×
Analista Judiciário - Analista de Sistemas - Banco de Dados Analista Judiciário - Analista de Sistemas - Desenvolvimento Analista Judiciário - Escrivão Judicial Analista Judiciário - Oficial de Justiça e Avaliador Analista Judiciário - Analista de Sistemas - Telecomunicações Analista Judiciário - Contador Analista Judiciário - Administrativa - Analista Judicial Analista Judiciário - Auditor
×

TJ/PI 2015

Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo

Questão 1

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
O primeiro parágrafo do texto 1 fala de um Plano de Contingência para o Trânsito; o termo “contingência” tem como melhor definição para o contexto:

Questão 2

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
O título dado ao texto 1 – Coordenação entre órgãos gestores – funciona como:

Questão 3

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
“Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de planejamento prévio para lidar com situações emergenciais”.

Nesse segmento do texto 1 há um problema de escritura; o problema está devidamente apontado em:

Questão 4

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
“Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e atuar em casos que venham a causar transtornos”.

Respeitando-se o paralelismo, as formas que podem substituir adequadamente as formas nominais sublinhadas são:

Questão 5

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
Entre os segmentos do texto 1 abaixo, aquele que se refere a uma ação potencial, e não real, é:

Questão 6

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
A oração adjetiva abaixo sublinhada que deveria vir introduzida com um pronome relativo precedido de preposição é:

Questão 7

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
“...planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais corredores viários de uma cidade”.

Entre os itens abaixo, aquele que deve ser considerado como causa de transtornos e não como situação emergencial é:

Questão 8

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
Abaixo estão vários pares formados por um substantivo seguido de um adjetivo; o par em que o significado do adjetivo mostra-se inadequado é:

Questão 9

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
Quando o autor de um texto emprega um substantivo coletivo que não é específico, necessita especificá-lo, que é o que ocorre em “frota de veículos”; o mesmo ocorre no seguinte caso:

Questão 10

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
No texto 1 aparecem elementos que se relacionam, respectivamente, como causa e consequência; os termos em que essa relação lógica mostra troca de posição é:

Questão 11

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Um Plano de Contingência para o Trânsito necessita de
 
planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e
 
atuar em casos que venham a causar transtornos nos principais
 
corredores viários de uma cidade.
5
O aumento progressivo da frota de veículos provoca congestiona
 
mentos que muitas vezes impedem que os procedimentos
 
planejados de emergência sejam adotados.
 
Nesses casos, passam a exigir ações mais criativas e
 
diferenciadas, devendo ser planejadas por equipes de técnicos
10
especializados, com a parceria das universidades.
 
O gerenciamento de acidentes de trânsito, como a
 
velocidade que se desfaz o local de uma batida numa via
 
estrutural, envolve o uso de equipamentos especiais, como
 
helicópteros, e de pessoal devidamente treinado para isso. É
15
crucial haver integração e coordenação entre os órgãos gestores
 
da mobilidade urbana, para solucionar rapidamente as demandas
 
dessa natureza.
 
Situações como obras, fechamento de ruas e de faixas de
 
tráfego, enchentes, alagamentos das vias e quedas de encostas e
20
árvores, que impedem a circulação normal de veículos,
 
necessitam de sinalização adequada, de informação relevante e
 
bem veiculada em várias mídias, de agentes de trânsito
 
devidamente preparados, de cavaletes e indicação dos desvios
 
possíveis, para diminuir os impactos negativos.
25
Podemos fazer analogia com um infarto e um AVC, que
 
impedem o fluxo de sangue e exigem providências urgentes para
 
que a pessoa não morra. O mesmo fenômeno ocorre com o
 
trânsito, para que o fluxo seja restabelecido o mais rápido
 
possível.
(Eva Vider, O Globo, 9/10/2015 - adaptado)
A analogia final do texto 1 – trânsito e AVC – tem a seguinte finalidade textual:

Questão 12

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
A partir da leitura do primeiro parágrafo do texto 2, descobrimos que:

Questão 13

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
No texto 2, o autor emprega a primeira pessoa do plural em muitos segmentos. O segmento do texto abaixo que mostra um valor desse emprego diferente dos demais é:

Questão 14

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
“Seja você a mudança no trânsito”; a forma de reescrever-se essa mesma frase que mostra uma incorreção da forma verbal no imperativo é:

Questão 15

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
“Vivemos numa sociedade que tem o hábito de responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas do país. Em muitos casos são críticas absolutamente procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres humanos, ou seja, somos nós”.

