×
Técnico Administrativo - Administrativa
×

CFP 2016

Analista Técnico - Suporte em TI

Questão 1

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
É, suponho que é em mim, como um dos
 
representantes de nós, que devo procurar por que está
 
doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me
 
adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do
5
que os seus crimes. Perguntei a minha cozinheira o que pensava sobre o assunto. Vi no seu rosto a pequena
 
convulsão de um conflito, o mal-estar de não entender o
 
que se sente, o de precisar trair sensações contraditórias
 
por não saber como harmonizá-las. Fatos irredutíveis, mas
 
revolta irredutível também, a violenta compaixão da
10
revolta. Sentir-se dividido na própria perplexidade diante
 
de não poder esquecer que Mineirinho era perigoso e já
 
matara demais; e no entanto nós o queríamos vivo. [...]
 
Mas há alguma coisa que, se me faz ouvir o
 
primeiro e o segundo tiro com um alívio de segurança, no
15
terceiro me deixa alerta, no quarto desassossegada, o
 
quinto e o sexto me cobrem de vergonha, o sétimo e o
 
oitavo eu ouço com o coração batendo de horror, no nono
 
e no décimo minha boca está trêmula, no décimo primeiro
 
digo em espanto o nome de Deus, no décimo segundo
20
chamo meu irmão. O décimo terceiro tiro me assassina —
 
porque eu sou o outro. Porque eu quero ser o outro.
 
Essa justiça que vela meu sono, eu a repudio,
 
humilhada por precisar dela. Enquanto isso durmo e
 
falsamente me salvo. Nós, os sonsos essenciais. Para que
25
minha casa funcione, exijo de mim como primeiro dever
 
que eu seja sonsa, que eu não exerça a minha revolta e o
 
meu amor, guardados. Se eu não for sonsa, minha casa
 
estremece. [...]
 
Em Mineirinho se rebentou o meu modo de viver.
30
[...] Sua assustada violência. Sua violência inocente — não
 
nas consequências, mas em si inocente como a de um filho
 
de quem o pai não tomou conta. Tudo o que nele foi
 
violência é em nós furtivo, e um evita o olhar do outro para
 
não corrermos o risco de nos entendermos. Para que a casa
35
não estremeça. A violência rebentada em Mineirinho que
 
só outra mão de homem, a mão da esperança, pousando
 
sobre sua cabeça aturdida e doente, poderia aplacar e fazer
 
com que seus olhos surpreendidos se erguessem e enfim se
 
enchessem de lágrimas. [...]
40
A justiça prévia, essa não me envergonharia. Já era
 
tempo de, com ironia ou não, sermos mais divinos; se
 
adivinhamos o que seria a bondade de Deus é porque
 
adivinhamos em nós a bondade, aquela que vê o homem
 
antes de ele ser um doente do crime. Continuo, porém,
45
esperando que Deus seja o pai, quando sei que um homem
 
pode ser o pai de outro homem. E continuo a morar na casa
 
fraca. Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem,
 
essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar
 
pelos ares uma porta trancada. [...] o que me sustenta é
50
saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu
 
precisar para dormir tranquila e que outros furtivamente
 
fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer.
 
[...] Feito doidos, nós o conhecemos, a esse homem morto
 
onde a grama de radium se incendiara. Mas só feito doidos,
55
e não como sonsos, o conhecemos. [...]
 
Até que viesse uma justiça um pouco mais doida.
 
Uma que levasse em conta que todos temos que falar por
 
um homem que se desesperou porque neste a fala humana
 
já falhou, ele já é tão mudo que só o bruto grito
60
desarticulado serve de sinalização. Uma justiça prévia que
 
se lembrasse de que nossa grande luta é a do medo, e que
 
um homem que mata muito é porque teve muito medo.
 
Sobretudo uma justiça que se olhasse a si própria, e que
 
visse que nós todos, lama viva, somos escuros, e por isso
65
nem mesmo a maldade de um homem pode ser entregue à
 
maldade de outro homem: para que este não possa
 
cometer livre e aprovadamente um crime de fuzilamento.
 
Uma justiça que não se esqueça de que nós todos
 
somos perigosos, e que na hora em que o justiceiro mata,
70
ele não está mais nos protegendo nem querendo eliminar
 
um criminoso, ele está cometendo o seu crime particular,
 
um longamente guardado. [...]
Clarice Lispector (Disponível em ip.usp.br. Adaptado.)
Após a leitura do texto, considerando-o como um todo e levando em conta os sentidos pretendidos por sua autora ou as implicações decorrentes deles, julgue as afirmativas a seguir para então assinalar a alternativa correta.

I. Logo no início do texto, o uso do vocábulo "facínora" indica que sua autora está, a princípio, marcando uma distância moral entre sua própria conduta e a conduta do sujeito de que escreve, no entanto, ao longo do texto, essa distância vai sendo desconstruída e uma pista disso está na frase "porque eu sou o outro".
II. Toda a composição está ordenada de modo a construir um paralelo de opostos entre os vocábulos "sonsos" e "doidos". Nessa perspectiva, sonsos são os que se sentem seguros com o massacre de um facínora, como Mineirinho, enquanto os doidos são capazes de entender que um criminoso é, igualmente, uma vítima que poderia não existir caso tivesse sido amparada.
III. A dita "justiça prévia", como a concebe Clarice Lispector, seria a justiça que, antes de julgar e assassinar um criminoso, entende a mais verdadeira condição dele, procurando evitar que o homem esquecido e desesperado de hoje torne-se o assassino violento e odiado de amanhã.

Está correto o que se afirma em:

Questão 2

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
É, suponho que é em mim, como um dos
 
representantes de nós, que devo procurar por que está
 
doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me
 
adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do
5
que os seus crimes. Perguntei a minha cozinheira o que pensava sobre o assunto. Vi no seu rosto a pequena
 
convulsão de um conflito, o mal-estar de não entender o
 
que se sente, o de precisar trair sensações contraditórias
 
por não saber como harmonizá-las. Fatos irredutíveis, mas
 
revolta irredutível também, a violenta compaixão da
10
revolta. Sentir-se dividido na própria perplexidade diante
 
de não poder esquecer que Mineirinho era perigoso e já
 
matara demais; e no entanto nós o queríamos vivo. [...]
 
