×
Técnico de Nível Superior
×

SSP/AM 2015

Assistente Operacional

Questão 1

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sinalização e
 
pelas batidas que lá ocorrem, há um acidente de automóvel.
 
Como o motorista de um dos carros está visivelmente errado, o
 
guarda a ele se dirige propondo abertamente esquecer o caso
5
por uma boa propina. O homem fica indignado e, usando o “Você
 
sabe com quem está falando?”, identifica-se como promotor
 
público, prendendo o guarda”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
Segundo o texto 1, a esquina é perigosa, entre outros motivos, por:

Questão 2

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Quem frequenta páginas da internet, sobretudo nas re-
 
des sociais, volta e meia se depara com textos atribuídos a
 
grandes escritores. Qualquer leitor dos mestres da literatura
 
logo perceberá a fraude: a citação está longe de honrar a ale-
5
gada autoria. Drummond, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e
 
Fernando Pessoa, por exemplo, jamais escreveriam banalida-
 
des recheadas de lugares comuns, em linguagem capenga e
 
estilo indefinido. Mas fica a pergunta: o que motiva essas falsifi-
 
cações grosseiras de artistas da palavra e da imaginação?
10
São muitas as justificativas prováveis. Atrás de todas
 
está a vaidade simplória de quem gostaria de ser tomado por
 
um grande escritor e usa o nome deste para promover um texto
 
tolo, ingênuo, piegas, carregado de chavões. Os leitores incau-
 
tos mordem a isca e parabenizam o fraudulento, expandindo a
15
falsificação e o mau gosto. Mas há também o ressentimento
 
malicioso de quem conhece seus bem estreitos limites literários
 
e, não se conformando com eles, dispõe-se a iludir o público
 
com a assinatura falsa, esperando ser confundido com o gran-
 
de escritor. Como há de fato quem confunda a gritante aberra-
20
ção com a alta criação, o falsário dá-se por recompensado en-
 
quanto recebe os parabéns de quem o “curtiu”.
 
Tais casos são lamentáveis por todas as razões, e cons-
 
tituem transgressões éticas, morais, estéticas e legais. Mas fi-
 
quemos apenas com a grave questão da identidade própria que
25
foi rejeitada em nome de outra, inteiramente postiça. Enganar-
 
se a si mesmo, quando não se trata de uma psicopatia grave, é
 
uma forma dolorosa de trair a consciência de si. Os grandes
 
atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio, enobrecem
 
esse desejo tão humano de desdobramento da personalidade e
30
o legitimam artisticamente no palco ou nas telas; os escritores
 
criam personagens com luz própria, que se tornam por vezes
 
mais famosos que seus criadores (caso de Cervantes e seu
 
Dom Quixote, por exemplo); mas os falsários da internet, ao
 
não assinarem seu texto medíocre, querem que o tomemos
35
como um grande momento de Shakespeare. Provavelmente ja-
 
mais leram Shakespeare ou qualquer outro gênio citado: co-
 
nhecem apenas a fama do nome, e a usam como moeda cor-
 
rente no mercado virtual da fama.
 
Tais fraudes devem deixar um gosto amargo em quem
40
as pratica, sobretudo quando ganham o ingênuo acolhimento
 
de quem, enganado, as aplaude. É próprio dos vícios misturar
 
prazer e corrosão em quem os sustenta. Disfarçar a mediocri-
 
dade pessoal envergando a máscara de um autêntico criador
 
só pode aprofundar a rejeição da identidade própria. É um
45
passo certo para alargar os ressentimentos e a infelicidade de
 
quem não se aceita e não se estima.
(Terêncio Cristobal, inédito)
Considere as seguintes afirmações sobre aspectos da construção do texto:

I. Na frase É próprio dos vícios misturar prazer e corrosão em quem os sustenta, o pronome os referese aos nomes prazer e corrosão.

II. Atentando para a regência verbal, o segmento Os grandes atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio permanecerá correto caso se substitua apoiando-se no por valendo-se do ou contando com o.