O desvio de norma culta presente nesse segmento do texto 2 é:

Questão 16

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
“Vivemos numa sociedade que tem o hábito de responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas do país”.

O comentário abaixo, atribuído a um leitor de um jornal paulista, que comprova a afirmativa acima é:

Questão 17

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de alguém. Ninguém está livre disso”.

Nesse parágrafo do texto 2, há um conjunto de demonstrativos empregados de forma correta. O comentário inadequado sobre seu emprego é:

Questão 18

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
“Vivemos numa sociedade que tem o hábito de responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas do país. Em muitos casos são críticas absolutamente procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres humanos, ou seja, somos nós”.

Em termos argumentativos, o autor do texto 2:

Questão 19

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Estamos no último dia da Semana Nacional do Trânsito e
 
vamos encerrar falando sobre o tema que foi bem escolhido pelo
 
Denatran: Seja Você a Mudança no Trânsito.
 
Vivemos numa sociedade que tem o hábito de
5
responsabilizar o Estado, autoridades e governos pelas mazelas
 
do país. Em muitos casos são críticas absolutamente
 
procedentes, mas, quando o tema é segurança no trânsito, não
 
nos podemos esquecer que quem faz o trânsito são seres
 
humanos, ou seja, somos nós.
10
Deveríamos aproveitar a importância desta semana para
 
refletir sobre nosso comportamento como pedestres,
 
passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como
 
cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como
 
dos demais. O pedestre que não respeita a faixa coloca em risco
15
sua vida e também a do motorista e de terceiros. Muitas vezes
 
para desviar de um pedestre e evitar seu atropelamento, um
 
motorista perde o controle do veículo e provoca um acidente
 
grave com outras pessoas que nada têm a ver com o
 
comportamento do pedestre. Não precisamos nem aprofundar as
20
consequências dos motoristas que andam em excesso de
 
velocidade, sob efeito de álcool, ou que dirigem uma carreta
 
cansados. São todos fatores humanos que contribuem para o que
 
chamamos de acidente.
 
(....) Nesta semana nacional do trânsito pelo menos mil
25
pessoas vão ter morrido nas ruas e nas estradas. Não podemos
 
mais tolerar esses números e, para que isso mude realmente, é
 
preciso que você e cada um de nós sejamos de fato os agentes da
 
mudança na direção de um trânsito mais seguro. Com certeza
 
você pode contribuir para isso, aproveite esta semana para
30
refletir e conversar sobre o tema com seus entes queridos e
 
amigos, afinal, quem morre no trânsito é amigo ou parente de
 
alguém. Ninguém está livre disso.
Rodolfo Alberto Rizzotto (adaptado)
“Deveríamos aproveitar a importância desta semana para refletir sobre nosso comportamento como pedestres, passageiros, motoristas, motociclistas, ciclistas, pais, enfim, como cidadãos cujas ações tem reflexo na nossa segurança, assim como dos demais”.

O comentário correto sobre os componentes desse segmento do texto 2 é:

Questão 20

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo

Deduz-se da leitura que:

Questão 21

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
O Colégio Bom Conselho, em Porto Alegre, promoveu um
 
concurso de charges sobre o trânsito e o primeiro lugar foi dado à
 
charge abaixo:
 
.
Sobre a charge, é correto afirmar que seu tema central é:

Questão 22

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
O Colégio Bom Conselho, em Porto Alegre, promoveu um
 
concurso de charges sobre o trânsito e o primeiro lugar foi dado à
 
charge abaixo:
 
.
A charge anterior apoia-se na estrutura de uma figura de linguagem, que é:

Questão 23

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo

A charge mostra uma característica das mudanças no trânsito, que é:

Questão 24

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
No primeiro parágrafo do texto 3 há duas formas verbais na voz passiva: “foram criadas” e “foram feitas”. A opção pela voz passiva faz com que as ações realizadas:

Questão 25

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
“Também foram feitas ciclovias e campanhas de conscientização”.

A forma ativa dessa frase passiva é:

Questão 26

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
“Todos esses pontos são avaliados como soluções para as demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte, que já enfrentam problemas semelhantes”.