Mas há alguma coisa que, se me faz ouvir o
 
primeiro e o segundo tiro com um alívio de segurança, no
15
terceiro me deixa alerta, no quarto desassossegada, o
 
quinto e o sexto me cobrem de vergonha, o sétimo e o
 
oitavo eu ouço com o coração batendo de horror, no nono
 
e no décimo minha boca está trêmula, no décimo primeiro
 
digo em espanto o nome de Deus, no décimo segundo
20
chamo meu irmão. O décimo terceiro tiro me assassina —
 
porque eu sou o outro. Porque eu quero ser o outro.
 
Essa justiça que vela meu sono, eu a repudio,
 
humilhada por precisar dela. Enquanto isso durmo e
 
falsamente me salvo. Nós, os sonsos essenciais. Para que
25
minha casa funcione, exijo de mim como primeiro dever
 
que eu seja sonsa, que eu não exerça a minha revolta e o
 
meu amor, guardados. Se eu não for sonsa, minha casa
 
estremece. [...]
 
Em Mineirinho se rebentou o meu modo de viver.
30
[...] Sua assustada violência. Sua violência inocente — não
 
nas consequências, mas em si inocente como a de um filho
 
de quem o pai não tomou conta. Tudo o que nele foi
 
violência é em nós furtivo, e um evita o olhar do outro para
 
não corrermos o risco de nos entendermos. Para que a casa
35
não estremeça. A violência rebentada em Mineirinho que
 
só outra mão de homem, a mão da esperança, pousando
 
sobre sua cabeça aturdida e doente, poderia aplacar e fazer
 
com que seus olhos surpreendidos se erguessem e enfim se
 
enchessem de lágrimas. [...]
40
A justiça prévia, essa não me envergonharia. Já era
 
tempo de, com ironia ou não, sermos mais divinos; se
 
adivinhamos o que seria a bondade de Deus é porque
 
adivinhamos em nós a bondade, aquela que vê o homem
 
antes de ele ser um doente do crime. Continuo, porém,
45
esperando que Deus seja o pai, quando sei que um homem
 
pode ser o pai de outro homem. E continuo a morar na casa
 
fraca. Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem,
 
essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar
 
pelos ares uma porta trancada. [...] o que me sustenta é
50
saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu
 
precisar para dormir tranquila e que outros furtivamente
 
fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer.
 
[...] Feito doidos, nós o conhecemos, a esse homem morto
 
onde a grama de radium se incendiara. Mas só feito doidos,
55
e não como sonsos, o conhecemos. [...]
 
Até que viesse uma justiça um pouco mais doida.
 
Uma que levasse em conta que todos temos que falar por
 
um homem que se desesperou porque neste a fala humana
 
já falhou, ele já é tão mudo que só o bruto grito
60
desarticulado serve de sinalização. Uma justiça prévia que
 
se lembrasse de que nossa grande luta é a do medo, e que
 
um homem que mata muito é porque teve muito medo.
 
Sobretudo uma justiça que se olhasse a si própria, e que
 
visse que nós todos, lama viva, somos escuros, e por isso
65
nem mesmo a maldade de um homem pode ser entregue à
 
maldade de outro homem: para que este não possa
 
cometer livre e aprovadamente um crime de fuzilamento.
 
Uma justiça que não se esqueça de que nós todos
 
somos perigosos, e que na hora em que o justiceiro mata,
70
ele não está mais nos protegendo nem querendo eliminar
 
um criminoso, ele está cometendo o seu crime particular,
 
um longamente guardado. [...]
Clarice Lispector (Disponível em ip.usp.br. Adaptado.)
Releia o primeiro parágrafo do texto e analise especialmente a frase que ali está em destaque, para então assinalar a seguir a alternativa que contenha comentários morfossintáticos corretos em relação à frase.

Questão 3

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
É, suponho que é em mim, como um dos
 
representantes de nós, que devo procurar por que está
 
doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me
 
adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do
5
que os seus crimes. Perguntei a minha cozinheira o que pensava sobre o assunto. Vi no seu rosto a pequena
 
convulsão de um conflito, o mal-estar de não entender o
 
que se sente, o de precisar trair sensações contraditórias
 
por não saber como harmonizá-las. Fatos irredutíveis, mas
 
revolta irredutível também, a violenta compaixão da
10
revolta. Sentir-se dividido na própria perplexidade diante
 
de não poder esquecer que Mineirinho era perigoso e já
 
matara demais; e no entanto nós o queríamos vivo. [...]
 
Mas há alguma coisa que, se me faz ouvir o
 
primeiro e o segundo tiro com um alívio de segurança, no
15
terceiro me deixa alerta, no quarto desassossegada, o
 
quinto e o sexto me cobrem de vergonha, o sétimo e o
 
oitavo eu ouço com o coração batendo de horror, no nono
 
e no décimo minha boca está trêmula, no décimo primeiro
 
digo em espanto o nome de Deus, no décimo segundo
20
chamo meu irmão. O décimo terceiro tiro me assassina —
 
porque eu sou o outro. Porque eu quero ser o outro.
 
Essa justiça que vela meu sono, eu a repudio,
 
humilhada por precisar dela. Enquanto isso durmo e
 
falsamente me salvo. Nós, os sonsos essenciais. Para que
25
minha casa funcione, exijo de mim como primeiro dever
 
que eu seja sonsa, que eu não exerça a minha revolta e o
 
meu amor, guardados. Se eu não for sonsa, minha casa
 
estremece. [...]
 