III. Ao observar que ninguém deve enganar-se a si mesmo, o autor poderia ter optado pela forma do imperativo e nos lançar a seguinte frase, de modo correto e solene: “Não deveis enganar-se a vós mesmos”.

Está correto o que se afirma em

Questão 3

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Quem frequenta páginas da internet, sobretudo nas re-
 
des sociais, volta e meia se depara com textos atribuídos a
 
grandes escritores. Qualquer leitor dos mestres da literatura
 
logo perceberá a fraude: a citação está longe de honrar a ale-
5
gada autoria. Drummond, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e
 
Fernando Pessoa, por exemplo, jamais escreveriam banalida-
 
des recheadas de lugares comuns, em linguagem capenga e
 
estilo indefinido. Mas fica a pergunta: o que motiva essas falsifi-
 
cações grosseiras de artistas da palavra e da imaginação?
10
São muitas as justificativas prováveis. Atrás de todas
 
está a vaidade simplória de quem gostaria de ser tomado por
 
um grande escritor e usa o nome deste para promover um texto
 
tolo, ingênuo, piegas, carregado de chavões. Os leitores incau-
 
tos mordem a isca e parabenizam o fraudulento, expandindo a
15
falsificação e o mau gosto. Mas há também o ressentimento
 
malicioso de quem conhece seus bem estreitos limites literários
 
e, não se conformando com eles, dispõe-se a iludir o público
 
com a assinatura falsa, esperando ser confundido com o gran-
 
de escritor. Como há de fato quem confunda a gritante aberra-
20
ção com a alta criação, o falsário dá-se por recompensado en-
 
quanto recebe os parabéns de quem o “curtiu”.
 
Tais casos são lamentáveis por todas as razões, e cons-
 
tituem transgressões éticas, morais, estéticas e legais. Mas fi-
 
quemos apenas com a grave questão da identidade própria que
25
foi rejeitada em nome de outra, inteiramente postiça. Enganar-
 
se a si mesmo, quando não se trata de uma psicopatia grave, é
 
uma forma dolorosa de trair a consciência de si. Os grandes
 
atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio, enobrecem
 
esse desejo tão humano de desdobramento da personalidade e
30
o legitimam artisticamente no palco ou nas telas; os escritores
 
criam personagens com luz própria, que se tornam por vezes
 
mais famosos que seus criadores (caso de Cervantes e seu
 
Dom Quixote, por exemplo); mas os falsários da internet, ao
 
não assinarem seu texto medíocre, querem que o tomemos
35
como um grande momento de Shakespeare. Provavelmente ja-
 
mais leram Shakespeare ou qualquer outro gênio citado: co-
 
nhecem apenas a fama do nome, e a usam como moeda cor-
 
rente no mercado virtual da fama.
 
Tais fraudes devem deixar um gosto amargo em quem
40
as pratica, sobretudo quando ganham o ingênuo acolhimento
 
de quem, enganado, as aplaude. É próprio dos vícios misturar
 
prazer e corrosão em quem os sustenta. Disfarçar a mediocri-
 
dade pessoal envergando a máscara de um autêntico criador
 
só pode aprofundar a rejeição da identidade própria. É um
45
passo certo para alargar os ressentimentos e a infelicidade de
 
quem não se aceita e não se estima.
(Terêncio Cristobal, inédito)
Considere as seguintes afirmações sobre aspectos da construção do texto:

I. Na frase É próprio dos vícios misturar prazer e corrosão em quem os sustenta, o pronome os referese aos nomes prazer e corrosão.

II. Atentando para a regência verbal, o segmento Os grandes atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio permanecerá correto caso se substitua apoiando-se no por valendo-se do ou contando com o.

III. Ao observar que ninguém deve enganar-se a si mesmo, o autor poderia ter optado pela forma do imperativo e nos lançar a seguinte frase, de modo correto e solene: “Não deveis enganar-se a vós mesmos”.

Está correto o que se afirma em

Questão 4

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sinalização e
 
pelas batidas que lá ocorrem, há um acidente de automóvel.
 
