. Pressionado pelo Conselho de Administração, o presidente da companhia apresentou um plano de reestruturação:

1) Encerramento das unidades deficitárias nos anos de X2 e X3;
2) Programa de demissão da metade dos executivos com início em 01/01/X3;
3) Construção de um prédio administrativo;
4) Encerramento do contrato de aluguel do prédio administrativo no momento em que o novo prédio ficar pronto.

Considerando que todas as medidas foram aprovadas pelo conselho de administração no primeiro semestre de X2, deverão ser provisionadas no balanço do segundo trimestre de X2 a(s) seguinte(s) medidas:

Questão 27

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A empresa de mergulho Corujá S.A. fez um aumento de capital para ampliar a sua área de atuação. Foram emitidas 100.000 novas ações ao preço de $ 15,00 cada. O preço nominal de cada ação corresponde a $ 10,00 e foram incorridos gastos no valor de $ 200.000,00 para a emissão das novas ações.

Supondo que todas as ações tenham sido vendidas, a contabilização mais adequada para a operação é:

Questão 28

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Um investimento avaliado pelo método de custo deve:

Questão 29

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A empresa de papel e celulose Sem Cor construiu sua nova planta industrial perto da plantação de eucaliptos. A cidade mais próxima está localizada a mais de 100 km de distância. Com o intuito de auxiliar seus empregados, a empresa construiu um alojamento para ser alugado a eles. No que tange aos gastos com esse alojamento, a classificação correta a ser feita pela Sem Cor é:

Questão 30

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Uma empresa de limpeza de tubulação de esgoto – Clean Tubus – foi constituída para atender a Companhia de Água e Esgoto do Estado (CAESG). Eventualmente a Clean Tubus pode atender outras companhias quando autorizada pela CAESG.
Também é responsabilidade da CAESG definir o preço da prestação de serviços e dar aval para qualquer risco operacional da Clean Tubus.

A CAESG efetuou um empréstimo de $ 500.000,00 com taxa de juros de 10% a.a. para que a Clean Tubus pudesse iniciar suas operações. Tal empréstimo é passível de conversão em capital social a qualquer momento por interesse da CAESG.

Seguem informações sobre o capital social das duas empresas: CAESG

Considerando apenas as informações acima, a relação da empresa Clean Tubus com a CAESG é:

Questão 31

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Uma empresa controladora possui uma controlada com patrimônio líquido negativo. A prática contábil aplicável nesse caso é:

Questão 32

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Um grupo de ativo imobilizado tinha como critério de depreciação o número de unidades produzidas. Sua produção variava entre 950 e 1050 unidades por mês. Após perder um cliente, a produção reduziu para 700 unidades ao mês.
Entretanto a depreciação continuou considerando uma produção de 950 unidades por 14 meses, o que ocasionou uma distorção expressiva do valor líquido contábil.

Nessa situação, a empresa deve adotar o seguinte procedimento:

Questão 33

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A Cia Catabento fabrica 2.500 cadernos por dia e possui as seguintes contas de estoques:

Deve ser classificado no Ativo Não Circulante o seguinte saldo:

Questão 34

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Uma empresa possui necessidade de capital de giro negativa quando:

Questão 35

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Uma empresa comercial possuía um índice de liquidez corrente de 1,5 e de liquidez geral de 1,0.

Essa empresa registrou as seguintes operações:


Após o lançamento das operações listadas, os índices de liquidez corrente e geral tiveram o seguinte comportamento:

Questão 36

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Quando uma empresa apresenta em sua demonstração de resultados do exercício um valor classificado como “Lucro do exercício de operações descontinuadas”, um analista de mercado deve previamente saber que:

Questão 37

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Quando uma empresa recebe um terreno por uma doação de uma prefeitura, sem que haja uma obrigação condicionada atrelada a tal fato, NÃO são impactados diretamente os seguintes indicadores:

Questão 38

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
O princípio do Registro pelo valor original preconiza que:

Questão 39

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
De acordo com a NBC T 16.1 – Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação, as entidades abrangidas pelo campo de aplicação da Contabilidade Aplicada ao Setor Público devem observar as normas e as técnicas próprias da Contabilidade Aplicada ao Setor Público. A observância de tais normas pode ser parcial pelos(as):

Questão 40

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Acerca das definições e classificações do patrimônio e dos bens públicos, analise as afirmações a seguir.