Em Mineirinho se rebentou o meu modo de viver.
30
[...] Sua assustada violência. Sua violência inocente — não
 
nas consequências, mas em si inocente como a de um filho
 
de quem o pai não tomou conta. Tudo o que nele foi
 
violência é em nós furtivo, e um evita o olhar do outro para
 
não corrermos o risco de nos entendermos. Para que a casa
35
não estremeça. A violência rebentada em Mineirinho que
 
só outra mão de homem, a mão da esperança, pousando
 
sobre sua cabeça aturdida e doente, poderia aplacar e fazer
 
com que seus olhos surpreendidos se erguessem e enfim se
 
enchessem de lágrimas. [...]
40
A justiça prévia, essa não me envergonharia. Já era
 
tempo de, com ironia ou não, sermos mais divinos; se
 
adivinhamos o que seria a bondade de Deus é porque
 
adivinhamos em nós a bondade, aquela que vê o homem
 
antes de ele ser um doente do crime. Continuo, porém,
45
esperando que Deus seja o pai, quando sei que um homem
 
pode ser o pai de outro homem. E continuo a morar na casa
 
fraca. Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem,
 
essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar
 
pelos ares uma porta trancada. [...] o que me sustenta é
50
saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu
 
precisar para dormir tranquila e que outros furtivamente
 
fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer.
 
[...] Feito doidos, nós o conhecemos, a esse homem morto
 
onde a grama de radium se incendiara. Mas só feito doidos,
55
e não como sonsos, o conhecemos. [...]
 
Até que viesse uma justiça um pouco mais doida.
 
Uma que levasse em conta que todos temos que falar por
 
um homem que se desesperou porque neste a fala humana
 
já falhou, ele já é tão mudo que só o bruto grito
60
desarticulado serve de sinalização. Uma justiça prévia que
 
se lembrasse de que nossa grande luta é a do medo, e que
 
um homem que mata muito é porque teve muito medo.
 
Sobretudo uma justiça que se olhasse a si própria, e que
 
visse que nós todos, lama viva, somos escuros, e por isso
65
nem mesmo a maldade de um homem pode ser entregue à
 
maldade de outro homem: para que este não possa
 
cometer livre e aprovadamente um crime de fuzilamento.
 
Uma justiça que não se esqueça de que nós todos
 
somos perigosos, e que na hora em que o justiceiro mata,
70
ele não está mais nos protegendo nem querendo eliminar
 
um criminoso, ele está cometendo o seu crime particular,
 
um longamente guardado. [...]
Clarice Lispector (Disponível em ip.usp.br. Adaptado.)
Veja esta definição: "Período iniciado por uma palavra ou locução, seguida de pausa, que tem como continuação uma oração em que essa palavra ou locução não se integra diretamente, embora esteja integrada pelo sentido e, de alguma forma, retomada sintaticamente". No texto apresentado, há algumas ocorrências dessa estrutura, denominada anacoluto. Assinale a alternativa que contenha um período do texto em que isso aconteça.

Questão 4

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
É, suponho que é em mim, como um dos
 
representantes de nós, que devo procurar por que está
 
doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me
 
adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do
5
que os seus crimes. Perguntei a minha cozinheira o que pensava sobre o assunto. Vi no seu rosto a pequena
 
convulsão de um conflito, o mal-estar de não entender o
 
que se sente, o de precisar trair sensações contraditórias
 
por não saber como harmonizá-las. Fatos irredutíveis, mas
 
revolta irredutível também, a violenta compaixão da
10
revolta. Sentir-se dividido na própria perplexidade diante
 
de não poder esquecer que Mineirinho era perigoso e já
 
matara demais; e no entanto nós o queríamos vivo. [...]
 
Mas há alguma coisa que, se me faz ouvir o
 
primeiro e o segundo tiro com um alívio de segurança, no
15
terceiro me deixa alerta, no quarto desassossegada, o
 
quinto e o sexto me cobrem de vergonha, o sétimo e o
 
oitavo eu ouço com o coração batendo de horror, no nono
 
e no décimo minha boca está trêmula, no décimo primeiro
 
digo em espanto o nome de Deus, no décimo segundo
20
chamo meu irmão. O décimo terceiro tiro me assassina —
 
porque eu sou o outro. Porque eu quero ser o outro.
 
Essa justiça que vela meu sono, eu a repudio,
 
humilhada por precisar dela. Enquanto isso durmo e
 
falsamente me salvo. Nós, os sonsos essenciais. Para que
25
minha casa funcione, exijo de mim como primeiro dever
 
que eu seja sonsa, que eu não exerça a minha revolta e o
 
meu amor, guardados. Se eu não for sonsa, minha casa
 
estremece. [...]
 
Em Mineirinho se rebentou o meu modo de viver.
30
[...] Sua assustada violência. Sua violência inocente — não
 
nas consequências, mas em si inocente como a de um filho
 
de quem o pai não tomou conta. Tudo o que nele foi
 
violência é em nós furtivo, e um evita o olhar do outro para
 
não corrermos o risco de nos entendermos. Para que a casa
35
não estremeça. A violência rebentada em Mineirinho que
 
só outra mão de homem, a mão da esperança, pousando
 
sobre sua cabeça aturdida e doente, poderia aplacar e fazer
 
com que seus olhos surpreendidos se erguessem e enfim se
 
enchessem de lágrimas. [...]
40
A justiça prévia, essa não me envergonharia. Já era
 
tempo de, com ironia ou não, sermos mais divinos; se
 
adivinhamos o que seria a bondade de Deus é porque
 
adivinhamos em nós a bondade, aquela que vê o homem
 
antes de ele ser um doente do crime. Continuo, porém,
45
esperando que Deus seja o pai, quando sei que um homem
 
pode ser o pai de outro homem. E continuo a morar na casa
 
fraca. Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem,
 
essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar
 
pelos ares uma porta trancada. [...] o que me sustenta é
50
saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu
 
precisar para dormir tranquila e que outros furtivamente
 
fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer.
 
[...] Feito doidos, nós o conhecemos, a esse homem morto
 
onde a grama de radium se incendiara. Mas só feito doidos,
55
e não como sonsos, o conhecemos. [...]
 