Como o motorista de um dos carros está visivelmente errado, o
 
guarda a ele se dirige propondo abertamente esquecer o caso
5
por uma boa propina. O homem fica indignado e, usando o “Você
 
sabe com quem está falando?”, identifica-se como promotor
 
público, prendendo o guarda”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
A frase “Você sabe com quem está falando?” funciona, nesse caso do texto 1, como:

Questão 5

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sinalização e
 
pelas batidas que lá ocorrem, há um acidente de automóvel.
 
Como o motorista de um dos carros está visivelmente errado, o
 
guarda a ele se dirige propondo abertamente esquecer o caso
5
por uma boa propina. O homem fica indignado e, usando o “Você
 
sabe com quem está falando?”, identifica-se como promotor
 
público, prendendo o guarda”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
“... identifica-se como promotor público, prendendo o guarda”; a oração reduzida “prendendo o guarda” pode ser reescrita, em forma desenvolvida adequada, do seguinte modo:

Questão 6

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Num posto de atendimento público, alguém espera na fila.
 
Antes do horário regulamentar para o término do expediente,
 
verifica-se que o guichê está sendo fechado e o atendimento do
 
público, suspenso. Correndo para o responsável, essa pessoa
5
ouve uma resposta insatisfatória, e fica sabendo que o
 
expediente terminaria mais cedo por ordem do chefe. Manda
 
chamar o chefe e, identificando-se como presidente do órgão em
 
pauta, despede todo o grupo”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
O personagem é identificado inicialmente no texto 2 como “alguém” e “essa pessoa”; esse procedimento se justifica porque:

Questão 7

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Num posto de atendimento público, alguém espera na fila.
 
Antes do horário regulamentar para o término do expediente,
 
verifica-se que o guichê está sendo fechado e o atendimento do
 
público, suspenso. Correndo para o responsável, essa pessoa
5
ouve uma resposta insatisfatória, e fica sabendo que o
 
expediente terminaria mais cedo por ordem do chefe. Manda
 
chamar o chefe e, identificando-se como presidente do órgão em
 
pauta, despede todo o grupo”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
Entre os segmentos retirados do texto 2, aquele em que a troca de posição dos termos modifica o sentido original é:

Questão 8

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Num posto de atendimento público, alguém espera na fila.
 
Antes do horário regulamentar para o término do expediente,
 
verifica-se que o guichê está sendo fechado e o atendimento do
 
público, suspenso. Correndo para o responsável, essa pessoa
5
ouve uma resposta insatisfatória, e fica sabendo que o
 
expediente terminaria mais cedo por ordem do chefe. Manda
 
chamar o chefe e, identificando-se como presidente do órgão em
 
pauta, despede todo o grupo”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
“...identificando-se como presidente do órgão em pauta...”; a expressão “em pauta” significa:

Questão 9

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Num posto de atendimento público, alguém espera na fila.
 
Antes do horário regulamentar para o término do expediente,
 
verifica-se que o guichê está sendo fechado e o atendimento do
 
público, suspenso. Correndo para o responsável, essa pessoa
5
ouve uma resposta insatisfatória, e fica sabendo que o
 
expediente terminaria mais cedo por ordem do chefe. Manda
 
chamar o chefe e, identificando-se como presidente do órgão em
 
pauta, despede todo o grupo”.
(DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)
Os termos de um texto podem manter entre si relações de concordância nominal ou verbal; os termos abaixo que NÃO estabelecem entre si qualquer relação de concordância são:

Questão 10

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
Nesse segmento (texto 3) há uma referência aos textos anteriores desta prova, que constitui uma das marcas de caracterização dos textos em geral; essa marca é denominada:

Questão 11

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
“Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica...”; o texto 3 é escrito na primeira pessoa do plural (construímos) e, nesse caso, o sujeito “nós” se refere a:

Questão 12

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
No primeiro parágrafo do texto 3 há um conjunto de termos colocados entre parênteses; a função predominante desse sinal gráfico, nesse texto, é a de:

Questão 13

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
O autor do texto 3 considera um atraso a utilização do “Você sabe com quem está falando?” porque a expressão representa:

Questão 14

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional

» Esta questão foi anulada pela banca.
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
“Os da camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como os “de baixo”.