I – Sob o enfoque contábil, o patrimônio público é estruturado em três grupos: ativo, passivo e patrimônio líquido.
II – A classificação legal do patrimônio público em bens de uso comum, de uso especial e dominicais está em consonância com o enfoque contábil.
III – A classificação dos elementos patrimoniais tem como base os atributos de conversibilidade e exigibilidade.

É correto o que se afirma em:

Questão 41

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
As variações patrimoniais decorrem de transações que promovem alterações nos elementos patrimoniais da entidade do setor público, e podem ser classificadas em quantitativas e qualitativas. Constitui um exemplo de variação qualitativa:

Questão 42

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em um processo de exame das contas de uma entidade pública, foi detectado que havia registros contábeis realizados com omissão de parte do fato gerador. Tais registros deram origem a informações sobre alterações nos fenômenos patrimoniais. De acordo com as definições da NBC T 16.5, nessa situação, foi infringida a seguinte característica do registro contábil:

Questão 43

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A NBCT SP 16.6 (R1) define as demonstrações contábeis que devem ser elaboradas e publicadas pelas entidades circunscritas no campo da Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Uma demonstração não incluída neste rol é o(a):

Questão 44

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em um determinado ente da administração pública foi adquirido um conjunto de móveis, composto por armários de aço, por R$ 36.000,00 para instalação na Secretaria de Serviços Públicos. O ente espera utilizar este conjunto por dez anos e em seguida aliená-lo por 10% do valor de aquisição. Com base nessas informações e nas definições da NBC T 16.9, pode-se afirmar que:

Questão 45

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A implantação do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) gerou a necessidade de observar algumas regras para assegurar a integridade dos procedimentos, bem como a qualidade, consistência e transparência das informações geradas.
Sobre as regras de integridade do PCASP, é correto afirmar que:

Questão 46

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 47

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) tem o objetivo de contribuir para a transparência da gestão pública, pois permite um melhor gerenciamento e controle financeiro dos órgãos e entidades do setor público (MCASP/STN). De acordo com as orientações do MCASP, na elaboração da DFC, um item que compõe os fluxos de caixa das atividades de financiamento é:

Questão 48

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
De acordo com as informações do Quadro I, o resultado da execução orçamentária foi de:

Questão 49

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
1
De acordo com as informações do Quadro I, pode-se afirmar que houve:

Questão 50

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Se em um determinado exercício, um Estado da Federação apurou uma Receita Corrente Líquida de R$ 7,2 bilhões, o limite para contratação de operações de crédito pelo ente no exercício será (em reais):

Questão 51

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
De acordo com as disposições da Lei nº 4.320/1964 e as orientações do MCASP, no que tange aos procedimentos orçamentários, o orçamento anual pode ser alterado por meio de créditos adicionais. Por crédito adicional, entendem-se as autorizações de despesas não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei Orçamentária. Acerca dos créditos adicionais, é correto afirmar que:

Questão 52

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em uma entidade da administração pública, durante o exercício de 2008 foi emitida uma nota de empenho para prestação de serviços de manutenção no sistema de ar refrigerado. A prestação de serviço foi iniciada em 2008, mas encerrada apenas no exercício seguinte. A empresa prestadora de serviço enviou a documentação de cobrança comprobatória da prestação do serviço somente em 2013. A partir do recebimento da cobrança, essa despesa deve ser tratada pelo ente como:

Questão 53

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em decorrência da falta de pessoal capacitado para elaborar as peças orçamentárias e de falta de recursos para contratar esse serviço de terceiros, uma prefeitura apresentou uma proposta orçamentária ao Poder Legislativo com dotações globais destinadas a atender indistintamente a despesas de pessoal, material, serviços de terceiros e investimentos, comprometendo-se a prestar contas ao final do exercício financeiro.