Até que viesse uma justiça um pouco mais doida.
 
Uma que levasse em conta que todos temos que falar por
 
um homem que se desesperou porque neste a fala humana
 
já falhou, ele já é tão mudo que só o bruto grito
60
desarticulado serve de sinalização. Uma justiça prévia que
 
se lembrasse de que nossa grande luta é a do medo, e que
 
um homem que mata muito é porque teve muito medo.
 
Sobretudo uma justiça que se olhasse a si própria, e que
 
visse que nós todos, lama viva, somos escuros, e por isso
65
nem mesmo a maldade de um homem pode ser entregue à
 
maldade de outro homem: para que este não possa
 
cometer livre e aprovadamente um crime de fuzilamento.
 
Uma justiça que não se esqueça de que nós todos
 
somos perigosos, e que na hora em que o justiceiro mata,
70
ele não está mais nos protegendo nem querendo eliminar
 
um criminoso, ele está cometendo o seu crime particular,
 
um longamente guardado. [...]
Clarice Lispector (Disponível em ip.usp.br. Adaptado.)
Releia esta passagem do texto:

"Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem, essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar pelos ares uma porta trancada."

Agora, analise a estrutura que está na base da passagem transcrita, para assinalar a alternativa que contenha um sintagma destacado com a mesma função sintática (no contexto em que aparece) da palavra "que", em destaque acima.

Questão 5

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
É, suponho que é em mim, como um dos
 
representantes de nós, que devo procurar por que está
 
doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me
 
adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do
5
que os seus crimes. Perguntei a minha cozinheira o que pensava sobre o assunto. Vi no seu rosto a pequena
 
convulsão de um conflito, o mal-estar de não entender o
 
que se sente, o de precisar trair sensações contraditórias
 
por não saber como harmonizá-las. Fatos irredutíveis, mas
 
revolta irredutível também, a violenta compaixão da
10
revolta. Sentir-se dividido na própria perplexidade diante
 
de não poder esquecer que Mineirinho era perigoso e já
 
matara demais; e no entanto nós o queríamos vivo. [...]
 
Mas há alguma coisa que, se me faz ouvir o
 
primeiro e o segundo tiro com um alívio de segurança, no
15
terceiro me deixa alerta, no quarto desassossegada, o
 
quinto e o sexto me cobrem de vergonha, o sétimo e o
 
oitavo eu ouço com o coração batendo de horror, no nono
 
e no décimo minha boca está trêmula, no décimo primeiro
 
digo em espanto o nome de Deus, no décimo segundo
20
chamo meu irmão. O décimo terceiro tiro me assassina —
 
porque eu sou o outro. Porque eu quero ser o outro.
 
Essa justiça que vela meu sono, eu a repudio,
 
humilhada por precisar dela. Enquanto isso durmo e
 
falsamente me salvo. Nós, os sonsos essenciais. Para que
25
minha casa funcione, exijo de mim como primeiro dever
 
que eu seja sonsa, que eu não exerça a minha revolta e o
 
meu amor, guardados. Se eu não for sonsa, minha casa
 
estremece. [...]
 
Em Mineirinho se rebentou o meu modo de viver.
30
[...] Sua assustada violência. Sua violência inocente — não
 
nas consequências, mas em si inocente como a de um filho
 
de quem o pai não tomou conta. Tudo o que nele foi
 
violência é em nós furtivo, e um evita o olhar do outro para
 
não corrermos o risco de nos entendermos. Para que a casa
35
não estremeça. A violência rebentada em Mineirinho que
 
só outra mão de homem, a mão da esperança, pousando
 
sobre sua cabeça aturdida e doente, poderia aplacar e fazer
 
com que seus olhos surpreendidos se erguessem e enfim se
 
enchessem de lágrimas. [...]
40
A justiça prévia, essa não me envergonharia. Já era
 
tempo de, com ironia ou não, sermos mais divinos; se
 
adivinhamos o que seria a bondade de Deus é porque
 
adivinhamos em nós a bondade, aquela que vê o homem
 
antes de ele ser um doente do crime. Continuo, porém,
45
esperando que Deus seja o pai, quando sei que um homem
 
pode ser o pai de outro homem. E continuo a morar na casa
 
fraca. Essa casa, cuja porta protetora eu tranco tão bem,
 
essa casa não resistirá à primeira ventania que fará voar
 
pelos ares uma porta trancada. [...] o que me sustenta é
50
saber que sempre fabricarei um deus à imagem do que eu
 
precisar para dormir tranquila e que outros furtivamente
 
fingirão que estamos todos certos e que nada há a fazer.
 
[...] Feito doidos, nós o conhecemos, a esse homem morto
 
onde a grama de radium se incendiara. Mas só feito doidos,
55
e não como sonsos, o conhecemos. [...]
 
Até que viesse uma justiça um pouco mais doida.
 
Uma que levasse em conta que todos temos que falar por
 
um homem que se desesperou porque neste a fala humana
 
já falhou, ele já é tão mudo que só o bruto grito
60
desarticulado serve de sinalização. Uma justiça prévia que
 
se lembrasse de que nossa grande luta é a do medo, e que
 
um homem que mata muito é porque teve muito medo.
 
Sobretudo uma justiça que se olhasse a si própria, e que
 
visse que nós todos, lama viva, somos escuros, e por isso
65
nem mesmo a maldade de um homem pode ser entregue à
 
maldade de outro homem: para que este não possa
 
cometer livre e aprovadamente um crime de fuzilamento.
 
Uma justiça que não se esqueça de que nós todos
 
somos perigosos, e que na hora em que o justiceiro mata,
70
ele não está mais nos protegendo nem querendo eliminar
 
um criminoso, ele está cometendo o seu crime particular,
 
um longamente guardado. [...]
Clarice Lispector (Disponível em ip.usp.br. Adaptado.)
Ao escrever a crônica "Mineirinho", publicada pela primeira vez em junho de 1962 na revista Senhor, Clarice Lispector tinha uma intenção, bastante clara e muito perceptível na leitura, de expor sua contundente opinião sobre o assassinato dum famoso criminoso da época conhecido como Mineirinho. A respeito desses objetivos, como estes podem ser depreendidos da leitura da crônica, analise as alternativas a seguir e assinale a que estiver totalmente correta.

