×
Técnico em Enfermagem do Trabalho
×

SANEAGO 2020

Técnico em Segurança do Trabalho

Questão 1

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
O texto 1 é do gênero notícia e cumpre a função social de

Questão 2

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
Qual aspecto da progressão discursiva remete à fonte das informações veiculadas na notícia?

Questão 3

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
Quanto ao seu conteúdo, infere-se do texto uma temática central relativa

Questão 4

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
A letra maiúscula auxilia na expressão das emoções do enunciador na palavra

Questão 5

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
Ao longo do texto, as aspas são produtivas para representar

Questão 6

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
Qual trecho representa o evento que desencadeou a mudança nas práticas profissionais da bailarina?

Questão 7

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
A bailarina carioca Ingrid Silva usou seu perfil no Twitter para
 
compartilhar um momento muito especial: por 11 anos, ela
 
sempre teve que pintar as sapatilhas para que tivessem a cor de
 
sua pele. Ingrid é negra e só achava as tradicionais cor-de-rosa,
5
feitas para dançarinas brancas. Mas esses dias chegaram ao
 
fim. “Elas chegaram”, postou Ingrid juntamente da foto das
 
novas sapatilhas, finalmente no tom da sua pele. “Pelos últimos
 
11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não
 
vou ter mais que fazer isso! FINALMENTE! É uma sensação
10
de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no
 
mundo da dança. E que avanço, viu? Demorou, mas chegou!”
 
Ingrid também compartilhou com os seguidores as imagens das
 
antigas sapatilhas, todas pintadas para alcançar o tom da sua
 
pele. E explicou porque esse momento é um marco: “Nunca
15
existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse
 
século estão surgindo no mercado”. A iniciativa de criar
 
sapatilhas e meias para dançarinas negras foi do Dance Theatre
 
of Harlem, em Nova York, onde ela mora e trabalha. “O diretor
 
Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a linha rosa
20
descontinuava o corpo da bailarina. Então sugeriu que todo seu
 
corpo de baile usasse sapatilha e meia calça cor da pele”,
 
contou Ingrid. Até então ela mesma pintava uma a uma as suas
 
sapatilhas. Agora, não precisa fazer mais isso. “A vitória não é
 
somente minha e sim de muitas futuras bailarinas negras que
25
virão por aí”.
 
A história de Ingrid é toda muito especial. Criada em Benfica,
 
bairro na zona norte do Rio de Janeiro, ela começou a dançar
 
balé ainda criança, através de um projeto social na sua
 
comunidade. Hoje, aos 29 anos, a bailarina é destaque na
30
companhia Dance Theatre of Harlem em Nova York.
LIMA, Barbara A. Disponível em: https://claudia.abril.com.br/sua-vida/bailarina-negra- compartilha-emocao-de-ter-sapatilhas-cor-da-sua-pele/03/11/2019. Acesso em: 03 nov. 200.
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
Infere-se da afirmação “Nunca existiram sapatilhas de todas as cores. Somente agora nesse século estão surgindo no mercado” que o evento noticiado representa

Questão 8

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
1
SALARO, Raquel. Disponível em:
www.napontadope.com//designer-cria-tirinhas- divertidas-de-bale/>. Acesso em: 05 nov. 2020.
O efeito de humor na tira é construído a partir do pressuposto de que

Questão 9

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Qual aspecto da constituição da tira remete ao ritmo dos passos do balé?

Questão 10

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Tendo em vista com quem se fala, em “Agora repete para eu ter certeza que não foi sorte”, há uma inadequação à língua padrão quanto

Questão 11

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
No Microsoft Windows 10, a impressora de um usuário poderá aparecer offline se ela não conseguir se comunicar com o computador. Dentre as possibilidades existentes de se solucionar esse problema, a tentativa mais viável a fim da impressora alterar o seu estado de offline para online é:

Questão 12

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Uma situação cada vez mais comum é quando um usuário, ao instalar um determinado aplicativo que foi obtido gratuitamente via download direto pela Internet, acaba instalando – sem que, ao menos, perceba – algum software indesejado junto com o aplicativo que havia escolhido inicialmente. Tais programas de computador são “enxertados” maliciosamente nos computadores e, portanto, recebem a denominação potentially unwanted program ou, em tradução livre, programas potencialmente indesejados. O motivo de tal ocorrência é que:

Questão 13

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
No Microsoft PowerPoint 2019, após sua instalação e ativação, ao se abrir o aplicativo pela primeira vez, tem-se como configuração padrão – original de fábrica – o seguinte:

Questão 14

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considerando o LibreOffice 7.0.3.1 (x64), no aplicativo Calc, se um usuário inserir o número 102 na célula A1, inserir o número 37 na célula A2 e, por fim, digitar a expressão “=A1&A2” (sem aspas!) na célula A3, ele obterá o seguinte resultado na última célula mencionada:

Questão 15

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considerando os navegadores Web disponíveis para download gratuito em 2020, qual o aplicativo que, de forma nativa, já permite imediata navegação compatível com “The TOR Project / The Onion Router” através do simples clique na opção “Private Window with Tor”?