Não obstante as razões apresentadas e a obrigação inequívoca de prestar contas, esta situação está em desacordo com o princípio orçamentário da:

Questão 54

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Consoante dispõe a Constituição do Estado de Rondônia, é exemplo de garantia dos membros da Defensoria Pública a:

Questão 55

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
De acordo com a Lei Complementar Federal nº 80/94, que organiza a Defensoria Pública da União, do Distrito Federal e dos Territórios e prescreve normas gerais para sua organização nos Estados, é função institucional da Defensoria Pública, dentre outras:

Questão 56

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
É prerrogativa dos membros da Defensoria Pública do Estado prevista na Lei Complementar Federal nº 80/94:

Questão 57

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Ao dispor sobre normas gerais para a organização da Defensoria Pública dos Estados, a Lei Complementar Federal nº 80/94 estabelece que a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da Defensoria Pública do Estado, quanto à legalidade, legitimidade, aplicação de dotações e recursos próprios e renúncia de receitas, será exercida pelo:

Questão 58

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 59

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 60

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Consoante dispõe o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado de Rondônia (Lei Complementar Estadual nº 68/1992), é dever do servidor:

Questão 61

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 62

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em matéria criminal, consoante dispõe a Lei Complementar Estadual de Rondônia nº 117/94, compete aos Defensores Públicos:

Questão 63

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Edson, Defensor Público Estadual de Rondônia, foi condenado em processo criminal transitado em julgado, a seis anos de reclusão pela prática de peculato. Considerando que se trata de crime contra a administração pública, de acordo com a Lei Complementar Estadual nº 117/94, tal fato:

Questão 64

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A Lei Ordinária Federal nº 1.060/50 dispõe que a assistência judiciária aos necessitados:

Questão 65

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“Há sinais desse movimento desde a época do descobrimento, mas foi no governo de Getúlio Vargas (1930/1945) que a colonização da floresta passou a ser vista como estratégica para os interesses nacionais. Era a época da Marcha para o Oeste.
(...) Durante a ditadura militar, a política para a Amazônia ficou conhecida pelo lema ‘Integrar para não Entregar’.“
(Peixoto, Fabrícia. Linha do tempo: Entenda como ocorreu a ocupação da Amazônia. Disponível em www.bbc.co.uk)

A ocupação da Amazônia ganhou fôlego no século XX, como mostra o trecho da reportagem acima. Sobre as consequências dessa ocupação, pode-se destacar:

Questão 66

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Em 2012, foi comemorado o centenário de inauguração da ferrovia Madeira-Mamoré. Tal construção, vista como difícil e complexa, com tentativas fracassadas no século XIX, custou a vida de inúmeros operários, e, durante o período da ditadura militar no país, acabou desativada, no governo do presidente Castelo Branco, em 1966. A justificativa para tal medida foi:

Questão 67

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
A região Norte, em especial o Vale do Madeira, teve a sua economia baseada no extrativismo e, como decorrência da sua formação social, o trabalho indígena, escravo ou não, foi largamente utilizado. No entanto, no início do século XX, ocorreu uma alteração nesse quadro relativo à mão de obra, com a não utilização de indígenas.
O fator que justificou tal alteração foi:

Questão 68

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“A permanência do Presidente da República em Porto Velho serviu para assentar as bases da criação de um Território Federal nas áreas dos municípios de Porto Velho e Guajará-Mirim...”
(PINTO, Emanuel Pontes. Território Federal do Guaporé. Viaman, 2003)

A criação do Território do Guaporé foi motivada pela:

Questão 69

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
“Rondônia passou (...) a representar novamente uma fronteira de expansão da produção de soja, e os atores econômicos devem dar o devido destaque para esse espaço juntamente com o Estado do Mato Grosso.”
(EG ER, Claudio. A Pré-Amazônia Mato-Grossense no Contexto Nacional e Sul Americano. In: Expansão da Soja na Pré-Amazônia Mato-Grossense: Impactos Socioambientais. Cuiabá-MT: Entrelinhas: EdUFMT, p. 15-34, 2007)

A expansão da produção de soja no Estado de Rondônia ocorreu, principalmente:

Questão 70

DPE/RO 2015 - FGV - Analista Contábil
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi



Provas de Concursos » Fgv 2015