Segundo esse segmento do texto 3:

Questão 15

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
No segmento “parceria público-privada” (texto 3) há uma correta informação sobre a concordância dos adjetivos compostos por dois adjetivos e, por isso mesmo, devemos considerar errada a seguinte construção:

Questão 16

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
No texto 3 há uma série de substantivos derivados; entre os que estão abaixo, aquele que se forma a partir de uma palavra de classe diferente das demais é:

Questão 17

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica,
 
majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra
 
de forma extremamente nefasta, posto que dominada por
 
crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito
5
de desfrutar de alguns privilégios, incluindo-se o de não ser igual
 
perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou
 
socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre
 
levou um forte setor das elites à construção de uma organização
 
criminosa formada por uma troika maligna composta de políticos
10
e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes
 
financeiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem
 
do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a
 
ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?”
 
(como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da
15
camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no
 
direito (privilégio) de humilhar e desconsiderar as leis assim como
 
os “de baixo”. Se alguém questiona essa estrutura, vem o
 
corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem
 
essa canhestra forma de organização social? Por que somos o
20
que somos?”
(Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)
O primeiro parágrafo do texto 3 mostra uma marca de construção desaconselhável, que é:

Questão 18

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Já pensou? Já imaginou? 6 bilhões. Quem é você? Quem sou eu?
 
Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é
 
como eu faço? Quem sou eu pra achar que a única cor de pele
 
adequada é a que eu tenho? Quem sou eu pra achar que o único
5
lugar bom pra nascer foi onde eu nasci? Quem sou eu pra achar
 
que o único sotaque correto é o que eu uso? Quem sou eu pra
 
achar que a única religião certa é a que eu pratico? Quem sou
 
eu? Quem és tu? Tu és o vice-treco, do sub-troço”
(Mario Sergio Cortella).
O texto 4 defende:

Questão 19

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Já pensou? Já imaginou? 6 bilhões. Quem é você? Quem sou eu?
 
Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é
 
como eu faço? Quem sou eu pra achar que a única cor de pele
 
adequada é a que eu tenho? Quem sou eu pra achar que o único
5
lugar bom pra nascer foi onde eu nasci? Quem sou eu pra achar
 
que o único sotaque correto é o que eu uso? Quem sou eu pra
 
achar que a única religião certa é a que eu pratico? Quem sou
 
eu? Quem és tu? Tu és o vice-treco, do sub-troço”
(Mario Sergio Cortella).
“Tu és o vice-treco, do sub-troço”; nesse segmento do texto 4 a desvalorização do ser humano é obtida principalmente por meio do emprego de:

Questão 20

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
1
“Já pensou? Já imaginou? 6 bilhões. Quem é você? Quem sou eu?
 
Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é
 
como eu faço? Quem sou eu pra achar que a única cor de pele
 
adequada é a que eu tenho? Quem sou eu pra achar que o único
5
lugar bom pra nascer foi onde eu nasci? Quem sou eu pra achar
 
que o único sotaque correto é o que eu uso? Quem sou eu pra
 
achar que a única religião certa é a que eu pratico? Quem sou
 
eu? Quem és tu? Tu és o vice-treco, do sub-troço”
(Mario Sergio Cortella).
“Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é como eu faço? Quem sou eu pra achar que a única cor de pele adequada é a que eu tenho? Quem sou eu pra achar que o único lugar bom pra nascer foi onde eu nasci? Quem sou eu pra achar que o único sotaque correto é o que eu uso? Quem sou eu pra achar que a única religião certa é a que eu pratico?”