Questão 16

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
No Google Chrome, o atalho de teclado que aciona, de uma só vez, o gerenciador de tarefas interno do próprio navegador é:

Questão 17

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Os monitores de vídeo utilizados nos microcomputadores PC, tanto desktops quanto laptops (notebooks), podem apresentar diferentes razões entre as dimensões de largura e altura da tela. São denominados monitores de vídeo do tipo ultrawide aqueles que apresentam a razão:

Questão 18

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
No mercado, são oferecidos dois tipos de teclados: convencionais e gamers. Dentre os chamados gamers, existem vários modelos distintos com diferentes cores, formas, iluminação variável etc. Muitos teclados comercialmente rotulados como gamers só entregam ganho estético ao usuário, pois se tratam de meros teclados convencionais que são “maquiados” pela indústria com a finalidade de serem vendidos mais caros sem, de fato, oferecer nada a mais para quem os compra. No entanto, apenas os teclados mais pesados (com maior massa) cumprem o prometido: oferecer desempenho superior em jogos – devido ao seu baixo tempo de resposta tátil – e ainda propiciar alta durabilidade ao próprio periférico de entrada de dados. Considerando apenas os teclados gamers de fato, as suas teclas se valem da tecnologia intitulada:

Questão 19

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Uma pessoa com baixa visão estava sem cédulas em sua carteira. Ela realizou um saque no valor de R$ 1 187,00, recebendo o menor número de cédulas. O banco dispunha de cédulas de: 2,00; 5,00; 10,00; 20,00; 50,00; 100,00 e de 200,00 reais. Tendo que realizar um depósito em um caixa eletrônico de outro banco, estando sozinho no momento, ela deveria colocar no envelope um valor de R$ 620,00, usando quatro cédulas, mas devido as cédulas de 200 serem de difícil diferenciação, por terem dimensões e coloração similar com as de 20, acabou colocando quatro cédulas iguais.

Com quantos reais essa pessoa ficou na carteira, após o depósito?

Questão 20

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Um clube de recreação de uma cidade oferece aulas de futebol, voleibol e basquetebol. O clube tem 16 professores de futebol, 12 professores de voleibol e 10 professores de basquetebol. Nenhum dos professores ensina as três modalidades, mas quatro professores ensinam futebol e voleibol, três ensinam futebol e basquetebol e alguns professores ensinam voleibol e basquetebol. Nesse caso, o número mínimo de professores para desempenhar essas atividades é igual a

Questão 21

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Um grupo de pessoas, formado por homens e mulheres, foi a uma pizzaria e comeu quatro pizzas com oito fatias cada uma, sendo que cada homem comeu cinco fatias e cada mulher comeu quatro fatias. Quantas pessoas formavam esse grupo?

Questão 22

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Em uma escola de idiomas, os cursos de inglês e espanhol têm exatamente 10 alunos em comum. Esses alunos correspondem a 8% dos alunos do curso de inglês e a 20% dos alunos do curso de espanhol. Qual é a soma do número de alunos da escola cursando somente um desses idiomas?

Questão 23

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considere:



Nesse caso, G1 intercepta G2, no primeiro quadrante, em um ponto P de coordenadas

Questão 24

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considere as quatro proposições, referentes ao ano de 2020, em certo país:

P: não ocorreu poluição com petróleo nas praias;
Q: não ocorreram queimadas em florestas;
R: rios foram poluídos;
S: não ocorreu corrupção.

Com base nas premissas:

(~P v Q) v (~R), R v S, ~S v Q, ~Q,

concluímos que a condicional verdadeira é

Questão 25

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Em uma empresa há nove empregados com 20 anos de idade; onze com 30, e dois com 40 anos de idade. O dono da empresa irá contratar, e ele deseja que a moda do número de empregados de mesma idade seja única e formada por empregados com maior idade dentre estas três.

Nesse caso, quantos empregados, no mínimo, devem ser contratados, e qual a idade deles?

Questão 26

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Três vizinhos que moram às margens de um lago foram desafiados a trabalhar na despoluição deste lago. Concluído esse desafio, os três vizinhos responderam da seguinte forma sobre quem trabalhou na despoluição do lago:

o 1º disse: Não é verdade que o 2º e o 3º trabalharam;
o 2º disse: Se o 1º não trabalhou, então o 3º trabalhou;
o 3º disse: Eu não trabalhei, mas o 1º ou o 2º trabalharam.

Sabendo que somente a afirmação do 2º é falsa, então, o trabalho na despoluição foi realizado apenas

Questão 27

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Leia o texto a seguir.

O povoamento do norte goiano ocorreu, primeiramente, às margens do Rio Tocantins. O padrão de distribuição das cidades, só alterado a partir da década de 1950, em virtude da rodovia Belém-Brasília, teve os limites das bacias do Araguaia e do Tocantins como marco divisor. Cidades como Porto Nacional, Peixe, Pedro Afonso e Filadélfia, assentadas às margens do Rio Tocantins, figuram entre as mais populosas do norte goiano, além de terem sido praças de comércio movimentadas.

ARRAIS, C. A.; OLIVEIRA, E. C.; ARRAIS, T. A. O século XX em Goiás: o advento da modernização. Goiânia: Cânone Editorial, 2016. p. 14.

Por qual motivo as cidades às margens do Rio Tocantins foram as que mais se povoaram?

Questão 28

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Leia o texto a seguir. A história teve início na fadiga daqueles homens que saíram das margens do Tietê e se embrenharam pelos sertões goianos em busca de ouro e pedras preciosas e que, na segunda década do século XVIII, acamparam às margens do Rio Vermelho e fundaram Vila Boa, presépio enclausurado nas encostas da Serra Dourada.

TELES, J. M. A vida de Pedro Ludovico – Fundação de Goiânia. 3. ed. Goiânia: Kelps, 2010. p. 54.

Qual o perfil populacional referido no texto?

Questão 29

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Leia o trecho a seguir.

Meia-Ponte, Capim-Puba, Botafogo,
os rios correndo na memória.
E Pedro Ludovico então falou:
– É aqui, o começo da história!

De Pedro se fez pedra,
da pedra é que surgiu.
Goiânia, Goiânia,
coração do Brasil.

Hino do Cinquentenário de Goiânia. Letra: José M

endonça Teles. Música: Joaquim Jaime. A relação entre os rios e o governador cria uma imagem de um político

Questão 30

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Leia o texto a seguir.

Segundo Francisco Ludovico de Almeida Neto, a implantação da Saneago ajudou a transformar o quadro de precariedade e foi decisiva para garantir a saúde pública, não apenas na capital, como nas cidades do interior que foram sendo paulatinamente beneficiadas pelo sistema montado pela empresa de saneamento.

ROCHA, Hélio. 40 anos de história da Saneago. Goiânia: Poligráfica, 2007. p. 103.

Qual a principal transformação que a Saneago trouxe para a saúde pública?

Questão 31

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
O Capítulo II da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, em seu Art. 7°, estabelece que é direito dos trabalhadores urbanos e rurais:

Questão 32

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 01 – Disposições gerais (NR 01), item 1.6, Capacitação e Treinamento em Segurança e Saúde no Trabalho, estabelece que:

Questão 33

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 03 – Embargo e interdição (NR 3) traz, no item 3.3, os requisitos para a caracterização do grave e iminente risco, para isso deve ser considerado que:

Questão 34

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 05 – Comissão interna de prevenção de acidentes – CIPA (NR 5) deve ser organizada de acordo com os itens de 5.6 a 5.15, onde está estabelecido que:

Questão 35

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
O processo eleitoral da CIPA, previsto na Norma Regulamentadora n. 05 – Comissão interna de prevenção de acidentes – CIPA (NR 5), estabelece a seguinte condição:

Questão 36

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 06 – Equipamento de proteção individual – EPI (NR 6) estabelece que:

Questão 37

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Sobre o desenvolvimento do Programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO), previsto na Norma Regulamentadora n. 07 (NR 7):

Questão 38

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considerando a Norma Regulamentadora n. 09 – Programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA), para o desenvolvimento do PPRA deve-se seguir o seguinte requisito:

Questão 39

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Sobre a formação/autorização necessária para se trabalhar com eletricidade, a Norma Regulamentadora n. 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade (NR 10) estabelece que:

Questão 40

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 15 – Atividades e operações insalubres (NR 15), e seus anexos, estabelece que é considerada atividade insalubre: (A) segundo o Anexo n. 1, qualquer atividade que exponha o trabalhador a um ruído contínuo e intermitente acima de 85 dB

Questão 41

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Em uma cerâmica, o técnico de segurança do trabalho, com o objetivo de avaliar a insalubridade do posto de trabalho do auxiliar de produção, realizou as medições que se encontram na tabela abaixo:



Considerando-se os dados, o índice de bulbo úmido e termômetro de globo (IBUTG) médio e a taxa de metabolismo média são, respectivamente:

Questão 42

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Considerando o teor da Norma Regulamentadora n. 16 – Atividades e operações perigosas (NR 16), é caracterizada como perigosa a atividade:

Questão 43

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 17 – Ergonomia (NR 17), em seu item 17.2 – Levantamento, transporte e descarga individual de materiais, estabelece que:

Questão 44

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 18 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção (NR 18) estabelece que as instalações sanitárias em canteiros de obras e frentes de serviço devem ser:

Questão 45

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 21 – Trabalhos a céu aberto (NR 21) estabelece que:

Questão 46

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 24 – Condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho (NR 24), em seu item 24.7, define que os alojamentos devem

Questão 47

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 24 – Condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho (NR 24) traz em seu anexo II as condições sanitárias e de conforto aplicáveis a trabalhadores em trabalho externo, estabelecendo que sempre que o trabalho ocorrer preponderantemente em logradouro público,

Questão 48

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
De acordo com o previsto na Norma Regulamentadora n. 25 – Resíduos industriais (NR 25),

Questão 49

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 26 – Sinalização de segurança (NR 26), em seu item 26.2 – Classificação, rotulagem preventiva e ficha com dados de segurança de produto químico, estabelece que:

Questão 50

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Sobre a norma técnica ABNT NBR 14725 – Produtos químicos — Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente, sabe-se que:

Questão 51

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 33 – Segurança e saúde nos trabalhos em espaços confinados (NR 33) traz os requisitos a serem observados no trabalho neste tipo de local, estabelecendo que:

Questão 52

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 33 – Segurança e saúde nos trabalhos em espaços confinados (NR 33), em seu item 33.3.5 – Capacitação para trabalhos em espaços confinados, estabelece que:

Questão 53

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A Norma Regulamentadora n. 35 Trabalho em altura (NR 35) estabelece que:

Questão 54

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A norma ABNT ISO 31000:2018 – Gestão de riscos – Diretrizes apresenta o processo de gestão de riscos, em que se destaca o processo de avaliação de riscos, que tem entre suas características:

Questão 55

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A norma ABNT ISO 45001:2018 – Sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional (SGSSO) é uma série de requisitos para a implantação de um sistema de gestão de riscos ocupacionais. Nela é listada uma série de fatores que podem favorecer o sucesso do sistema de gestão, como:

Questão 56

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
O item 3 – Termos e definições da norma ABNT ISO 45001:2018 – Sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional define:

Questão 57

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Conforme o Art. 19 da Lei n. 8213, de 24 de julho de 1991, acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço de empresa ou de empregador doméstico, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. Nos artigos subsequentes, equipara-se ao acidente do trabalho:

Questão 58

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
A norma ABNT ISO 45001:2018, em seu item 10.2 – Incidente, não conformidade e ação corretiva, tem como requisito que:

Questão 59

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
De acordo com o Manual de aposentadoria especial do INSS, o Laudo técnico de condições ambientais do trabalho (LTCAT) deve considerar:

Questão 60

SANEAGO 2020 - UFG - Técnico em Segurança do Trabalho
Uma indústria de móveis que tem 300 trabalhadores, sendo que cada um realiza jornada mensal de trabalho de 200 horas, registrou, em um determinado mês, oito acidentes típicos que resultaram em 26 dias perdidos, e quatro acidentes de trajeto que resultaram em 34 dias perdidos.

Considerando o exposto, considere os seguintes dados:

F = N x 1.000.000 / H.

Sendo:

F = taxa de frequência de acidentes;
N = número de acidentes do trabalho;
H = valor das horas-homem de exposição ao risco.
G = D x 1.000.000 / H.

Sendo:

G = taxa de gravidade de acidentes;
D = número de dias perdidos por acidentes do trabalho;
H = valor das horas-homem de exposição ao risco.

Com base nos dados, quais são as taxas de frequência e gravidade, respectivamente?



Provas de Concursos » Ufg 2020