Questão 6

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
 
Pra você parar em casa, qual o quê
 
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
 
Quando diz que não se atrasa
5
Você diz que é operário, sai em busca do salário
 
Pra poder me sustentar, qual o quê
 
 
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
 
Pra você comemorar, sei lá o quê
10
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
 
Discutindo futebol
 
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
 
Coloridas pelo sol
 
15
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
 
Você vai querer cantar
 
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
 
Pra você rememorar
 
20
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
 
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
 
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
 
Pra agradar meu coração
 
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
25
 
Como vou me aborrecer, qual o quê
 
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
 
E abro meus braços pra você
Chico Buarque
Todo texto é, antes de mais nada, um ato comunicativo, mas devemos considerar ainda que, no interior de cada texto, insere-se um outro ato comunicativo e, nesse sentido, a letra de Chico Buarque marca esse processo de modo particular. Com relação aos elementos constituintes da comunicação, assinale a alternativa que os individualize, corretamente, em "Com açúcar, com afeto".

Questão 7

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
 
Pra você parar em casa, qual o quê
 
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
 
Quando diz que não se atrasa
5
Você diz que é operário, sai em busca do salário
 
Pra poder me sustentar, qual o quê
 
 
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
 
Pra você comemorar, sei lá o quê
10
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
 
Discutindo futebol
 
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
 
Coloridas pelo sol
 
15
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
 
Você vai querer cantar
 
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
 
Pra você rememorar
 
20
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
 
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
 
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
 
Pra agradar meu coração
 
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
25
 
Como vou me aborrecer, qual o quê
 
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
 
E abro meus braços pra você
Chico Buarque
Na música "Com açúcar, com afeto", repete-se por várias vezes a expressão "qual o quê". Analisando o sentido discursivo dessa expressão, tal como é utilizada por Chico Buarque, podemos afirmar corretamente que a expressão "qual o quê", na música "Com açúcar, com afeto", é:

Questão 8

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
 
Pra você parar em casa, qual o quê
 
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
 
Quando diz que não se atrasa
5
Você diz que é operário, sai em busca do salário
 
Pra poder me sustentar, qual o quê
 
 
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
 
Pra você comemorar, sei lá o quê
10
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
 
Discutindo futebol
 
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
 
Coloridas pelo sol
 
15
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
 
Você vai querer cantar
 
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
 
Pra você rememorar
 
20
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
 
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
 
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
 
Pra agradar meu coração
 
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
25
 
Como vou me aborrecer, qual o quê
 
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
 
E abro meus braços pra você
Chico Buarque
Compare estas orações retiradas da letra da música: "Pra você parar em casa"; "Pra poder me sustentar"; "Pra agradar meu coração". Levando em consideração a forma como elas se relacionam, sintaticamente, com outras orações a que se ligam, assinale a alternativa que destaque a função sintática de cada uma delas.

Questão 9

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
 
Pra você parar em casa, qual o quê
 
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
 
Quando diz que não se atrasa
5
Você diz que é operário, sai em busca do salário
 
Pra poder me sustentar, qual o quê
 
 
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
 
Pra você comemorar, sei lá o quê
10
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
 
Discutindo futebol
 
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
 
Coloridas pelo sol
 
15
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
 
Você vai querer cantar
 
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
 
Pra você rememorar
 
20
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
 
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
 
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
 
Pra agradar meu coração
 
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
25
 
Como vou me aborrecer, qual o quê
 
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
 
E abro meus braços pra você
Chico Buarque
O termo “feito" liga dois elementos do texto. Que outra palavra da música se aproxima semanticamente do segundo elemento dessa ligação, exemplificando-a?

Questão 10

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
 
Pra você parar em casa, qual o quê
 
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
 
Quando diz que não se atrasa
5
Você diz que é operário, sai em busca do salário
 
Pra poder me sustentar, qual o quê
 
 
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
 
Pra você comemorar, sei lá o quê
10
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
 
Discutindo futebol
 
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
 
Coloridas pelo sol
 
15
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
 
Você vai querer cantar
 
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
 
Pra você rememorar
 
20
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
 
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
 
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
 
Pra agradar meu coração
 
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
25
 
Como vou me aborrecer, qual o quê
 
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
 
E abro meus braços pra você
Chico Buarque
Releia esta passagem do texto:

“Diz pra eu não ficar sentida”.

Essa é uma construção típica da oralidade, característica da linguagem brasileira de uso corrente, no entanto, segundo a Norma Culta da Língua Portuguesa, o período acima configura alguns desvios em relação ao padrão normativo gramatical escrito. Se fôssemos adequá-lo à Norma, em sua totalidade, como deveríamos reescrevê-lo?

Questão 11

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Nas questões que avaliam os conhecimentos de noções de
 
informática, a menos que seja explicitamente informado o
 
contrário, considere que todos os programas mencionados estão
 
em configuração padrão, em português, que o mouse está
5
configurado para pessoas destras, que expressões como clicar,
 
clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão
 
esquerdo do mouse e que teclar corresponde à operação de
 
pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a
 
apenas uma vez. Considere também que não há restrições de
10
proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas,
 
arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.
Softwares e jogos podem ser comercializados em CDs, DVDs ou Blu-rays. Um Blu-ray padrão de camada única e um Blu-ray padrão de camada dupla têm capacidade de armazenamento, respectivamente, de até:

Questão 12

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Nas questões que avaliam os conhecimentos de noções de
 
informática, a menos que seja explicitamente informado o
 
contrário, considere que todos os programas mencionados estão
 
em configuração padrão, em português, que o mouse está
5
configurado para pessoas destras, que expressões como clicar,
 
clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão
 
esquerdo do mouse e que teclar corresponde à operação de
 
pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a
 
apenas uma vez. Considere também que não há restrições de
10
proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas,
 
arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.
Os firewalls ajudam a impedir que crackers ou softwares mal-intencionados obtenham acesso ao seu computador através de uma rede ou da Internet. Assim, é correto afirmar que os firewalls:

Questão 13

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Nas questões que avaliam os conhecimentos de noções de
 
informática, a menos que seja explicitamente informado o
 
contrário, considere que todos os programas mencionados estão
 
em configuração padrão, em português, que o mouse está
5
configurado para pessoas destras, que expressões como clicar,
 
clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão
 
esquerdo do mouse e que teclar corresponde à operação de
 
pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a
 
apenas uma vez. Considere também que não há restrições de
10
proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas,
 
arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.
Em uma planilha do Microsoft Excel 2013 em português, uma fórmula digitada na célula B1 verifica o valor contido na célula A1 e exibe valores diferentes com base nos seguintes critérios:

- Se o valor contido na célula A1 for menor do que 5, é exibido na célula B1 o valor “Classe A”;
- Se não, se o valor contido na célula A1 for maior ou igual a 5 e menor do que 10, é exibido na célula B1 o valor “Classe B”;
- Se não, se o valor contido na célula A1 for maior ou igual a 10, é exibido na célula B1 o valor “Classe C”.

A fórmula correta digitada na célula B1 foi:

Questão 14

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Nas questões que avaliam os conhecimentos de noções de
 
informática, a menos que seja explicitamente informado o
 
contrário, considere que todos os programas mencionados estão
 
em configuração padrão, em português, que o mouse está
5
configurado para pessoas destras, que expressões como clicar,
 
clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão
 
esquerdo do mouse e que teclar corresponde à operação de
 
pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a
 
apenas uma vez. Considere também que não há restrições de
10
proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas,
 
arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.
Após ligar um computador com o Windows 7 Professional em uma rede de computadores, um funcionário digitou seu nome de usuário e senha para acessar a área de trabalho. Para bloquear o computador e não permitir que ninguém mexa na sua área de trabalho quando se ausentar momentaneamente, o funcionário deve acessar a tela que permite ativar o bloqueio pressionando a combinação de teclas:

Questão 15

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
1
Nas questões que avaliam os conhecimentos de noções de
 
informática, a menos que seja explicitamente informado o
 
contrário, considere que todos os programas mencionados estão
 
em configuração padrão, em português, que o mouse está
5
configurado para pessoas destras, que expressões como clicar,
 
clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão
 
esquerdo do mouse e que teclar corresponde à operação de
 
pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a
 
apenas uma vez. Considere também que não há restrições de
10
proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas,
 
arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.
No Mozilla Firefox, para se explorar um conjunto de configurações avançadas que ficam normalmente escondidas dos usuários menos experientes, deve-se digitar, na linha de endereço do navegador, a instrução:

Questão 16

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Segundo Henrique Savonitti Miranda, “A expressão ‘agente público’ é utilizada para designar todo aquele que se encontre no cumprimento de uma função estatal, quer por representá-lo politicamente, por manter vínculo de natureza profissional com a Administração, por ter sido designado para desempenhar alguma atribuição ou, ainda, por se tratar de delegatório de serviço público”. Os agentes públicos, segundo nosso doutrinador Hely Lopes Meirelles, classificam-se em: agentes políticos, agentes administrativos, agentes honoríficos e agentes credenciados. Quanto aos agentes administrativos, leia as afirmativas.

I. São todos aqueles que se vinculam ao Estado ou às suas entidades autárquicas e fundacionais por relações profissionais, sujeitos à hierarquia funcional e ao regime jurídico determinado pela entidade estatal a que servem. São investidos a título de emprego e com retribuição pecuniária, em regra por nomeação, e excepcionalmente por contrato de trabalho ou credenciamento.
II. Não são membros de Poder de Estado, nem o representam, nem exercem atribuições políticas ou governamentais; são unicamente servidores públicos, com maior ou menor hierarquia, encargos e responsabilidades profissionais dentro do órgão ou da entidade a que servem.
III. São os componentes do Governo nos seus primeiros escalões, investidos em cargos, funções, mandatos ou comissões, por nomeação, eleição, designação ou delegação para o exercício de atribuições constitucionais.
IV. Atuam com plena liberdade funcional, desempenhando suas atribuições com prerrogativas e responsabilidades próprias, estabelecidas na Constituição e em leis especiais.

Está correto o que se afirma somente em:

Questão 17

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O Estado Democrático de Direito baseia-se em uma sociedade livre, justa e solidária, como afirma nossa Constituição, na qual o poder deve emanar do povo, sendo exercido em seu proveito, diretamente, ou por meio de representantes eleitos. Deve ser um Estado promotor de justiça social, tendo a legalidade como princípio basilar. Porém, a lei não deve ficar adstrita em uma esfera puramente normativa e abstrata, mas, sim, deve influir na realidade social do povo. Os princípios que alicerçam o Estado Democrático de Direito são, exceto:

Questão 18

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Segundo o Decreto nº 1.171/94, que aprova o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal, são deveres fundamentais do servidor público, exceto:

Questão 19

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
A Lei nº 8.112/90 dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. Acerca da Posse e do Exercício dos Servidores, previstos no Título II, Capítulo I, Seção IV, leia as afirmativas e assinale a que não está correta.

Questão 20

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
A vacância do cargo público decorrerá, dentre outros motivos, de exoneração. A exoneração de cargo efetivo dar-se-á a pedido do servidor, ou de ofício. A exoneração de ofício dar-se-á:

I. quando não satisfeitas as condições do estágio probatório.
II. quando, tendo tomado posse, o servidor não entrar em exercício no prazo estabelecido.
III. a juízo da autoridade competente.
IV. a pedido do próprio servidor.