Nesse segmento do texto 4, o aspecto que NÃO se encontra entre os criticados é:

Questão 21

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
No restaurante de Lucas cabem seis dezenas e meia de pessoas e no restaurante de Mário cabem seis dúzias e meia de pessoas. No restaurante de Mário o número de pessoas que cabem a mais do que no de Lucas é:

Questão 22

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Renato comprou uma torradeira com 40% de desconto pagando R$ 210,00. O preço dessa torradeira sem desconto era de:

Questão 23

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Arrumados em uma prateleira de uma estante há 4 livros que serão chamados de W, X, Y e Z. Sabe-se que W está entre Y e Z e também que Y está entre Z e X.

É correto concluir que:

Questão 24

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 25

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Os pesos de cada um dos cinco operários que trabalham juntos em um grupo são: 82kg, 76kg, 94kg, 70kg e 78kg. Se um deles sair do grupo, o maior valor que poderá ter a média dos pesos dos trabalhadores restantes é:

Questão 26

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Certa financeira cobra juros de 10% ao mês no sistema de juros compostos. Carlos contraiu, nessa financeira, um empréstimo de 800 reais e só pagou dois meses depois. Tendo pago a dívida na caixa da financeira com 10 notas de 100 reais, a quantia que recebeu de troco foi de:

Questão 27

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
O quilate é uma unidade de medida de massa para pedras preciosas, que é igual à quinta parte de 1 grama. A massa de uma esmeralda de 27 quilates é:

Questão 28

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
O combustível usado nos automóveis é uma mistura de álcool com gasolina pura. Em certo tanque há 1000 litros de combustível contendo 13% de álcool. Para que o novo combustível passe a ter 25% de álcool, o número de litros de álcool que deve ser acrescentado é:

Questão 29

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
José tem em sua microempresa três empregados cujos salários são proporcionais ao número de horas que trabalham por dia.

José paga mensalmente R$ 5.200,00 pelos salários desses três empregados.

O salário de Caio é:

Questão 30

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Considere a afirmação: “Todo animal de 4 patas é mamífero”. A negação dessa afirmação é:

Questão 31

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 32

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Em uma empresa trabalham homens e mulheres sendo, ao todo, 80 pessoas. Dentre elas, sabe-se que:

√ 20 falam inglês;
√ 45 são homens;
√ 26 mulheres não falam inglês.

O número de homens que trabalham nessa empresa e não falam inglês é:

Questão 33

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Um preço cai 20%. Esse preço novo sofre um aumento de 40% e assim ele torna-se, em relação ao preço inicial antes da queda,

Questão 34

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Observe, na figura a seguir, a sequência de quadrados e numereos, da esquerda para a direita, com os números 1, 2, 3, 4, etc. até 2015.

O quadrado de número 2015 é:

Questão 35

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Fernando e Marcelo tinham, juntos, R$ 52,00 e fizeram um lanche pagando, cada um, R$ 14,00 pelo lanche. Depois disso, a quantia restante de Fernando ficou igual ao dobro da quantia restante de Marcelo.

A quantia que Fernando tinha inicialmente era de:

Questão 36

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Em certo país muito antigo, havia moedas de 3 tipos: o penny, o xelim e a moeda de ouro, equivalente a 30 xelins.
Um guerreiro pagou por um lote de cavalos a quantia de 984 pence (plural de penny), entregando ao vendedor 2 moedas de ouro mais 22 xelins.

O número de moedas de penny que equivalem a 1 xelim é:

Questão 37

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Sete pessoas formam uma fila e duas delas serão escolhidas para receber um brinde. O número de maneiras diferentes de escolher duas pessoas da fila que não sejam vizinhas é:

Questão 38

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Dois relógios, A e B, não são precisos. O relógio A adianta 10 segundos a cada dia e o relógio B atrasa 15 segundos a cada dia. Ao meio dia de certo dia os dois relógios foram regulados para marcar a hora exata, 12:00:00 (hora:minuto:segundo).

Alguns dias depois, ao meio dia, o relógio A estava marcando 12:01:10.

Nesse instante, o relógio B estava marcando:

Questão 39

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Maria mantém um livro de anotações e, quando escreve, identifica o dia do mês através de uma “situação de lógica”. Certo dia, Maria escreveu no seu livro quatro frases:

√ ontem foi dia 12;
√ hoje não é dia 14;
√ amanhã será dia 15;
√ das frases anteriores uma delas é falsa e as outras são verdadeiras.

Maria escreveu essas frases no dia:

Questão 40

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Certo arquivo tem duas gavetas A e B que estavam, inicialmente, vazias. Nesse arquivo foram colocadas 30 pastas e a gaveta A recebeu mais pastas que a gaveta B. Ao perceber isso, Renato transferiu metade das pastas da gaveta A para a gaveta B.
Entretanto, após essa operação, Renato percebeu que a gaveta B tinha ficado com mais pastas que a gaveta A e, então, transferiu 3 pastas da gaveta B para a gaveta A. Com isso, as duas gavetas ficaram com o mesmo número de pastas.

O número de pastas que a gaveta A tinha, inicialmente, era:

Questão 41

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Na gravação de novos documentos/planilhas no Windows, os aplicativos MS Word 2010, MS Excel 2010, LibreOffice Calc 4.2 e LibreOffice Writer 4.2 usam como extensões de arquivo preferenciais, respectivamente:

Questão 42

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 43

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Suponha que na sua empresa haja um sistema que mantém um cadastro de clientes, contendo dados tais como CPF, nome, endereço, dentre outros, de tal forma que cada registro ocupe em média 100 bytes.

Num pen drive de 2GB, seria possível armazenar aproximadamente:

Questão 44

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
No Windows Explorer do Windows 7, há um campo destinado à busca de arquivos. Considere uma busca na qual o texto digitado seja
 
          regimento versão 5*.pdf 
 
Um arquivo que eventualmente poderia ser localizado nessa busca é:

Questão 45

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 46

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Analise os identificadores abaixo.

I. xxx@yyy.com. II. xxx@yyy.com.br/z III. @yyy.com.br
É correto concluir que:

Questão 47

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Observe o trecho da tela inicial de um utilitário do Windows 7.

Esse utilitário é denominado:

Questão 48

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 49

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 50

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 51

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Analise o trecho de planilha LibreOffice Calc 4.2 mostrado a seguir.

Sabendo-se que as fórmulas usadas em cada linha são homogêneas, pois se referem aos mesmos valores relativos, e que a ferramenta para “Rastrear precedentes” está aplicada às células E2 e C4, pode-se concluir que:

Questão 52

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 53

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 54

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 55

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
A Wikipedia, um famoso site da Internet, fornece o endereço

para acessar e editar o conteúdo dos sites. O uso do prefixo “https:” significa que a comunicação com o site é feita de forma:

Questão 56

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
João digitou uma lista com os nomes dos seus alunos, com as respectivas notas, numa tabela em um documento criado no LibreOffice Writer 4.2. Há próximo de 60 nomes na lista, e João gostaria de:

I. ordenar a lista em ordem alfabética;
II. mostrar a média da turma ao final da lista;
III. ajustar a tabela completa numa única página para impressão;
IV. preparar um arquivo HTML desse material para publicação no site;
V. preparar um arquivo PDF para enviar para a Secretaria da escola.

As ações que podem ser fácil e rapidamente realizadas por meio de recursos disponíveis na interface do próprio Writer são:

Questão 57

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
João abriu um novo documento no LibreOffice Writer 4.2, instalado de modo padronizado, e digitou uma sequência de teclas de tal forma que a parte superior esquerda da região do texto na tela exibida mostrou-se como na figura abaixo.

O texto digitado por João foi:

Questão 58

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
O navegador Chrome permite a criação de uma “Guia de Navegação Anônima”. Ao acessar páginas e serviços por meio de uma única guia assim:

Questão 59

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 60

SSP/AM 2015 - FGV - Assistente Operacional
Considere os seguintes tipos (extensões) de arquivos digitais usualmente presentes em computadores de pequeno porte:

GIF, HTML, MP3, MP4, ZIP

A associação correta entre cada um desses tipos e a natureza presumível do conteúdo do arquivo nomeado, respectivamente, é:



Provas de Concursos » Fgv 2015