A frase abaixo em que o vocábulo “mesmo” aparece com sentido idêntico ao que possui no trecho acima é:

Questão 27

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
Em todos os segmentos abaixo há a preocupação de eliminar-se o QUE das frases originais; a opção em que essa modificação foi feita de forma inadequada é:

Questão 28

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
Abaixo estão cinco medidas que pretendem melhorar o problema do trânsito nas grandes cidades. O aspecto positivo de uma delas que, no contexto, está apontado de forma correta é:

Questão 29

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
1
Em 1997 foram criados os rodízios para diminuir a
 
circulação de veículos em determinados horários na capital
 
paulista. Também foram feitas ciclovias (17,5 km) e campanhas
 
de conscientização. Mas nada disso resolveu o caos no trânsito.
5
Também foi incentivado o uso de motocicletas, que ocupam
 
menos espaço no tráfego. Porém, elas poluem mais do que
 
veículos novos e são as principais causadoras de mortes no
 
trânsito. Segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Instituto
 
Sangari, o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro subiu
10
23,9%, de 1998 a 2008; entre os motociclistas, o aumento foi de
 
753,8%.
 
Por isso, cada vez mais especialistas defendem a mobilidade
 
urbana sustentável. Uma das principais mudanças seria o
 
investimento em transporte coletivo e o desestímulo ao
15
individual.
 
Entre as medidas sugeridas – e uma das mais polêmicas –
 
está a cobrança de pedágio urbano. Ele consiste em cobrar uma
 
tarifa dos motoristas que circulem em determinadas áreas da
 
cidade. O modelo foi implantado pela primeira vez em 1975, em
20
Cingapura, e se espalhou por países europeus.
 
Em São Paulo, há projetos que tramitam na Câmara para
 
cobrar motoristas que trafeguem na região central. As tarifas
 
variam de R$ 1 a R$ 4, valor que especialistas acham pouco para
 
que a medida dê resultado.
25
Há ainda propostas de aumento da malha ferroviária –
 
atualmente, 60% do transporte brasileiro é feito em rodovias. São
 
Paulo, por exemplo, possui apenas 65,3 km de linhas de metrô,
 
enquanto Santiago do Chile (com metade da população paulista)
 
possui 83,2 km e Nova York, 479 km.
30
Todos esses pontos são avaliados como soluções para as
 
demais capitais brasileiras e mesmo para cidades de médio porte,
 
que já enfrentam problemas semelhantes.
Entre os termos sublinhados abaixo, aquele que exerce a função de complemento é:

Questão 30

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 31

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Francisco vendeu seu carro e, do valor recebido, usou a quarta parte para pagar dívidas, ficando então com R$ 21.600,00.

Francisco vendeu seu carro por:

Questão 32

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
No primeiro turno do campeonato piauiense de futebol 6 times participam, mas somente 4 chegam às semifinais.

O número de possibilidades diferentes para o conjunto dos 4 times que estarão nas semifinais é:

Questão 33

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em um prédio há três caixas d’água chamadas de A, B e C e, em certo momento, as quantidades de água, em litros, que cada uma contém aparecem na figura a seguir.

Abrindo as torneiras marcadas com x no desenho, as caixas foram interligadas e os níveis da água se igualaram.
Considere as seguintes possibilidades:

1. A caixa A perdeu 300 litros.
2. A caixa B ganhou 350 litros.
3. A caixa C ganhou 50 litros.

É verdadeiro o que se afirma em:

Questão 34

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Um grupo de 6 estagiários foi designado para rever 50 processos e cada processo deveria ser revisto por apenas um dos estagiários. No final do trabalho, todos os estagiários trabalharam e todos os processos foram revistos.
É correto afirmar que:

Questão 35

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A figura abaixo mostra uma pista circular de ciclismo dividida em 5 partes iguais pelos pontos A, B, C, D e E.

Os ciclistas Marcio e Paulo partem simultaneamente do ponto A, percorrendo a pista em sentidos opostos. Marcio anda no sentido horário com velocidade de 10km/h, Paulo no sentido anti-horário com velocidade de 15km/h, e eles se cruzam várias vezes.
Marcio e Paulo se cruzam pela terceira vez no ponto:

Questão 36

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A figura abaixo mostra a planta de um salão. Os ângulos A, B, C, D e E são retos e as medidas assinaladas estão em metros.

A área desse salão em m2 é:

Questão 37

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
As fotos dos 60 funcionários de certa seção da prefeitura serão colocadas em um quadro retangular, arrumadas em linhas e colunas. Sabe-se que o quadro deve ter pelo menos 3 linhas e pelo menos 3 colunas.
O número de formatos diferentes (número de linhas e número de colunas) que esse quadro poderá ter é:

Questão 38

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Considere a afirmação:

“Mato a cobra e mostro o pau”

A negação lógica dessa afirmação é:

Questão 39

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Cada um dos 160 funcionários da prefeitura de certo município possui nível de escolaridade: fundamental, médio ou superior. O quadro a seguir fornece algumas informações sobre a quantidade de funcionários em cada nível:

Sabe-se também que, desses funcionários, exatamente 64 têm nível médio. Desses funcionários, o número de homens com nível superior é:

Questão 40

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O conselho diretor de uma empresa teve os mesmos 5 membros desde o ano 2012. Na última reunião deste ano de 2015 o membro mais velho, que tinha 58 anos, foi substituído por um mais jovem, mas a média de idade dos membros do conselho ficou igual à média das idades na mesma época de 2012.

Na reunião de 2015, a idade do novo membro do conselho era de:

Questão 41

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em uma empresa com 40 funcionários, um funcionário é considerado novo quando está na empresa há menos de 5 anos e é considerado antigo quando está há 5 anos ou mais. Atualmente, há 14 funcionários novos na empresa, 18 funcionários com curso superior e 16 funcionários antigos que não possuem curso superior.
O número de funcionários novos com curso superior é:

Questão 42

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A partir do ano de 1852, quando a cidade de Teresina foi fundada, certa igreja resolveu promover, de 7 em 7 anos, uma festa em homenagem a Nossa Senhora do Amparo, a padroeira da cidade. Essa festa ocorre, então em 1859, 1866, e assim por diante, estabelecendo uma tradição.

Mantendo-se a tradição, a próxima festa será realizada em:

Questão 43

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Francisca tem um saco com moedas de 1 real. Ela percebeu que, fazendo grupos de 4 moedas, sobrava uma moeda, e, fazendo grupos de 3 moedas, ela conseguia 4 grupos a mais e sobravam 2 moedas.

O número de moedas no saco de Francisca é:

Questão 44

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Renato falou a verdade quando disse:

• Corro ou faço ginástica.
• Acordo cedo ou não corro.
• Como pouco ou não faço ginástica.
Certo dia, Renato comeu muito.

É correto concluir que, nesse dia, Renato:

Questão 45

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em um saco há 3 bolas brancas, 3 bolas amarelas e 3 bolas vermelhas. Duas delas são retiradas ao acaso.

A probabilidade de que essas bolas sejam de cores diferentes é:

Questão 46

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Para fins de divisão e organização do serviço, o Estado do Piauí possui uma divisão judiciária. A esse respeito, é correto afirmar que:

Questão 47

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito da denominada “reversão”, é correto afirmar que:

Questão 48

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo

» Esta questão foi anulada pela banca.
A criação de uma comarca está condicionada ao preenchimento de determinados requisitos previstos na lei de organização judiciária. A esse respeito, é correto afirmar que:

Questão 49

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito da sistemática afeta ao cargo de Secretário de Serviços Cartorários Cíveis, é correto afirmar, de acordo com a sistemática do Plano de Carreiras e Remuneração dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Piauí, que:

Questão 50

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 51

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em razão do escalonamento funcional existente no serviço público estadual e da correlata organização dos cargos públicos em carreira, é correto afirmar que:

Questão 52

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
No que diz respeito às garantias e às atividades desenvolvidas pelos Juízes de Direito Adjuntos, é correto afirmar que:

Questão 53

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito da responsabilização administrativa dos servidores, é correto afirmar, nos termos do Plano de Carreiras e Remuneração dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Piauí, que a instauração do respectivo processo administrativo ou sindicância punitiva cabe:

Questão 54

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Apesar de os Juízes de Direito possuírem a garantia constitucional da inamovibilidade, é possível determinar a sua remoção compulsória em situações excepcionais, o que ocorre quando demonstrado que sua permanência é prejudicial ao interesse público. A esse respeito, é correto afirmar que o processo de remoção compulsória:

Questão 55

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito das atribuições da carreira de Analista Processual, afeta à área judiciária do grupo funcional de Analista Judiciário, é correto afirmar que, no seu rol de competências está:

Questão 56

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Determinado servidor público sofreu grave acidente de trabalho e foi afastado do serviço público. Após um período de recuperação, foi sensível a redução de sua capacidade laborativa. Apesar disso, era plenamente possível que viesse a exercer atribuição diversa, compatível com suas atuais condições físicas.

Nesse caso, o referido servidor:

Questão 57

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Considerando a sistemática estabelecida no Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, a respeito dos limites das decisões monocráticas passíveis de serem proferidas pelo relator, é correto afirmar que ele:

Questão 58

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 59

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito da organização interna do Tribunal de Justiça do Piauí, para fins de prestação da tutela constitucional, é correto afirmar que ele funcionará:

Questão 60

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A denominada exoneração do serviço público é uma forma de dissolução do vínculo funcional passível de ocorrer quando o servidor público estadual:

Questão 61

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Dentre as metodologias de gestão voltadas à gestão por resultados no Brasil, destaca-se o Modelo de Excelência em Gestão Pública (MEGP). O MEGP estabelece um conjunto de parâmetros de avaliação de resultados, e a pontuação global obtida pela organização é avaliada de forma a descrever a maturidade da gestão.

No MEGP, a máxima maturidade de gestão é aquela na qual há:

Questão 62

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão estabeleceu um Manual de Orientação para a Gestão do Desempenho como um instrumento de gestão capaz de gerar melhoria contínua de resultados dos servidores e equipes de trabalho. Esse manual especifica 4 níveis no processo de desmembramento de metas, conforme a sistemática para avaliação de desempenho.

Dentre esses níveis de desmembramento, NÃO estão previstos:

Questão 63

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O Plano Plurianual (PPA) é um dos instrumentos de planejamento e gestão pública do país, em formato de Lei, que segue um processo de elaboração e aprovação com características específicas.

A respeito desse processo, é correto afirmar que:

Questão 64

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
No processo de planejamento público governamental, entre os diversos instrumentos, destaca-se aquele que estima as receitas que o Governo deverá arrecadar durante o ano e fixa os gastos a serem realizados com tais recursos.

Esse instrumento é denominado:

Questão 65

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Algumas discussões contemporâneas sobre formulação e implementação de políticas públicas sustentam-se em dois fundamentos:

I . regras gerais que estabelecem o funcionamento dos sistemas político, econômico e social;
II . conjunto de regras, mecanismos e processos que definem a forma particular como se coordenam atores e interesses na implementação de uma política pública específica.

Esses fundamentos são denominados:

Questão 66

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A formulação de políticas públicas pode ser compreendida de maneiras distintas, de acordo com a teoria subjacente que a explica.

Uma política formulada com base no modelo do processo organizacional fundamenta-se na ideia de que:

Questão 67

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Parceria Público-Privada (PPP) é uma modalidade de concessão de serviços públicos e de financiamento ao setor público.

A esse respeito, é correto afirmar que:

Questão 68

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Um gestor público pode optar por diferentes formas de execução dos serviços públicos, desde a sua realização direta até a terceirização.

A terceirização é uma modalidade específica que apresenta:

Questão 69

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
É comum que as pessoas associem o conceito de accountability apenas à noção de transparência e acesso às informações apresentadas por órgãos públicos. Desconstruindo essa visão simplista, alguns autores indicam que o accountability em países democráticos envolvem aspectos relacionados ao processo eleitoral, ao controle institucional durante o mandato e às regras estatais intertemporais para além dos mandatos.

É um instrumento de accountability relacionado ao processo eleitoral:

Questão 70

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A reforma do Estado no âmbito do Decreto Lei nº 200/67 é amplamente conhecida pela implantação da noção de administração direta e indireta.

Segundo diversos analistas e estudiosos, dado o conjunto de ações visando a sua implementação, surgiram naquele momento da reforma consequências inadequadas, dentre as quais destaca(m)se:

Questão 71

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Um gerente recebeu os seguintes resultados de uma pesquisa sobre percepções e expectativas no trabalho realizada junto a sua equipe: a equipe está desmotivada; os membros da equipe consideram que têm autonomia para realizar o trabalho; os membros da equipe percebem que o trabalho não requer o uso de habilidades variadas e consideram que seu trabalho é pouco relevante para a empresa.
O gerente gostaria de realizar mudanças nos cargos que permitissem estimular a motivação dos membros da equipe.
Para tal, na situação descrita, seria mais adequado adotar:

Questão 72

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Um gerente de operações precisa decidir que máquina de corte adquirir para uso na linha de montagem da fábrica em que trabalha. A tabela abaixo apresenta a avaliação das alternativas das máquinas por fabricante, em cada um dos critérios de avaliação considerados, bem como os pesos atribuídos a cada critério:

Assumindo que essas são todas as opções de máquinas disponíveis e que esses são todos os critérios relevantes para avaliação das máquinas, pelo modelo racional de tomada de decisão, o gerente deveria escolher a máquina do fornecedor:

Questão 73

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Uma das etapas da administração estratégica é a análise do ambiente externo à empresa. Essa análise permite que sejam identificadas ameaças e oportunidades ambientais. A análise de oportunidades começa com a identificação da estrutura genérica do setor, sendo quatro delas bastante comuns: setores fragmentados, setores emergentes, setores maduros e setores em declínio. Nos setores em declínio, entre as principais opções estratégicas para exploração de oportunidades, estão as chamadas estratégias de:

Questão 74

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A XYZ é uma fabricante de produtos eletrônicos que atua em um ambiente dinâmico e de forte competição, adotando estratégia de diferenciação de produto no nível do negócio. Para fortalecer sua estratégia de negócio, a XYZ quer rever alguns de seus requisitos organizacionais. Em relação à estrutura organizacional, aos sistemas de controle gerencial e às políticas de remuneração, seria adequado implantar, respectivamente:

Questão 75

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Uma empresa do setor químico redefiniu sua estrutura de funcional para matricial, de forma a acomodar equipes multidisciplinares para projetos estratégicos específicos.

A antiga estrutura tem como vantagens em relação à nova:

Questão 76

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Um gerente de operações quer desenvolver uma rede PERT para o projeto de construção de uma nova fábrica. Ele identificou as atividades necessárias para completar o projeto, determinou a ordem em que esses eventos precisam ser completados e diagramou o fluxo de todas as atividades, relacionando-as entre si. O próximo passo para o desenvolvimento do PERT será:

Questão 77

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em uma equipe de trabalho de seis pessoas, o funcionário A se destaca por sua autonomia e pela capacidade de propor ideias e conceitos. Já o funcionário B é objetivo e prático. Como B afirmou, “A é quem traz as novas ideias para o grupo, mas quem organiza a equipe, estabelece os objetivos e faz tudo acontecer sou eu”. Os papéis que A e B desempenham na equipe são, respectivamente, de:

Questão 78

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Uma empresa quer implantar o balanced scorecard como ferramenta de apoio à gestão estratégica. O diretor de marketing quer propor indicadores relativos à perspectiva “clientes”, pois acredita que os problemas mais críticos enfrentados pela empresa estão relacionados à criação de valor para os clientes.

Seria um indicador essencial para medir objetivos relativos a essa perspectiva:

Questão 79

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O diretor da área de finanças de uma empresa em fase de crescimento, que pretende adotar o balanced scorecard como ferramenta de gestão, precisa propor indicadores relativos ao tema estratégico “crescimento e mix de receita”, dentro da perspectiva financeira.

Seriam indicadores adequados:

Questão 80

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O Tribunal de Justiça de determinado Estado, com escopo de melhor organizar sua estrutura e conferir maior eficiência às atividades administrativas, procedeu ao chamado desmembramento orgânico. Assim, o antigo departamento de Recursos Humanos e Licitação se subdividiu em dois novos órgãos autônomos: Departamento de Recursos Humanos e Departamento de Licitação. A doutrina de Direito Administrativo denomina o processo eminentemente interno de substituição de um órgão por dois com o objetivo de melhorar e acelerar a prestação do serviço de:

Questão 81

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A Secretaria Estadual de Trabalho em conjunto com a de Cultura, atentas à atual crise de emprego e aproveitando o sucesso dos programas culinários, com escopo de fomentar a qualificação profissional de cozinheiros regionais, organizou curso de especialização em comidas típicas do Piauí. Inicialmente, o edital do curso previu que apenas cozinheiros com experiência poderiam se inscrever. Posteriormente, ao verificarem a baixa procura e a existência de grande quantidade de profissionais sem experiência comprovada, as Secretarias Estaduais envolvidas revogaram o edital e publicaram um novo, permitindo a inscrição de qualquer cozinheiro, independentemente de experiência. O princípio administrativo implícito que viabilizou a alteração do edital, permitindo a revisão de mérito de ato administrativo anterior por motivos de oportunidade e conveniência, é o princípio da:

Questão 82

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 83

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Subordinam-se aos ditames normativos da Lei nº 8.666/93, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública, os órgãos elencados naquele diploma legal. A alternativa mais completa, que contempla todos que estão sujeitos a tal regime jurídico é:

Questão 84

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 85

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Em tema de bens públicos, o ato administrativo pelo qual a Administração Pública consente que certa pessoa utilize privativamente bem público, atendendo ao mesmo tempo aos interesses público e privado, como a utilização de praças públicas para feiras de artesanato, é a:

Questão 86

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 87

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 88

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A Constituição do Estado de Direito X, recém promulgada, dispôs que (1) certas normas nela inseridas eram insuscetíveis de alteração por qualquer processo de reforma constitucional, (2) outras poderiam ser alteradas com observância das regras do processo legislativo ordinário e ainda indicou (3) aquelas que exigiriam um processo mais complexo para reforma, com menor número de legitimados à sua deflagração e quórum qualificado de aprovação. Sob a ótica da estabilidade, é correto afirmar que essa Constituição é:

Questão 89

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
A respeito dos modelos difuso e concentrado de controle de constitucionalidade, ambos encampados pelo sistema constitucional brasileiro, é correto afirmar que o controle:

Questão 90

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 91

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Determinada lei estadual, com o objetivo de frear a “litigiosidade impulsiva”, dispôs que seria exigido o depósito prévio de 100% (cem por cento) do valor da condenação para a interposição de recurso no âmbito do Juizado Especial Cível. À luz da sistemática constitucional de repartição de competências entre os entes federativos, é correto afirmar que a lei é:

Questão 92

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Considerando a preocupação da ordem constitucional com a proteção da pessoa humana, é correto afirmar, sob a ótica da eficácia, que as normas constitucionais afetas aos:

Questão 93

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Apesar das sucessivas solicitações formuladas pelos moradores de uma determinada localidade, o Estado deixou de reforçar a segurança no local. Em razão dessa omissão, foi praticado novo ilícito em detrimento de um morador, o que lhe causou danos patrimoniais. Nesse caso, é correto afirmar que eventual responsabilidade do Estado será de natureza:

Questão 94

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 95

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Augusto, devidamente representado por advogado, com observância das normas afetas à competência jurisdicional, impetrou mandado de segurança contra ato de determinada autoridade perante o Tribunal de Justiça do seu Estado. O Tribunal, após regular tramitação do feito, julgou improcedente o pedido sob o argumento de não ter sido demonstrada a lesão a direito líquido e certo. Irresignado, Augusto decide recorrer.

Considerando os dados do problema e à luz da sistemática constitucional, é correto afirmar ser cabível a interposição de recurso:

Questão 96

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Elisa convencionou com Lourdes a doação periódica de certa quantia em dinheiro caso ela seja aprovada e curse a faculdade de Administração no estado vizinho à cidade onde moram.

Sobre a situação descrita, é correto afirmar que o ajuste negocial está sujeito:

Questão 97

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Margarida, artista plástica, contratou a compra de madeira de demolição, proveniente de um prédio do centro histórico de Teresina.

Sobre a situação narrada, é correto afirmar que os bens são considerados:

Questão 98

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Pietra negocia a compra de um veículo pertencente a Bruna. Antes do ajuste, levam o carro a uma oficina mecânica. Camila, mecânica de veículos automotores, avalia o estado do carro e, deliberadamente, por ser desafeto de Pietra, informa que o carro está em excelente condição, embora tal informação não corresponda à realidade. O veículo apresenta uma série de defeitos mecânicos conhecidos de Bruna e falseados por Camila.

A hipótese narrada configura:

Questão 99

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
Bianca, ao ser informada sobre seu estado de saúde e sobre a necessidade imediata de internação para a retirada integral de uma de suas mamas, recusa-se a seguir as recomendações médicas e volta para casa. A situação narrada está mais proximamente relacionada ao direito:

Questão 100

TJ/PI 2015 - FGV - Analista Judiciário - Administrativa - Analista Administrativo
O Jornal ZY divulgou em sua página da internet a notícia de que Erínia, por vingança, havia matado sua enteada de três anos. Entretanto, a foto divulgada, por erro da edição do jornal, não era da criminosa, mas de Angélica, professora do ensino infantil.

No plano Civil, o caso narrado revela a ocorrência de:



Provas de Concursos » Fgv 2015