Está correto o que se afirma em:

Questão 21

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Os atuais cursos de Psicologia, legalmente autorizados, deverão adaptar-se às exigências estabelecidas na Lei nº 4.119/62, dentro de um ano após sua publicação. Ainda segundo essa lei, assinale a alternativa que traz uma informação correta.

Questão 22

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Os portadores do título de Doutor, obtido em Faculdade de Filosofia, e que tenham defendido tese sobre tema específico de Psicologia, ao requererem o registro profissional de Psicólogo, deverão instruir a petição com os seguintes documentos:

I. Carteira de Identidade.
II. Prova de quitação com o serviço militar.
III. Título Eleitoral.
IV. Diploma de Doutor devidamente registrado na Diretoria do Ensino Superior do M.E.C..
V. Um exemplar da tese de doutoramento.

Está correto o que se afirma em:

Questão 23

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Conforme disposto no Decreto nº 79.822/77, que regulamenta a Lei nº 5.766/71, que criou o Conselho Federal e Conselhos Regionais de Psicologia, compete ao Conselho Federal:

I. arrecadar anuidades, taxas, emolumentos e multas e adotar todas as medidas destinadas à efetivação de sua receita.
II. decidir sobre os pedidos de inscrição do Psicólogo.
III. expedir Carteira de Identidade de Profissional.
IV. impor sanções previstas neste Regulamento (Decreto nº 79.822/77).
V. zelar pela observância do Código de Ética Profissional do Psicólogo.
VI. homologar inscrição dos Psicólogos.
VII. funcionar como tribunal de auxílio consultivo às regionais no que tange à ética profissional.

Quantos dos incisos acima estão corretos?

Questão 24

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Assinale a alternativa que contraria o Decreto nº 79.822/77, no que concerne às Eleições.

Questão 25

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
A extinção ou perda do mandato de membro do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais ocorrerá pelos seguintes motivos, exceto:

Questão 26

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O Manual de Elaboração de Documentos tem como objetivo orientar o profissional psicólogo na confecção de documentos decorrentes das avaliações psicológicas e fornecer os subsídios éticos e técnicos necessários para a elaboração qualificada da comunicação escrita. As modalidades de documentos apresentadas foram sugeridas durante o I Fórum Nacional De Avaliação Psicológica, ocorrido em dezembro de 2000. Sobre o tema, leia as afirmativas.

I. Tal Manual compreende os seguintes itens: Princípios norteadores da elaboração documental; Modalidades de documentos; Procedimento; Validade dos documentos; e Guarda dos documentos.
II. A Declaração é um documento que visa a informar a ocorrência de fatos ou situações objetivas relacionadas ao atendimento psicológico, com a finalidade de declarar, entre outros, a solicitação de afastamento e/ou dispensa do solicitante, subsidiado na afirmação atestada do fato, em acordo com o disposto na Resolução CFP nº 015/1996.
III. O relatório psicológico deve conter, no mínimo, 5 (cinco) itens: identificação; descrição da demanda; conceito/ finalidade/ estrutura; análise; e conclusão.

Está correto o que se afirma em:

Questão 27

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
No Conselho Federal de Psicologia, funcionará uma Secretaria de Orientação e Ética com o objetivo, dentre outros, de coordenar as atividades de orientação e fiscalização da entidade, visando à unidade das diretrizes e eficiência das ações e assistir ao Plenário do CFP nos assuntos de sua competência. Tal secretaria será constituída pelo Secretário de Orientação e Ética, que a presidirá e pelo menos mais dois membros, indicados pelo Plenário, podendo ser conselheiros efetivos ou suplentes ou psicólogos convidados. Entre as atribuições dessa secretaria, segundo a Resolução CFP nº 19/2000, está a de:

Questão 28

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
As faltas disciplinares e infrações ao Código de Ética praticadas por psicólogos, no exercício profissional ou no cargo de Conselheiro, serão apuradas em todo o território nacional, pelos Conselhos de Psicologia, nos termos do Código de Processamento Disciplinar, instituído pela Resolução CFP nº 006/2007. O processo disciplinar ordinário apurará infringência à Resolução de natureza administrativa. Analise as seguintes afirmativas.

I. A pena a ser aplicada nos processos disciplinares ordinários no processamento de infração cometida por pessoa jurídica será de multa, no valor de 0,5 (meia) a 5. (cinco) anuidades, tendo como referência a anuidade praticada pelo Conselho Regional, no exercício em que esta vier a ser imposta, ou censura pública.
II. Na aplicação da pena, o Plenário do Conselho Regional de Psicologia considerará em cada caso: a gravidade da falta; a especial gravidade das faltas relacionadas com o exercício profissional; a individualidade da pena; o caráter primário ou não do infrator. Em caso de reincidência, o valor da multa será dobrado, sem prejuízo das demais penas previstas em lei.
III. Constatado ato passível de apuração, o Presidente do Conselho Regional de Psicologia citará a parte, por meio de Carta Registrada (AR), ou outro meio contrarrecibo, com a descrição das acusações imputadas, o seu enquadramento legal e o prazo para apresentação de defesa escrita no prazo de 5 (cinco) dias a contar de seu recebimento, com o aviso da concessão do direito de juntar documentos.

Está correto o que se afirma em:

Questão 29

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Assinale a alternativa que contraria a Resolução CFP nº 003/2007 (que institui a Consolidação das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia), acerca da inscrição secundária nos Conselhos Regionais.

Questão 30

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Em conformidade com o previsto na Lei nº 8.080/90, são estabelecidos, no âmbito do Sistema Único de Saúde, o atendimento domiciliar e a internação domiciliar. Com base no exposto, considere as seguintes afirmativas.

I. Na modalidade de assistência de atendimento e internação domiciliares incluem-se, principalmente, os procedimentos médicos, de enfermagem, fisioterapêuticos, psicológicos e de assistência social, entre outros necessários ao cuidado integral dos pacientes em seu domicílio.
II. O atendimento e a internação domiciliares serão realizados por equipes multidisciplinares que atuarão nos níveis da medicina preventiva, terapêutica e reabilitadora.
III. O atendimento e a internação domiciliares só poderão ser realizados por indicação médica, com expressa concordância do paciente e de sua família.

Está correto o que se afirma em:

Questão 31

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O padrão IEEE 802.11i fornece autenticação, integridade de mensagem e confidencialidade ao padrão 802.11 (Wi-Fi) na camada de enlace. A tecnologia que tem sido utilizada como sinônimo para o padrão 802.11i, embora seja tecnicamente uma marca registrada da Wi-Fi Alliance, é o:

Questão 32

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Para transferir arquivos de um sistema de computadores para outro um Analista em Informática pode utilizar o protocolo da camada de aplicação do conjunto de protocolos TCP/IP, conhecido como:

Questão 33

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Roteadores são os dispositivos encarregados de encaminhar pacotes de uma rede para outra. Para determinar para onde enviar um pacote recebido o roteador faz uso de uma tabela de roteamento que pode ser estática ou dinâmica. As tabelas dinâmicas são montadas utilizando-se protocolos de roteamento interiores ou exteriores a uma rede ou conjunto de redes que está sob uma única administração ou política de roteamento. O protocolo de roteamento interior que envia mensagens de atualização de roteamento em intervalos regulares de tempo ou quando a topologia da rede é alterada, e que utiliza uma única métrica para roteamento (a contagem de saltos, ou hops) para medir a distância entre a rede de origem e a de destino, é o protocolo:

Questão 34

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O SNMP é um protocolo utilizado em gerenciamento de redes, que:

Questão 35

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Considere o texto a seguir:

Quando o telefone é retirado do “gancho”, o circuito se fecha realizando o chamado loop de corrente. Neste momento, uma corrente de x mA circula nessa linha, suficiente para que a rede de telefonia perceba que este aparelho deseja realizar uma chamada. Imediatamente o aparelho recebe um tom de discagem indicando que está habilitado para utilizar os serviços da rede.
(http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialconvdados/pagina_1.asp)

O valor de x, no texto, é:

Questão 36

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Utilizando o IP v4, um Analista deseja criar 28 sub-redes com 5 hosts cada. Para isso, ele deve usar a máscara de rede Classe C:

Questão 37

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Considere a imagem a seguir, referente ao nível de interação entre processos no decorrer do tempo, no gerenciamento de projetos com PMBOK.



As lacunas I, II e III na imagem são preenchidas, correta e respectivamente, com:

Questão 38

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Nas redes que usam Asynchronous Transfer Mode (ATM), os dados são enviados em pequenos pacotes chamados de células, com tamanho de:

Questão 39

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O modelo corporativo para Governança de TI mais conhecido atualmente é o COBIT 5, que tem como um dos cinco princípios básicos:

Questão 40

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Em uma janela de prompt de comando com privilégios elevados em um servidor com o Windows Server 2008, um usuário membro do grupo Administradores deseja realizar instalações ou remoções automatizadas de funções (holes), serviços de função (hole services) e recursos (features). Para isso poderá utilizar a ferramenta:

Questão 41

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Em uma máquina que utiliza o Windows Server 2008 houve problemas com o servidor DNS e, após a resolução, certos clientes informaram que conseguem acessar alguns sites, mas não conseguem acessar outros. Considerando que isso aconteceu porque no cache local do cliente existem registros que podem não ser mais válidos, para resolver o problema um Analista liberou e redefiniu o cache do resolvedor do cliente DNS utilizando o comando:

Questão 42

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
No Linux, para definir que a senha do usuário xpto expirará após 10 dias e que ele será avisado com 2 dias de antecedência para trocar a senha, utiliza-se o comando:

Questão 43

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
No Linux, para aplicar a permissão total ao diretório xpto para o dono, para o grupo e para outros, utiliza-se o comando:

Questão 44

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Para listar arquivos e pastas ocultos no Linux, o comando ls deve ser utilizado com o parâmetro:

Questão 45

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O sistema de arquivos do Linux ext4 apresenta bom desempenho, escalabilidade e confiabilidade. Teoricamente pode suportar volumes com tamanho máximo de até:

Questão 46

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
A norma ISO 27001 afirma que a organização deve identificar e avaliar opções para o tratamento de riscos, considerando um conjunto de ações que não inclui:

Questão 47

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
Considere as recomendações seguintes.

I. Colocar as linhas de energia e de telecomunicações que entram nas instalações de processamento da informação no subterrâneo, sempre que possível.
II. Proteger o cabeamento de redes contra interceptações não autorizadas ou danos, por exemplo, usando conduítes.
III. Segregar os cabos de energia dos cabos de comunicações, para evitar interferências.
IV. Marcar de forma clara e identificável os cabos e equipamentos, a fim de minimizar erros de manuseio.

Com relação à segurança do cabeamento, a norma ISO 27002 sugere que sejam considerados os itens:

Questão 48

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
“É baseado na técnica de espelhamento. Nesta configuração do RAID, os dados são espelhados para oferecer uma tolerância à falha. O conjunto do RAID consiste de dois drives de discos e todas as gravações são feitas em ambos os discos. O espelhamento é transparente ao host. Durante uma falha do disco, o impacto na recuperação dos dados em um RAID desse nível é o menor entre todas as implementações RAID. Isso porque a controladora do RAID utiliza o drive espelhado para a recuperação de dados. É adequado para aplicativos que necessitam de uma alta disponibilidade sem restrições de custo.”

O texto acima apresenta o nível do RAID:

Questão 49

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
SAN é uma rede dedicada e de alta velocidade de servidores e dispositivos de armazenamento compartilhados, que permite a consolidação e o compartilhamento do armazenamento por múltiplos servidores. As implantações mais comuns de SAN são:

Questão 50

CFP 2016 - QUADRIX - Analista Técnico - Suporte em TI
O Bacula é uma ferramenta de backup distribuída, de uso livre e formada por daemons. O daemon cliente do Bacula é o: